©Blake Layton, Mississippi State University

Essa flor contém piretrina, o inseticida natural mais mortal de todos

Essa flor contém piretrina, o inseticida natural mais mortal de todos

Considerada a flor mais mortal do mundo para os insetos, a “crisântemo assassina” é uma espécie salvadora do planeta. Veja por quê.

Para as pessoas que as colhem, a flor é totalmente inofensiva, mas para os insetos. ela é uma bomba tóxica, pois seu centro amarelo contém uma toxina natural que é um poderoso inseticida.

A planta, cujo nome científico é Chrysanthemum cinerariaefolium, foi descoberta na Pérsia por volta de 400 a.C. Sua ação poderosa inseticida se dá pelas piretrinas, (também denominadas piretro) substâncias naturais contidas normalmente nesta espécie, e que de tão poderosas que são, repelem de tudo, ajudando também a combater doenças transmitidas por mosquitos.

As piretrinas são encontradas nas cabeças das flores secas da Chrysanthemum cinerariaefolium. As flores dessa espécie de crisântemo podem ser colhidas a cada duas semanas, por isso são também fonte de renda para os produtores de piretro quase o ano todo.

O Quênia é o maior produtor de piretrina do mundo. Essa produção emprega cerca de 200.000 agricultores e a tendência é a atividade crescer cada vez mais, à medida que os pesticidas químicos vão sendo proibidos em todo lugar.

As piretrinas estão substituindo gradualmente os organofosforados e os organoclorados, compostos orgânicos usados em inseticidas, herbicidas e em gases de ação nervosa, cujos efeitos têm-se mostrado altamente tóxicos para abelhas, vida selvagem e humanos.

Veja aqui uma reportagem da National Geographic sobre o cultivo artesanal dessa flor no Quênia.

Piretrinas x piretróides

A estrutura química das piretrinas é a base para uma variedade de inseticidas sintéticos chamados piretróides. 

É possível que a piretrina seja um dos inseticidas mais antigos conhecidos pelo homem, o que sugere sua eficácia e indica sua aceitação e segurança. Elas são usadas para fabricar inseticidas naturais para controlar pragas das plantações (ácaros, formigas e pulgões) e também para serem aplicados em animais domésticos e no gado (contra pulgas, carrapatosmoscas), sem prejudicar a saúde de ninguém: humanos ou animais.

Mas a piretrina é considerada um inseticida natural somente quando não é combinada com butóxido de piperonila (PBO) ou com outros adjuvantes sintéticos, pois ela se degrada aproximadamente 24 horas após a pulverização, enquanto os piretróides têm um longo período residual após a pulverização e, portanto, são mais letais para uma gama maior de insetos do que as piretrinas.

Os piretróides não são considerados orgânicos.

Características da planta

Chrysanthemum cinerariaefolium, é uma planta perene com folhas verde-azuladas que chega a atingir de 45 a 100 cm de altura. Tem flores de pétalas brancas com centros amarelos, muito semelhantes às margaridas.

A planta ocorre na China, Japão, Coreia, América, Austrália, Quênia, Tanzânia, Equador.

Usos e benefícios

Chrysanthemum cinerariaefolium não é usada para fins medicinais, embora pesquisas tenham mostrado que as flores possuam alguma atividade antibiótica. Há também relatos de uso como vermífugo na China.

A espécie reduz a poluição do ar interno e a piretrina obtida dela está entre os inseticidas mais seguros para uso em alimentos, por isso, é considerada uma salvadora do planeta.

Como usar

Há que se ter cuidado e saber usar a piretrina pois ela pode eliminar de tudo, inclusive os insetos do bem, podendo prejudicar a biodiversidade.

Se alguém tem a flor plantada ou as encontrou secas para comprar na internet e quer fazer inseticida natural com ela, a nossa recomendação é a de estudar muito bem antes, pois sobre toxidade nunca se sabe a medida.

Os europeus aprenderam sobre os pós e as sementes dessa planta quando os persas as importaram no início do século XIX. Por isso, as sugestões de uso abaixo são desse site italiano sobre farmacologia natural

  • Colha as flores assim que desabrocharem, de preferência de manhã cedo; deixe-as secarem à sombra em local arejado e as guarde em potes de vidro em local escuro para manter suas propriedades inseticidas intactas e ativas. Mantenha o vidro fora do alcance de crianças e dos animais domésticos.
  • Quando as flores estiverem secas, é hora de moê-las até virar um pó grosso. A piretrina é feita cortando e esmagando as flores secas para obter o pó. Use máscara e luvas por precaução.
  • Aplique esse pó de flores diretamente sobre o solo ou sobre as plantas afetadas por pragas. Não dilua em água, uma vez que os ingredientes ativos nele contidos não são hidrossolúveis.
  • O pó pode ser espalhado nos cantos da casa perto de janelas, varandas, para evitar a entrada de insetos e parasitas (percevejos, baratas, moscas, mosquitos, pulgões, formigas)
  • Você pode fazer um spray usando 110 g de pó de piretro em 150 g de álcool metílico, deixe descansar por 5-10 horas, depois dilua com cerca de 5 litros de água. Armazene a mistura no escuro.
  • Borrife o spray de inseticida nas flores e plantas. É aconselhável fazer esta operação ao entardecer, para que de manhã as plantas e as abelhas se mantenham livres (a solução decompõe-se bastante rapidamente, principalmente ao sol, perdendo as suas propriedades)
  • Sempre que tocar nas flores ou no pó da planta, lave bem as mãos com água e sabão. O contato muito prolongado pode causar dermatite alérgica, rinite alérgica e asma. Também é aconselhável usar sempre luvas na hora de usar o pó. Em caso de ingestão oral, consulte imediatamente o seu médico.

Convidamos o leitor para que se aprofunde nesta pesquisa clicando nos links que usamos para montar o texto.

De fato, a piretrina tem tudo para ser a salvadora do planeta como inseticida natural, biodegradável, inócuo para humanos e mamíferos mas, mesmo assim, é preciso cautela e estudo. A diferença do remédio e do veneno está na dose.

Esperamos que vocês tenham gostado. Obrigada por ler até o final.

Talvez te interesse ler também:

Invasor e venenoso: esse peixe foi visto em Noronha pela 2ª vez em 8 dias

Relatório sobre clima global alerta para extinção da humanidade

Perigo oculto: a contaminação química por plástico no ambiente

Fonte foto: Blake Layton, Mississippi State University/Research Gate

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *