Alemanha afrouxa lockdown e segunda onda de Covid-19 pode chegar ao país

Alemanha afrouxa lockdown e segunda onda de Covid-19 pode chegar ao país

A Alemanha é um dos países com as menores taxas de mortalidade por Covid-19 da Europa. Entretanto, ela já se prepara para uma segunda onda de contágio.

É a primeira vez, desde março, que a taxa de contágio sobe na Alemanha para o índice 1. Isso significa que cada pessoa infectada pode infectar mais uma. O índice anterior, calculado em meados de abril, estava em 0,7, informa o site TG24.

Por isso, o país europeu estuda não acelerar ainda mais a flexibilização das medidas restritivas, ainda que haja pressão política e econômica para isso.

Relaxamento do lockdown

Na semana passada, a partir de 20 de abril, alguns estabelecimentos comerciais voltaram a funcionar, ainda que de forma cautelosa e gradual, com lojas de área inferior a 800 metros quadrados, concessionárias de carros, pontos de vendas de bicicletas e livrarias, que tiveram suas atividades reabertas. Mas o uso de máscaras é obrigatório em lojas e transportes públicos.

A chanceler alemã, Angela Merkel, alertou a população que existe um perigo real de infecção pelo novo coronavírus caso as medidas restritivas sejam flexibilizadas antecipadamente (além do já flexibilizado).

A Alemanha tem um dos melhores sistemas de saúde da Europa. O diretor do Departamento de Terapia Intensiva do Hospital Universitário de Aachen, Gernot Marx, disse que ainda existem muitos leitos disponíveis – cerca de 13.000 leitos de terapia intensiva dos 32.000 estão desocupados, informa o G1.

Embora o país esteja correndo o risco de uma segunda onda de contágio que poder ser mais dura do que a primeira, o presidente da companhia hospitalar DKG, Gerald Gass, garantiu que:

“A Alemanha está pronta para uma possível segunda onda”.

Enquanto isso…

Na Itália, o governo já emitiu um decreto para o relaxamento do lockdown a partir do dia 4 de maio. Alguns estabelecimentos comerciais, como livrarias e lojas de artigos para crianças, já estão funcionando. A novidade agora é que os parques serão abertos e as pessoas poderão sair para encontrar parentes e afins. Tudo ainda está meio confuso e, ao que parece, a fazer com que uma nova onda não se verifique na Itália, será a consciência das pessoas em manter as medidas de proteção pessoal.

Já no Brasil, o pico da epidemia está previsto para daqui a 2 a 9 semanas. Enquanto isso, paciência! Lembramos que ficar em casa é um privilégio (muitos não têm casa, outros não podem fazer home office e outros vivem em lugares tão apertados e insalubres que o melhor é sair de casa).

Por isso, podendo, colabore! #FiqueEmCasa

Talvez te interesse ler também:

Uma segunda onda de coronavírus no Brasil é possível, dizem especialistas

Nova onda de coronavírus em Hong Kong. Especialistas sugerem que mundo enfrentará vários ciclos de quarentena

Pesquisadores da USP criam respiradores de baixo custo para o tratamento da Covid-19

Emergência em NY após pessoas ingerirem desinfetante seguindo recomendação de Trump

Covid-19: com + de 50 mil mortos nos EUA, Trump sugere injeção de desinfetante. Brasil pode estar ainda pior

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on google