©Vince Fleming/Unsplash

Sinais de que você está lidando com um narcisista e como fugir dele

Sinais de que você está lidando com um narcisista e como fugir dele

É comum se referir a alguém muito vaidoso, orgulhoso e exibicionista como pessoa narcisista. Entretanto, existem traços que sinalizam quando isso está em um nível tolerável ou se já se trata de um transtorno de personalidade ou patologia psíquica, que poder trazer sofrimento para a própria pessoa e para quem convive com ela.

Nesse conteúdo serão tratados aspectos que podem ajudar a identificar como esse transtorno de manifesta e como lidar com esse desequilíbrio, tanto quem convive com alguém assim, quanto a própria pessoa que tem esse problema.

Porque o termo narcisista?

A palavra narcisista deriva do mito grego Narciso. De acordo com esse mito, Narciso era um jovem muito belo, que menosprezou o amor da ninfa Eco. Por isso, indignada, ela pediu aos deuses que dessem uma lição no rapaz.

Foi então que a deusa Némesis lançou um encantamento sobre ele, que foi fazer com ele se apaixonasse pela própria imagem refletida na água.

Ele passou o resto de sua existência encantado com o seu reflexo na água, sem poder consumar esse amor. Com isso, foi definhando e após sua morte, a deusa Afrodite o transformou na flor Narciso.

Esse mito se tornou um arquétipo do narcisismo, por isso é um termo muito utilizado para designar alguém que tem amor próprio exacerbado e acentuado apego à autoimagem.

Dependendo da intensidade, o Narcisismo pode ser um traço psicológico ou estar associado a um transtorno de personalidade, pelo qual a pessoa se preocupa demais com sua reputação e fica dependendo da aprovação alheia.

Traço de Psicológico x Transtorno de Personalidade

O narcisismo pode ser apenas traço psicológico ou um transtorno de personalidade. A diferença está na forma como o narcisismo se manifesta.

Quando se torna disfuncional, acarretando problemas de relacionamento e reveses emocionais, já passa a ser um transtorno.

Uma coisa é alguém gostar de se admirar; ser autoconfiante; apreciar se arrumar; se cuidar; ter autoestima; expressar amor próprio; ser assertivo, gostando de falar de si e de sua história; ou até, postar fotos nas redes sociais.

Outra coisa é quando o indivíduo se acha superior aos demais, quer ser exaltado e busca se auto afirmar às custas da vulnerabilidade ou da boa vontade dos outros.

O transtorno de personalidade narcisista na realidade esconde grande carência, fragilidade e insegurança de cunho emocional.

O que é esse transtorno?

Essa patologia é marcada pela incapacidade de se ver como realmente é e não saber se relacionar com os demais de forma empática e equilibrada.

Pessoas com esse transtorno têm uma forte tendência a viver constantemente em conflitos com os demais e a desenvolver problemas psicológicos como depressão, ansiedade e frustração.

Além disso, a pessoa com esse transtorno manifesta uma série de comportamentos que funcionam como uma máscara ou mecanismo de defesa, para manter e sustentar a autoimagem que ela criou para si, e projeta no mundo externo.

Sinais do narcisismo: como reconhecer um narcisista

Esse transtorno é um desequilíbrio psicológico que pode ser diagnosticado com base no Manual de Diagnóstico Estatístico (DSM-5) para Transtornos da Personalidade.

De acordo com o que está descrito no DSM-5, os sinais que podem deflagrar a manifestação desse transtorno são:

  1. Tem um senso grandioso de auto importância (por exemplo, exagera realizações e talentos, espera ser reconhecido como superior sem realizações proporcionais).
  2. Está preocupado com fantasias de sucesso ilimitado, poder, brilho, beleza ou amor ideal.
  3. Acredita que ele ou ela é “especial” e único e só pode ser compreendido por, ou deve se associar a, outras pessoas (ou instituições) especiais ou de alto status.
  4. Requer admiração excessiva.
  5. Tem um senso de direito, ou seja, expectativas irracionais de tratamento especialmente favorável ou cumprimento automático de suas expectativas.
  6. É interpessoalmente explorador, ou seja, tira vantagem dos outros para alcançar seus próprios fins.
  7. Falta de empatia: não está disposto a reconhecer ou se identificar com os sentimentos e necessidades dos outros.
  8. Muitas vezes tem inveja dos outros ou acredita que os outros têm inveja dele ou dela.
  9. Mostra comportamentos e atitudes arrogantes.

Causas do narcisismo patológico

As causas do narcisismo patológico podem estar relacionadas a fatores sociais ou biológicos, que afetaram o desenvolvimento do indivíduo.

Um dos fatores que pode favorecer o surgimento desse transtorno, tem relação com o ambiente familiar, no qual a criança foi reprimida e limitada pelos pais, afetando a formação de seu self (psique como um todo).

Sem um self saudável, o indivíduo desenvolve um complexo de superioridade para esconder sua fraqueza interior e senso de inferioridade.

Outros fatores estão associados à genética e à bioquímica cerebral.

Narcisismo patológico e relacionamentos

Pessoas com narcisismo patológico gostam de ostentar ser mais que os outros e, para isso, desenvolvem um mecanismo psicológico, através do qual criam um falso self, uma autoimagem idealizada, mostrando ser, o que no fundo não conseguem ser.

Para sustentar essa autoimagem, o narcisista patológico aparenta ser muito confiante, cheio de si e talentoso. E, para manter essa imagem criada, a pessoa se torna manipuladora, controladora, oportunista em detrimento de afeto, empatia e sentimento genuíno pelos outros.

Mecanismo de defesa do narcisismo

O narcisismo patológico esconde uma baixa autoestima e medo da rejeição e de crítica.

Para se proteger, de forma inconsciente, o narcisista patológico cria uma armadura de grandeza e superioridade.

Quando não consegue o apreço, admiração e respeito das pessoas, ele pode reagir com raiva e frustração e, até se isolar como forma de proteção. Desse estado podem advir outros distúrbios psicológicos como ansiedade, estresse e fobias, ou até patologias mais graves.

Prejuízos do narcisismo

Quem sofre desse transtorno poder ter sua existência afetada negativamente, tanto a nível de relacionamento, como individual.

Alguns dos principais prejuízos e complicações que esse transtorno pode trazer são:

  • Dificuldades de interagir com as pessoas e ter bons relacionamentos
  • Problemas profissionais não conseguindo prosperar na carreira
  • Desequilíbrios emocionais e na saúde
  • Medos e preocupações excessivos com a imagem
  • Falta de prazer pela vida e vazio existencial
  • Problemas financeiros e dificuldade de prosperar

Como os narcisistas se relacionam com os outros

É possível delinear alguns traços marcantes da forma dos narcisistas se relacionarem com os demais, tais como:

  • Almeja conquistar a admiração do outro, pois a primeira coisa que o narcisista quer é o apreço alheio, é disso que a sua autoimagem se alimenta. Por isso, ele buscará despertar no outro boas impressões sobre ele, mesmo sendo fake.
  • Cria uma relação de codependência emocional
  • Uma vez que o narcisista conseguiu conquistar o afeto da pessoa, seja de amizade ou para ter um relacionamento amoroso, o próximo passo é ter o controle dessa relação, para que ele possa sempre ficar por cima ditando as regras.
  • A fim de obter o que quer e não ser contrariado, ele manipula os outros
  • Para manipular, ele pode se valer de chantagem, cobranças e julgamentos contra aquele que entrou no seu jogo, seja pessoa amiga ou relacionamento amoroso.

Com esse quadro, chega uma hora que a relação fica insustentável e, para quem se torna alvo do narcisista, é preciso sair do jogo desse controle para também não desenvolver uma patologia.

Como lidar com um narcisista

Se alguém vive uma relação com um narcisista patológico é preciso agir com lucidez e equilíbrio para lidar com a situação da melhor forma possível.

Seguem algumas recomendações para lidar com pessoa com transtorno narcisista:

  • Evite jogos de poder e manipulações, o aconselhável é não entrar em confronto e disputa com um narcisista porque ele poderá fazer de tudo para ter razão e fazer o outro se sentir culpado.
  • Tente fazer o narcisista perceber que a relação está em desequilíbrio e que dessa forma não é possível continuar.
  • Se não houver espaço para o respeito e a compreensão, talvez o melhor caminho seja sair da relação.
  • No caso da relação amorosa, se ainda houver uma chispa de amor, o recomendável é procurar ajuda de um psicoterapeuta para o casal ter a devida orientação, a fim de superar esse problema

Como fugir de um narcisista

Para sair da relação com um narcisista, seja de amizade, namoro ou casamento pode ser necessário:

  • Procurar um momento oportuno para expor como se sente nessa relação e explicitar que não dá mais para continuar
  • Pedir para os amigos e familiares do narcisista que o incentive a buscar ajuda de um terapeuta e o estimule a ver a situação com mais lucidez
  • Ter em mente que a pessoa narcisista precisa querer mudar e que se encaixar no delírio de grandeza do outro não irá resolver.

Tratamento de narcisismo patológico

O tratamento para esse transtorno é baseado na terapia cognitiva-comportamental, que requer tempo de tratamento e habilidade do terapeuta para lidar com o paciente narcisista.

Vale salientar que as terapias antidepressivas tradicionais não têm efeito sobre o narcisismo.

Na terapia cognitiva-comportamental, enquanto o paciente não se dá conta do seu  perfeccionismo, dos seus sentimentos de privilégio e grandiosidade, o terapeuta evita colocar em evidência esses comportamentos, tratando-o com empatia e paciência.

Outra forma de tratamento para o transtorno narcisista é a psicanálise, como por exemplo, a que usa o modelo de psicologia do self de Kohut, inclusive mostrada e descrita neste estudo.

Heinz Kohut foi um psicanalista que percebeu que todos desejamos ser perfeitos e, com uma educação adequada, essa ideia pode ser trabalhada de forma saudável.

Para Kohut, as necessidades de self no paciente narcisista, não foram satisfeitas durante a infância e, por isso, ele depende dos outros para reforçar sua autoestima.

A principal finalidade da psicoterapia nestes casos é conduzir os pacientes narcisistas à comportamentos de mudança, tendo como base a aceitação da responsabilidade pelas próprias ações e aprender a interagir de forma mais consciente, como por exemplo:

  • Manter relacionamentos sem imposição e controle
  • Saber lidar com críticas e aceitar as próprias contradições
  • Compreender as próprias falhas
  • Modular as emoções de forma construtiva
  • Sair da necessidade de viver para manter a autoimagem idealizada e tudo que diz respeito a ela: reputação, fantasias, crenças e metas irreais
  • Desenvolver a empatia 
  • Se ver como realmente se é

Algumas conhecimentos e ações podem ajudar pessoas com transtornos psicológicos a perceberem seus mecanismos e a se libertarem deles.

Saiba mais em:

Desenhando o Transtorno de Personalidade Narcisista

Para ilustrar tudo que foi explicado acima, seguem dois vídeos que esclarecem e ilustram esse transtorno:

Este primeiro vídeo é do canal Minutos Psíquicos:

Este outro vídeo é do canal Zona de Conhecimento:

Somente um especialista pode diagnosticar

Mesmo sabendo dos sinais e critérios que podem indicar esse transtorno, somente um especialista tem a formação e experiência para diagnosticar o Transtorno da Personalidade Narcisista.

Além disso, é preciso tomar cuidado e não sair rotulando os outros, caso perceba alguns dos comportamentos listados neste conteúdo.

Vale também lembrar que cada um de nós tem um grau de narcisismo, que pode vir a se tornar uma patologia, se por algum motivo passarmos por algum trauma ou problema existencial.

Nesse contexto, precisamos primeiramente estar atentos a nós mesmos. Dessa forma, poderemos saber lidar melhor com os outros.

Para mais conteúdos que ajudem nesse objetivo, talvez te interesse ler também:

Como se proteger das energias negativas: Veja as dicas

Como e por que elevar sua vibração: benefícios físicos e espirituais

Ganhe anos-luz de sabedoria conhecendo a dimensão do universo e a importância do ser humano

Conexão Mãe Terra – Mãe Natureza: como entrar em contato com nossa origem

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *