angico
angico

Angico – Benefícios e propriedades. Mas para que serve?

Angico é nome comum de diversas espécies arbóreas nativas da América Tropical e Subtropical. Uma grande parte dos angicos são brasileiros – uma árvore de boa madeira usada na construção civil, resistente a fungos e insetos por ser amarga. Mas, os angicos também têm uso medicinal, ainda que não comprovado cientificamente, com vasta experiência empírica.

O QUE É ANGICO

Com o nome de angico são designadas espécies arbóreas dos gêneros Piptadenia, Parapiptadenia e Anadenanthera da sub-família Mimosoideae.

São exemplos de angicos as espécies abaixo:

BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES DO ANGICO NA MEDICINA POPULAR

O uso dos angicos na medicina popular é feito através da extração dos princípios ativos curativos pela casca ou pela goma (resina), por infusão, xarope, maceração ou tintura.

A casca dos angicos é rica em taninos, mucilagens e alcalóides que têm ação medicinal hemostática, depurativa, adstringente, cicatrizante e emulsificante peitoral sendo muito indicada para tratar:

  • tosses, coqueluche
  • doenças sexuais, problemas uterinos
  • contusões
  • reumatismo
  • proteção ao fígado e depuração

O angico-branco (Anandenanthera colubrina e a Parapiptadenia rigida) e o vermelho (Anandenathera macrocarpa), o angico-do-cerrado (Anandenanthera falcata) são os mais usados na medicina popular ou, pelo menos, os mais documentados para este uso.

O uso medicinal do angico é empírico, porém, em todas as regiões onde há angico, ocorre uso medicinal de todas essas espécies com semelhante denominação comum.

Os angicos também são predominantes no uso ritualístico de diversas tribos indígenas tanto da América do Sul como do Caribe e, supõe-se que este uso específico se deve ao seu conteúdo em um alcalóide psicoativo, a bufotenina (5-OH-DMT)

PARA QUE SERVE E COMO USAR ANGICO PARA FINS MEDICINAIS

  • xarope da casca: tratamento de diarreias e anginas
  • banhos de assento de chá de casca: tratar gonorreia e leucorreia
  • goma dissolvida: tratar doenças respiratórias (asma, bronquite e tosse)
  • chá da casca: para resfriados, gripes e catarro de peito, faringite e inflamações pulmonares, debilidade orgânica, raquitismo
  • tintura de casca: reumatismo

POSOLOGIA

As posologias de uso mais comuns são :

Adultos: 20 ml de tintura da casca diluída em 5OO ml de água para compressas em ferimentos e lavagens vaginais;

5g de erva fresca (1 colher de sobremesa para cada xícara de água) de cascas ou goma em decocto (trato respiratório) até 2 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs;

Banhos, gargarejos e lavagens são feitos com 50g de cascas frescas em 11 de água.

CONTRAINDICAÇÕES E CUIDADOS NO USO DO ANGICO

O angico e seus derivados é totalmente contraindicado para crianças (absolutamente proibido para os menores de 6 anos), grávidas, lactantes e idosos ou todos aqueles que sofram de diarréia crônica.

É bastante desaconselhável o abuso nas dosagens pois podem surgir feridas nas mucosas e destruição do septo nasal por uso de poção mais forte do que a recomendada.

Ao preparar seu chá ou banho, retire as cascas após o tempo indicado para infusão a fim de que a concentração não aumente demais.

Os angicos estão catalogados como espécies vegetais tóxicas para animais (homem e gado). Suas sementes e folhas têm ação fortemente alucinógena.

Na superdosagem é preciso que se faça lavagem gastrointestinal, tratamento sintomático e monitoramento clínico.

RECEITA DO CHÁ DE ANGICO

Ingredientes:

  • 1 colher de sopa de casca de angico
  • 1 litro de água
  • Açúcar ou mel para adoçar

Modo de fazer:

Para preparar esse chá de casca de angico, ferva a água, acrescente as cascas despedaçadas, deixe ferver por 5 minutos. Retire do fogo, abafe e aguarde mais 5 minutos.

Coe para usar. Adoçar é opcional.

USO DERMATOLÓGICO DO ANGICO

A tintura ou o chá de casca de angico tem boa ação para a saúde capilar fortalecendo as raízes, reduzindo caspa e seborreia, sendo indicado no tratamento de queda de cabelos, junto com o jaborandi.

O ÓLEO DE ANGICO

Também se usa fazer um óleo de angico – não é o óleo essencial pois os angicos não são ervas aromáticas – mas sim, a extração dos princípios ativos da casca do angico por maceração em óleo vegetal ou azeite.

COMO SE FAZ O ÓLEO DE ANGICO:

Deixa-se ao sol (5 a 10 dias, variam as indicações), em um vidro fechado, um punhado de casca de angico (quanto mais picada ou lascada, melhor, pois aumenta a superfície de contato desta com o óleo), coberta por um óleo vegetal (amêndoa, girassol, coco, oliva, ou outro de sua preferência).

Usar externamente em casos de dor muscular ou reumática, catarro preso no peito, em compressa aquecida.

Existem indicações de uso interno deste óleo, em algumas comunidades, para tratar câncer mas, como já foi dito, não há qualquer pesquisa científica que comprove esse uso.

QUANDO INTERROMPER O USO

Como já citei acima, e em outros meus escritos, o uso das plantas medicinais, o que reconhecemos como medicina popular, é empírico. Algumas plantas já foram estudadas e catalogadas, outras não. O angico é uma dessas plantas pouco estudadas portanto, tenha muita atenção ao usá-la, observando as reações individuais do seu organismo. Na dúvida, ou se sentir algum mal-estar, interrompa o uso.

O uso externo do chá ou tintura de angico, como compressa para processos inflamatórios dolorosos também deve ser cuidadoso – observe a reação de sua pele, não tome sol sem proteção das áreas tratadas. Se aparecer vermelhidão, interrompa o uso imediatamente.

O ideal é usar a compressa de angico durante a noite retirando logo de manhã, banhar a região tratada, para evitar fotossensibilização.

Sobre Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é um site de informação sobre meio ambiente e saúde, criado para levar ao grande público, a consciência de que um mundo melhor é possível, através de um comportamento respeitoso com todas as formas de vida.

Veja Também

pistache

Pistache: 14 Propriedades Benéficas, Quanto e Como Consumir

Menos popular do que outras oleaginosas, como a castanha e as nozes, o pistache pode …