©cottonbro/Pexels

Orgulho: a diferença entre o remédio e o veneno está na dose

Orgulho: a diferença entre o remédio e o veneno está na dose

Orgulho abre caminhos e supera montanhas porque em boa dose é autoestima. Mas esse sentimento é também mesquinho, fechado, de superioridade, impede o encontro de pessoas, sendo muitas vezes um obstáculo para a felicidade.

A diferença entre o remédio e o veneno está na dose, já dizia o médico e alquimista Paracelso, e analogamente, o mesmo acontece com o orgulho.

Existe uma linha muito tênue entre orgulho e o amor-próprio, pois a autoconsideração e o apego ao ego, em doses excessivas, são venenos para a alma.

O orgulho quando demasiado, vira desprezo pelos outros, arrogância e presunção, e também envenena as relações.

Para refletirmos sobre como tirar algo positivo da expressão do orgulho e perceber quando ele se torna prejudicial, seguem algumas considerações para entender e ponderar melhor essa questão.

Significado do orgulho

Orgulho é uma palavra originária do termo catalão “orgull” que designa a característica de alguém que tem um conceito exagerado de si próprio. Também tem relação com altivez, superioridade e soberba.

Na prática, a palavra orgulho pode ter sentido positivo ou não, o que irá depender do contexto e de como esse sentimento é expresso.

Em um contexto positivo, orgulho representa respeito e honra, como por exemplo:

Um pai quando admira o desempenho e sucesso do filho diz:

Sinto orgulho de você meu filho!

Em um contexto negativo, a palavra orgulho expressa vaidade, empáfia e presunção. Por exemplo:

Tenho orgulho de ser mais que aquela gentalha!

Para que serve o orgulho

Lado positivo do orgulho: benefícios

Quando uma pessoa tem apreço e respeito por si mesma e valoriza o que faz, demonstra orgulho pelos seus feitos e por ser quem é. Nesse contexto, o orgulho assume a conotação de dignidade e autovalorização.

Hoje em dia se utiliza muito esta palavra para defender valores e princípios em que se acredita como: Orgulho Gay, Orgulho LGTBQA+ Orgulho Nacional, Orgulho Negro, Orgulho Feminino e por aí vai.

Nesses exemplos, a palavra orgulho assume o sentido de respeito, dignidade e valorização daquilo que se defende como princípio, como direito de ser e de se expressar quem se é.

O lado negativo do orgulho

Pelo lado negativo, quando em excesso e mal utilizado,  o orgulho pode virar

  • megalomania (delírio de poder)
  • mitomania (assumir uma imagem ilusória)
  • narcisismo (excesso de amor-próprio e autoimagem exagerada)
  • vaidade exacerbada
  • mania de grandeza
  • ostentação
  • individualismo
  • egoísmo
  • soberba e presunção.

Pessoas com orgulho exagerado, superestimam suas qualidades, posses e feitos e se colocam acima dos demais, alimentando seus complexos de superioridade.

O orgulho exacerbado pode ser o reflexo de um mecanismo de defesa, criado pela pessoa para esconder a própria fraqueza, insegurança e vulnerabilidade.

O orgulho e a aprovação dos outros

Estudos indicam que o orgulho faz parte da evolução humana. Interessante observar que esse sentimento pode estar diretamente atrelado à aprovação e ao reconhecimento dos outros. A fórmula seria assim: quanto mais orgulho, mais reconhecimento, quanto mais reconhecimento, mais orgulho. Mas uma hora esse ciclo pode se desequilibrar.

O que várias pesquisas na área indicam é que o orgulho pode ser um fator de sucesso (muito perceptível nos esportes, por exemplo) mas ele deve ser genuíno e na medida do real porque, do contrário, se torna arrogância, um comportamento muito mal visto pela sociedade.

E é exatamente por isso que orgulho, de boa autoestima pode dar a conotação de baixa autoestima. Isso porque, quem denota superioridade pode estar camuflando seu sentimento de inferioridade.

O sentimento de orgulho faz parte da evolução humana tanto que, ao longo da nossa história, ele  marcou muitos fatos e acontecimentos.

O orgulho foi motivo de grandes guerras, como por exemplo a II Guerra Mundial, na qual Hitler, com a justificativa de estar defendendo o orgulho da pátria alemã (nacionalismo), estimulou o povo alemão a discriminar, perseguir e massacrar os judeus, e ainda se levantar contra outras nações que derrubaram a Alemanha na I Guerra Mundial.

No caso de Hitler e da nação alemã havia muito orgulho ferido e ressentimento pela miséria e opressão vivida pelos alemães em virtude da derrota e das punições impostas pelos adversários vitoriosos na I Guerra Mundial.

Como ser orgulhoso sem ser arrogante

Existem diferenças entre o orgulho arrogante e o orgulho moderado.

O orgulho quando moderado, pode ser positivo, favorecer o amor-próprio, a autovalorização e a autoestima. Entretanto, quando em desequilíbrio e mal usado, se torna prepotência, arrogância, complexo de superioridade e egocentrismo.

Para não incorrer no orgulho arrogante, o recomendável é se sentir autorrealizado não pela expectativa de ter a aprovação ou o reconhecimento alheio, mas sim, por sentir prazer e satisfação pelo que se é e se realiza.

Outra questão é ter cuidado para não incorrer no orgulho ferido (ressentimento/rancor), que pode ser consequência de conflitos e disputas em relacionamentos que envolvem uma ou mais pessoas muito orgulhosas, com alto grau de expectativas sobre si mesmas e sobre os outros.

Pessoas assim ficam à mercê dos outros, dependentes de afeto e reconhecimento alheio e, quando isso não ocorre, nasce o orgulho ferido.

O orgulho na Escala de Harwkins

Harwkins foi um médico e psiquiatra que se dedicou ao estudo da relação de nosso estado vibracional com nosso nível de consciência.

Ele fez suas investigações traçando comparação das emoções com os níveis de consciência.

Nesse contexto, cada pessoa desenvolve um padrão energético e vibracional, de acordo com suas crenças, condicionamentos, ideias, pensamentos, valores, emoções, ações e vibração.

Estados como orgulho, vaidade e arrogância, ou por outro lado humildade, generosidade e compaixão, determinam o nível de consciência espiritual do indivíduo.

Para representar esses estados e os correspondentes níveis vibracionais, Harwkins criou uma escala, na qual o orgulho tem um nível vibracional mais baixo (175) que a coragem (200) e mais alto que a raiva (150).

Isto significa que uma pessoa que desenvolve a coragem, vibra de forma mais elevada do que aquela que tem o orgulho acentuado e, aquela que sente raiva, tem o nível vibracional mais baixo do que os têm orgulho como destaque.

O orgulho marca o nível de consciência em que se encontra a maior parte da humanidade atualmente.

Isso é perceptível porque a maior parte das pessoas está preocupada em atender às exigências do orgulho não genuíno, ou seja, status, dinheiro, posses, prestígio e aprovação alheia. Como se para ser alguém, de verdade, fosse necessário ter esses requisitos em detrimento da singularidade da nossa alma.

Fonte foto_ Escala de Hawkins da Consciência – Portal Zen Daat

Como o orgulho é tratado na Divina Comédia

Dante Alighieri, autor da obra A Divina Comédia, descreve o orgulho como um pecado que levou homens que tinham grande destaque na sociedade para o primeiro terraço do Purgatório.

Segundo este escritor, o Purgatório tem vários terraços e em cada um deles vão aqueles que cometeram determinado pecado para que as almas sejam purificadas.

Alguns dos cantos d’ A Divina Comédia fazem referência aos orgulhosos e soberbos, na parte do Purgatório.

Uma dessas passagens, o Canto X, conta que os poetas Dante Alighieri e Virgílio ao chegar em no primeiro terraço do Purgatório se depararam com  os soberbos e orgulhosos andando encurvados sob o peso de enormes pedras.

Esse terraço era íngreme e da largura de três corpos, e em suas paredes de mármore, havia enormes esculturas simbolizando humildade.

em uma outra passagem, o Canto XI, os orgulhosos e cheios de soberba são descritos por Dante Alighieri como parecidos com aquelas esculturas de  pedras que sustentam colunas, com o tórax rendido e os músculos todos arqueados pelo excesso de esforço para sustentar o peso (do orgulho, que ostentavam enquanto vivos).

Fonte foto

Descrição da ilustração: Os orgulhosos, o terraço do Purgatório, carregando seus pecados nas costas.
Ilustração de Gustave Doré (século XIX).

Frases sobre orgulho

Sábios e pensadores de todos os tempos refletiram a respeito dos efeitos do orgulhos sobre o ser humano.

Veja 13 frases proferidas por grandes Pensadores da Humanidade, para refletir sobre o orgulho:

Pouco conhecimento faz com que as pessoas se sintam orgulhosas.

Muito conhecimento, que se sintam humildes.

É assim que as espigas sem grãos erguem desdenhosamente a cabeça para o céu, enquanto que as cheias as baixam para a terra, sua mãe.

Leonardo da Vinci

Que o teu orgulho e objetivo consistam em pôr no teu trabalho algo que se assemelhe a um milagre.

Leonardo da Vinci

Os infinitamente pequenos têm um orgulho infinitamente grande.

Voltaire

Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.

Santo Agostinho

O orgulho é a fonte de todas as fraquezas, porque é a fonte de todos os vícios.

Santo Agostinho

As coisas mais mesquinhas enchem de orgulho os indivíduos baixos.

William Shakespeare

O orgulho não quer dever e o amor-próprio não quer pagar.

François La Rochefoucauld

O silêncio é por vezes o maior orgulho que se pode mostrar.

Bjornstjerne Bjornson

Muitos são orgulhosos por causa daquilo que sabem; face ao que não sabem, são arrogantes.

Johann Goethe

O orgulho divide os homens, a humildade une-os

Henri Lacordaire

O orgulhoso prefere perder-se a perguntar qual é o seu caminho.

Winston Churchill

Agradar a si mesmo é orgulho; aos demais, vaidade.

Paul Valéry

O orgulho é o complemento da ignorância.

Bernard Fontenelle

O homem modesto tem tudo a ganhar e o orgulhoso tudo a perder: é que a modéstia tem sempre a ver com a generosidade e o orgulho com a inveja.

Antoine Rivarol

Humildade X Orgulho

Segue uma curta reflexão sobre a importância da humildade como contraponto ao orgulho:

Se o orgulho enaltece, a humildade eleva

Se o orgulho destaca, a humildade expande

Se o orgulho evidencia, a humildade transborda

A humildade impede que o orgulho se torne um veneno e equilibra os dois lados da balança. Por isso, quando sentir que o orgulho está a querer te dominar, ponha o justo peso da humildade, em um dos lados da balança, pois é fato que, diante da grandeza do Universo, somos pequeninos.

É necessário lucidez, simplicidade, auto-observação e meditação para ser verdadeiramente humilde.

A humildade nos faz reconhecer que somos integrados ao Todo e não separado dele. E que não somos maior que ele (todo) e nem mais que ninguém (parte).

Veja outros conteúdos sobre viver em equilíbrio em:

Amor próprio: 10 atitudes para se amar cada vez mais e sempre!

Autoestima se desenvolve, não se ensina

Aprenda a elevar sua autoestima com o filósofo Michel de Montaigne

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *