Como proteger seu animal dos fogos, bombas, buzinas e outras comemorações da Copa

Como proteger seu animal

E aquela velha situação: gol do Brasil, fogos, gritos e comemoração e seu gato, ou cachorro, vai para baixo da cama, correndo se esconder. Você sabe o por quê dessa situação?

Ruídos e o mês de junho: um caso de amor e ódio

Pode-se dizer que junho é um mês ruidoso, no Brasil. Afora as tradicionais festas que ocorrem na época, com seus gritos, músicas e fogos, em 2014, temos um reforço de peso – que segue até meados de julho – a Copa do Mundo, evento no qual os torcedores também comemoram...soltando fogos.

Embora todo o espírito comemorativo domine uma parte da população, para outros, a coisa toda não é assim “tão divertida”. Não estamos falando somente dos seres humanos – que ficam incomodados devido ao odor e ao ruído intenso, mas, sobretudo, dos animais – gatos e cachorros, com mais frequência – que ficam em pânico ao ouvir um desses barulhos altíssimos.

Razões para o medo que animais têm de ruídos intensos

Para começar, o medo que os animais domésticos apresentam de ruídos como os de fogos de artifício se justifica pelo fato de que sua audição é seis vezes mais aguçada que a humana. Por isso, há a percepção de sons de maneira mais agressiva e forte, assustando-os.

Exatamente por isso, há situações de desespero que são ocasionadas pelos fogos, com pets que ficam trêmulos, nervosos; outros que fogem sem rumo; e até mesmo sofrer com queimaduras, quando o bichinho tem contato com um desses artefatos. Engana-se quem pensa que isso só ocorra com cães e gatos, pássaros podem ter paradas cardiorrespiratórias, devido a ruídos elevados, e morrer.

Como o humano pode aliviar o estresse animal devido a ruídos

Embora os proprietários tenham bastante pena dos animaizinhos, há dúvidas sobre o que pode ser feito para que sejam prevenidos acidentes e, principalmente, o estresse. A seguir, acompanhe algumas dicas sobre cuidados que podem ser tomados para ajudar seu bichinho a passar por esse tipo de situação.

Em primeiro lugar, trazer o bicho para dentro de casa, com portas e janelas fechadas – para isolar o local, dos ruídos e também para evitar fuga descontrolada. Se você e o bichinho estiverem em um lugar alto, é muito importante que não se dê acesso a varandas e outros, pois o desespero faz com que o animal salte – principalmente no caso de gatos – em relação a pássaros, a gaiola deve ficar em um local no qual o som seja abafado.

Tente não deixar o pet sozinho em casa, pois também podem ocorrer acidentes, motivados também pelo fato de não sentir segurança, por estar longe do dono.

Deixar o bichinho escolher onde quer ficar, no interior da casa é importante. Desde que não seja um local perigoso ou incômodo, deixe-o lá, porque o fato é que buscará um ambiente para não se expor aos fogos.

Dê muito carinho e não eleve o tom de voz. Caso esteja habituado a ouvir sempre TV, rádio ou outros, deixe ligado no ambiente, pois isso ajuda a sentir familiaridade, acolhimento e distrair do perigo dos fogos. Caso os fogos sejam disparados à noite, a iluminação deverá ser ligada.

Em relação a cães, devem estar sempre sem coleira – para evitar enforcamentos – e podem ficar embaixo da cama – um refúgio predileto para eles.

Gatos, como têm a capacidade de se esgueirar por locais muito estreitos, merecem atenção redobrada. Se você perceber que há qualquer tipo de espaço no qual eles possam se alojar, busque colocar um obstáculo, para que não entre ali. Armários e/ou caixas de papelão são refúgios que podem ser oferecidos.

Para bichos mais agressivos, o ideal é deixa-los sozinhos – e protegidos – em uma queima de fogos, porque você pode sofrer ataque.

Cachorros e gatos não devem ser postos juntos nesses momentos, pois podem se atacar, mutuamente.

Dependendo do histórico de saúde do animal é necessário fazer algum tratamento preventivo, antecipando-se a momentos de queima de fogos – como os de festas juninas e a Copa – atenção maior, quando houver risco cardíaco ou convulsivo.

Enfim, a dica mais fundamental: controle-se! Imagine só, o bichinho apavorado com os ruídos externos e você ainda brigando e gritando com o pobre bichinho – além de não compreender bem o porquê de estar levando bronca, se sentirá duplamente estressado. Portanto, cuidado com isso e proteja o seu pet dos ruídos intensos de fogos de artifício!

Fonte foto: freeimages.com