Gordura nas axilas: como acabar com aquela gordurinha chata

Gordura nas axilas: como acabar com aquela gordurinha chata

Ainda que o estereótipo que associa beleza e magreza vigore na nossa sociedade, cada vez mais vemos a diversidade dos corpos. E o verbo aqui é “ver” mesmo, porque os nossos olhos precisam enxergar a pluralidade do mundo para que combatamos preconceitos.

Quando os corpos reais se deixam ver, percebemos que eles se parecem com os nossos, e não com aqueles photoshopados das capas de revista. Sobretudo para nós, mulheres, essa representatividade é fundamental porque a publicidade, há anos, vem passando por naturais corpos que receberam algum tipo de intervenção tecnológica.

Várias marcas estão contratando modelos “gente como a gente” e nas passarelas pessoas com diferentes biotipos têm ganhado espaço. No início deste mês, a marca de lingerie da cantora Rihana deu o que falar em um desfile para “mutimulheres”.

Apesar de essa libertação estar ocupando cada vez mais a vida e as redes sociais, às vezes temos uma gordurinha de que não gostamos muito esteticamente, e que pode até revelar um problema de saúde.

O que é aquela gordurinha nas axilas

Muita gente se sente desconfortável com aquela gordurinha nas axilas.

Essa dobra, localizada entre a axila e as mamas, pode ser difícil de ser eliminada, mesmo com a prática de atividades físicas.

Até mulheres magras costumam tê-la, ou seja, é um tipo de gordura democrática.

Quais são as suas causas

As causas da gordura localizada na axila podem ser várias, segundo especialistas, podem estar relacionadas a:

  • Maus hábitos alimentares
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Genética
  • Tabagismo
  • Bebidas alcoólicas
  • Uso de roupas e sutiãs muito apertados

Mama axilar ou polimastia: uma “gordura” séria

Essa gordurinha nas axilas pode não ser na verdade uma gordura, e sim, algo mais sério. Por isso, é preciso saber diferenciar a gordura da polimastia.

Também conhecida como mama axilar ou mama acessória, trata-se do desenvolvimento da glândula mamária fora das mamas.

Quando o feto está no embrião, as glândulas mamárias se distribuem em uma área que vai da axila à região genital. Elas vão se atrofiando, mas em algumas pessoas isso não ocorre plenamente, ficando um resquício nessa linha inicial, gerando a mama acessória, que pode permanecer na região axilar, abdominal ou pélvica.

Quando localizada na axila, apresenta as seguintes características:

  • Presença de glândula nas axilas unilateral ou bilateral;
  • Dores e sensação de inchaço no local, principalmente no período pré-menstrual;
  • Saída de leite quando há amamentação pelas mamas habituais.

Embora em muitos casos a polimastia cause apenas um desconforto estético ou físico, ela pode se desenvolver para um câncer.

De acordo com a cirurgiã plástica no Hospital de São José, em Lisboa, Ana Silva Guerra, esse tumor “corresponde a 0,3% de todos os tumores da mama (região axilar predominantemente)”, como informa o Cofina Media.

A especialista explica que é preciso que a mama acessória se desenvolva completamente para que seja removida, pois ela pode voltar a crescer.

Entretanto, o oncologista Rodrigo Nery alerta que remover a mama acessória, caso ela não apresente nenhum risco à saúde, não é garantia para evitar um câncer. Se os exames das mulheres estiverem normais, a não ser que haja um incômodo estético, o especialista afirma que não é preciso ter receio sobre esse risco.

Cirurgias e tratamentos estéticos 

A gordurinha nas axilas se deposita, inclusive, em mulheres magras, que se exercitam e fazem procedimentos estéticos, como a atriz Luana Piovani, que decidiu fazer uma lipoaspiração na região.  O cirurgião Wendell Uguetto, que a operou, contou ao Mulheres da Pan que:

“Pode haver gordurinha localizada em dois lugares especificamente: um deles é bem na região da axila, glandular. O outro é acima da axila, na junção do peitoral com o braço, há mais acúmulo de gordura. Praticamente 90% das pacientes que vêm fazer lipo pedem pra mexer nessa região também porque incomoda com biquíni, blusinha aberta… fica a gordurinha saltando”.

Para quem acha muito arriscado fazer uma cirurgia, existem outros tratamentos para reduzir essa gordurinha incômoda.

Intradermoterapia

A intradermoterapia é um processo pouco invasivo que trata a gordura localizada e ainda promete combater estria e flacidez. O tratamento consiste na aplicação de enzimas que auxiliam na absorção da gordura. Os resultados começam a aparecer depois da quinta sessão. Cada uma custa, em média, de R$ 100 a R$ 250.

A dica é procurar recomendações e conselhos de pessoas que fizeram este tratamento, antes de escolher esse método.

Minispeed

A Minispeed é um aparelho que faz uma ressonância para mapear a área com gordura para rompê-la em um processo chamado lipólise, que é o esvaziamento das células de gordura com a liberação de ácidos graxos e glicerol, o que facilita a transformação dessa gordura em fonte de energia.

Cada sessão dura cerca de 20 minutos e, dizem, que os resultados já aprecem na primeira sessão, mas podem ser necessárias mais, a depender de cada caso.

A má notícia é que cada sessão do procedimento custa, em média, R$ 650, portanto, ainda mais nesse caso, vale a pena investigar sobre a eficácia nos resultados.

Acontece que a gordura quebrada no processo de lipólise, se não queimada em forma de energia, pode voltar. Como explica a biomédica Caroline Araújo, a gordura não desaparece como mágica (na urina ou nas fezes) como muitos anunciam.

Carboxiterapia

É um procedimento que usa pequenas agulhas para injetar gás carbônico nas áreas com gordura, promovendo a melhora da circulação sanguínea. Isso faz com que as células de gordura sejam quebradas e mais facilmente eliminadas.

Aqui também não existem milagres.

Hidrolipo

Trata-se de um tipo de lipoaspiração mais branda, realizada com anestesia local. O cirurgião plástico e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Newton Roldão, explica que a hidrolipo é uma lipoaspiração com infiltração de líquidos.

“Para a realização da hidrolipo, marca-se uma área no corpo do paciente de aproximadamente 20 x 20 cm. Infiltra-se com soro e anestésicos e realiza-se a aspiração com seringa ou com lipoaspirador a vácuo”.

A hidrolipo é indicada apenas para pacientes que têm pouca gordura localizada. A sessão dura cerca de uma hora e custa de R$1.500 a R$5.000. Os resultados aparecem logo, mas é preciso fazer drenagem linfática, porque a região fica inchada devido à infiltração de líquidos.

É um procedimento mais invasivo portanto fale com o médico e tire todas as suas dúvidas antes de optar por esse método.

Ginástica e massagem

Além de fazer bem para a saúde, esse é o método mais natural para perder gordura.

Vamos combinar que tratamentos estéticos seriam maravilhosos se não fossem caros e muitas vezes ineficientes. Existe um grande mercado por trás deles e é preciso ficar de olho para não comprar gato por lebre. Desconfie de quem vender o tratamento como milagroso. A gordura nas axilas, assim como toda gordura, é difícil de eliminar. Talvez seja necessário fazer ginástica, massagem e, eventualmente, algum tratamento estético (escolhido a dedo).

A fisioterapeuta Luana Coelho compartilhou uma técnica de automassagem que ajuda a modelar a região axilar e eliminar essa gordurinha persistente.

Não custa nada tentar!

 

Já a personal trainer Carol Borba ensina um treino de peitoral para acabar de vez com a gordura na axila chamado “sovaco suicida”.

Segundo a profissional, se seguido com disciplina, os resultados começam a aparecer em cerca de um mês.

Qualquer tratamento estético deve ser escolhido com base na sua eficiência e na qualidade do profissional que irá realizá-lo. De nada adianta apelar para um procedimento estético se o seu estilo de vida não comporta atividades físicas e uma alimentação equilibrada. Apostar nesse combo certamente é a melhor alternativa para perder gordurinhas indesejadas e, principalmente, ter uma vida saudável.

Talvez te interesse ler também:

A gordura nos trouxe até aqui. Hoje no mundo existem mais obesos que famintos

Whey protein: dando uma força para a malhação. Benefícios e como escolher

Aproveite a quarentena para ficar em forma com esses vídeos

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *