Narcisistas no trabalho: como lidar com pessoas competitivas e egocêntricas ao extremo

Narcisistas no trabalho: como lidar com pessoas competitivas e egocêntricas ao extremo

O narcisismo está em alta em nossa sociedade competitiva, movida a aparência e publicidade. Até quem não é narcisista, acaba se tornando um. Por isso, este conteúdo traz diversos estudos que evidenciam como o narcisismo tem influenciado e repercutido nas lideranças das empresas, ambiente de trabalho, nas áreas profissionais e sociais.

Já abordamos em outros conteúdos aqui no greenMe, o que é e como se comporta um narcisista, as dimensões e os tipos de narcisismo e, agora, veremos o comportamento e o desempenho dos narcisistas nas empresas e nos postos de trabalho.

A liderança narcisista

Em termos científicos, pouco se sabia sobre como os narcisistas, com seus excessivos egocentrismo, vaidade e arrogância, chegam a ocupar posições elevadas, como por exemplo, CEOs de grandes empresas e organizações.

No entanto, novos estudos vêm tentando esclarecer essa questão, para ajudar a encontrar melhores formas de conduzir o trabalho e a gestão de empresas e organizações onde possam haver pessoas narcisistas.

O que se sabe, de fato, é que o narcisismo possui várias facetas e formas de expressão e, neste contexto, existe inclusive o paradoxo narcisista, que de um lado apresenta facilidade de ocupar altos cargos e, por outro, tem dificuldade de se relacionar satisfatoriamente no ambiente de trabalho.

Sob essa ótica, pode-se usar como exemplo a queda da empresa Enron em 2001, analisada neste estudo que relaciona a falência da empresa com várias ações características do narcisismo promovidas por seus gestores.

Autopromoção narcisista facilita o alcance a altos cargos

Para estabelecer a relação entre o narcisismo e a ocupação de altos cargos, pesquisadores compararam os níveis de narcisismo em 241 CEOs, utilizando questionário, em conjunto ao histórico de carreira deles.

Para avaliar os CEOs, a equipe pesquisadora utilizou o questionário Narcissistic Personality Inventory (NPI), que foi originalmente desenvolvido em 1979 pelos pesquisadores norte-americanos Robert Raskin e Howard Terry.

Esta pesquisa, publicada na revista The Leadership Quarterly, foi conduzida por Paola Rovelli, professora assistente da Universidade Livre de Bozen-Bolzano, e Camilla Curnis, estudante de doutorado da Universidade Politécnica de Milão.

Estas pesquisadoras descobriram que os executivos que obtiveram pontuações mais altas em narcisismo eram promovidos mais rapidamente.

O resultado dessa pesquisa evidencia que indivíduos narcisistas se beneficiam da autopromoção para alcançar posições de liderança nas empresas.

Teste de Personalidade usado na pesquisa

Conheça o Inventário de Personalidade Narcisista, o teste utilizado na pesquisa:

Introdução

Este é um teste de personalidade para ajudá-lo a aprender mais sobre si mesmo.

Leia as instruções abaixo.

Instruções

Existem 40 afirmações em pares, escolha a que mais se aproxima dos seus sentimentos:

  1. A. Tenho um talento natural para influenciar pessoas.  B. Não sou bom em influenciar pessoas.
  2. A. A modéstia não me convém. B. Sou essencialmente uma pessoa modesta.
  3. A. Eu faria quase tudo em um desafio. B. Tenho tendência a ser uma pessoa bastante cautelosa.
  4.  A. Quando as pessoas me elogiam, às vezes, recebo envergonhado. B. Eu sei que sou bom porque todo mundo fica me dizendo.
  5. A. A ideia de governar o mundo me assusta, como o inferno. B. Se eu governasse o mundo, seria um lugar melhor.
  6. A. Normalmente consigo me livrar de qualquer coisa. B. Tento aceitar as consequências do meu comportamento.
  7. A. Eu prefiro me misturar com a multidão. B. Gosto de ser o centro das atenções.
  8. A. Serei um sucesso. B. Não estou muito preocupado com o sucesso.
  9. A. Não sou melhor, nem pior do que a maioria das pessoas. B. Eu acho que sou uma pessoa especial.
  10. A. Não tenho certeza se seria um bom líder. B. Eu me vejo como um bom líder.
  11. A. Eu sou assertivo. B. Eu gostaria de ser mais assertivo.
  12. A. Gosto de ter autoridade sobre outras pessoas. B. Não me importo de seguir ordens.
  13. A. Acho fácil manipular as pessoas. B. Não gosto quando me vejo manipulando as pessoas.
  14. A. Eu insisto em obter o respeito que me é devido. B. Normalmente recebo o respeito que mereço.
  15. A. Eu particularmente não gosto de exibir meu corpo. B. Gosto de exibir meu corpo.
  16. A. Posso ler as pessoas como um livro. B. As pessoas às vezes são difíceis de entender.
  17. A. Se me sinto competente, estou disposto a assumir a responsabilidade na tomada de decisões. B. Gosto de assumir a responsabilidade por tomar decisões.
  18. A. Eu só quero ser razoavelmente feliz. B. Eu quero ser algo aos olhos do mundo.
  19. A. Meu corpo não é nada especial. B. Gosto de olhar para o meu corpo.
  20. A. Tento não ser um exibicionista. B. Normalmente vou me exibir se tiver a chance.
  21. A. Eu sempre sei o que estou fazendo. B. Às vezes, não tenho certeza do que estou fazendo.
  22. A. Às vezes dependo das pessoas para fazer as coisas. B. Raramente dependo de outra pessoa para fazer as coisas.
  23. A. Às vezes, conto boas histórias. B. Todo mundo gosta de ouvir minhas histórias.
  24. A. Espero muito de outras pessoas. B. Gosto de fazer coisas para outras pessoas.
  25. A. Eu nunca estarei satisfeito até que receba tudo que mereço. B. Aceito minhas satisfações conforme elas vêm.
  26. A. Os elogios me envergonham. B. Gosto de ser elogiado.
  27. A. Tenho uma forte vontade de poder. B. O poder, por si só, não me interessa.
  28. A. Não me importo com novos modismos e modas. B. Eu gosto de começar novos modismos e modas.
  29. A. Gosto de me olhar no espelho. B. Não estou particularmente interessado em olhar para mim mesmo no
    espelho.
  30. A. Eu realmente gosto de ser o centro das atenções. B. Fico desconfortável em ser o centro das atenções.
  31. A. Posso viver minha vida da maneira que quiser. B. As pessoas nem sempre podem viver suas vidas em termos do que elas querem.
  32. A. Ser uma autoridade não significa muito para mim. B. As pessoas sempre parecem reconhecer minha autoridade.
  33. A. Eu preferiria ser um líder. B. Faz pouca diferença para mim se eu sou um líder ou não.
  34. A. Vou ser uma ótima pessoa. B. Espero ter sucesso.
  35. A. As pessoas às vezes acreditam no que eu digo à elas. B. Posso fazer qualquer pessoa acreditar em qualquer coisa que eu quiser.
  36. A. Sou um líder nato. B. Liderança é uma qualidade que leva muito tempo para ser desenvolvida.
  37. A. Eu gostaria que alguém, algum dia, escrevesse minha biografia. B. Não gosto que as pessoas se intrometam em minha vida, por nenhum motivo.
  38.  A. Fico chateado quando as pessoas não percebem minha aparência, quando vou em público. B. Não me importo de me misturar à multidão, quando saio em público.
  39. A. Eu sou mais capaz do que outras pessoas. B. Posso aprender muito com outras pessoas.
  40. A. Eu sou muito parecido com todo mundo. B. Eu sou uma pessoa extraordinária

Pontuação:

Para cada uma das alternativas abaixo em que você respondeu A, dê 1 ponto:

1, 2, 3, 6, 8, 11, 12, 13, 14, 16, 21, 24, 25, 27, 29, 30, 31, 33, 34, 36, 37, 38, 39

Para cada uma das alternativas abaixo que você respondeu B, dê 1 ponto:

4, 5, 7, 9, 10, 15, 17, 18, 19, 20, 22, 23, 26, 28, 32, 35, 40

Resultado

Se ao somar os valores respectivos das respostas dadas você obtiver uma pontuação total acima de 30 pontos, isso sinaliza um Alerta Vermelho para o Narcisismo.

Descoberta da pesquisa

Através dessa avaliação, os pesquisadores descobriram que aqueles com alto grau de narcisismo eram cerca de 29% mais rápidos na progressão de carreira até a posição de CEO, em comparação com o candidato médio ou com qualificações semelhantes, porém, modestos.

Os resultados desta pesquisa mostram que os narcisistas ainda são favorecidos na obtenção de altos cargos, apesar dos problemas que desencadeiam com seus padrões de comportamento no ambiente de trabalho das empresas.

“Nossos resultados são um tanto preocupantes”, afirmaram as pesquisadoras, Paola Rovelli e Camila Curnis, à BBC.

Elas justificaram essa preocupação com o fato de que a rápida promoção dos narcisistas pode se atrelar à falta de experiência necessária para arcar com as responsabilidades, o que pode desembocar em más decisões.

Como evitar problemas com narcisistas nas empresas

Ian MacRae, psicólogo e escritor, recomenda realizar um recrutamento de forma mais inteligente, para identificar alguém com tendências problemáticas, antes que chegue a uma posição em que onde possa causar danos.

Além disso, convém obter referências e verificações de antecedentes sobre o candidato a determinado cargo.

A segunda sugestão de Ian MacRae é fazer uso de um painel de contratação diversificado, ou seja, avaliadores com e sem status.

Tal sugestão é para observar e detectar como o candidato responde às pessoas de diferentes posições sociais.

“Os narcisistas são muito bons em ‘administrar’, mas tendem a tratar as pessoas que consideram de status inferior de maneira muito diferente. Mas se você não tem nenhuma diversidade de avaliadores no processo de contratação, é improvável que você pegue isso.”- esclareceu Ian Mac Rae à BBC.

Estudos sobre o desempenho dos narcisistas

Um estudo de 2017 descobriu que a alta avaliação dos narcisistas sobre seu próprio desempenho não correspondia às medidas objetivas de suas realizações reais.

Este outro estudo, realizado através da análise das equipes esportivas e de trabalho, descobriu que aqueles com níveis mais altos de narcisismo têm desempenho geral mais baixo e podem prejudicar significativamente o desempenho da equipe.

“Os narcisistas impedem que coisas boas aconteçam.

Com o tempo, níveis mais baixos de narcisismo resultam em equipes capazes de capitalizar totalmente os benefícios de se conhecerem.”- disse a autora principal do estudo, Emily Grijalva.

Esse outro estudo mostrou que a personalidade de um líder pode afetar a cultura organizacional de uma empresa, por que os narcisistas são menos propensos a demonstrar colaboração e integridade.

Nesse contexto, um líder narcisista pode favorecer o surgimento de uma cultura que induz as pessoas a agirem de forma menos ética e menos colaborativa

Efeitos do narcisismo a longo prazo nas empresas

As consequências a longo prazo do comportamento narcisista no ambiente de trabalho podem ser prejudiciais.

Laurie Cure, CEO da empresa de consultoria Innovative Connections com sede em Denver e autora de Leading Without Fear (Liderando sem Medo), traz uma lista de alertas vermelhos que sinalizam o comportamento narcisista no local de trabalho, como:

  • Relutância em ser desafiado ou questionado.
  • Exigência de níveis excessivos de lealdade, elogio e adoração.
  • Resistência para aceitar e incorporar feedback (comentários)
  • Não levar em consideração as opiniões de outras pessoas ou não envolvê-las em conversas sobre resolução de problemas ou mudanças.
  • Preocupar-se pouco com as necessidades dos outros, na organização ou na equipe.
  • Frequentemente, tomar decisões unilateralmente e sem envolver outras partes interessadas.
  • Exibir sinais de comportamentos narcisistas, como senso grandioso de auto importância, talento fantasioso ou arrogância.
  • Concentração na autoimagem e busca por garantir que os outros tenham um desempenho que favoreça sua imagem pública ou reputação.
  • Exigir e buscar altos níveis de poder pessoal e posição para garantir o controle.
  • Investir muito tempo e esforço para estar com indivíduos poderosos e de alto status na organização.
  • Se valer do medo, culpa, vergonha, punição e manipulação para obter obediência e controle.
  • Apresentar comportamento extremamente competitivo.
  • Receber mérito e ganhos pelo trabalho feito por outras pessoas da equipe.

Trabalhando com um narcisista

Se algum colega ou chefe de trabalho apresenta o narcisismo, primeiramente não o julgue ou rotule, mas lide com inteligência emocional, sabendo que por trás de suas atitudes existe uma necessidade de autoafirmação, impulsionada por uma carência ou desequilíbrio no desenvolvimento da personalidade.

Esta publicação da University of Groningen aponta para a necessidade de incentivar a correção dos narcisistas a fim de alcançar melhor desempenho na equipe.

Cabe aos que trabalham na gerência de uma empresa administrar situações e problemas que envolvam o narcisismo, de modo a prevenir uma atmosfera onde prevaleçam disputas, rivalidades e injustiças, provocadas pelo anseio narcisista de ser melhor e estar acima dos outros.

Vale salientar que, se bem orientadas, as características narcisistas podem ser aplicadas e moduladas de forma a ajudar no desempenho de empresa, sem prejuízo para a equipe e o ambiente de trabalho.

Para mais conteúdos que possam contribuir e beneficiar o desenvolvimento humano, talvez te interesse ler também:

Ganhe anos-luz de sabedoria conhecendo a dimensão do universo e a importância do ser humano

Resiliência: 7 princípios básicos para subir no barco virado

Pirâmide de Maslow: a Hierarquia das Necessidades e a Autorrealização

O que é espiritualidade e como ela pode nos ajudar

A importância e o poder da PACIÊNCIA. Como ser paciente nas horas certas

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *