Povos da Floresta

Selo Origens Brasil® de transparência e respeito à produção nativa brasileira

O selo Origens Brasil®, lançado no último 22 de março, foi criado para dar maior transparência às cadeias produtivas da floresta, respeitando suas origens e forma de fazer, vinculando cada produto à população tradicional que o origina. Dessa maneira busca-se reconhecer, divulgar e respeitar os Territórios de Diversidade Socioambiental, como o Xingu, e protegendo suas origens e produtores no mercado de venda.

Berta Cáceres - líder indígena hondurenha assassinada

Berta Cáceres foi uma líder indígena hondurenha que lutou bravamente pelos direitos humanos de seus conterrâneos, a etnia Lenca. Berta nasceu e morreu na localidade de “La Esperanza”. Sua vida, 43 anos, durou de 04 de março de 1973 até a última quinta feira, 03 de março de 2016, quando foi assassinada a mando de seus opositores depois de ter denunciado à imprensa o assassinato de 4 indígenas de sua comunidade.

Huni Kuni: os caminhos da jiboia, um game brasileiro

Game Indigena

Huni Kuin: os Caminhos da Jiboia é o nome do novo game que virá ao mundo digital em abril. Este é um projeto de antropólogos, programadores visuais e membros do povo Kaxinawá, ou huni kuin, que quer dizer, “pessoa verdadeira”, “homens verdadeiros” ou “gente com costumes conhecidos”.

Vigília Guaraní e Kaiowá no Memorial dos Povos Indígenas

Moitará

O Moitará - Programa de Trocas Culturais, responsável pela ocupação dos Memorial dos Povos Indígenas (MPI) que ocorreu no último trimestre de 2015, volta agora com a promoção dos encontros rituais na Vigília Guarani e Kaiowá.

Os índios e o céu: as bases da mitologia indígena brasileira

Conhecer o céu, o movimento dos astros, o caminho do sol, a fase da lua, o brilho das estrelas e, especialmente, os desenhos que as estrelas fazem no céu noturno, as constelações - todas as sociedades humanas, em todas as épocas, se socorreram deste conhecimento, a astrologia, e suas interpretações e correlações, para entenderem melhor o mundo em que vivemos. Mas não só!

Os Jurunas, Belo Monte e a defesa da natureza

Juruna

Belo Monte girou sua turbina, encheu o primeiro reservatório e se deparou com “mulheres indígenas que vivem há 10 km da barragem principal da usina que bloquearam o acesso de trabalhadores para pleitear uma reunião com a empresa Norte Energia sobre os danos causados pelo enchimento do reservatório. A usina está há quatro anos em construção no Rio Xingu (PA).” nos conta o Instituto Socioambiental.