Combustível do futuro: gasolina feita de lixo plástico

Combustível do futuro: gasolina feita de lixo plástico

Duas preocupações vêm tomando conta de pesquisadores e cientistas para tentar controlar os efeitos nocivos de poluição ao planeta: o desenvolvimento de novos combustíveis limpos e a  redução de lixo no meio ambiente.

Agora, surge uma ideia que resolve dois problemas de uma vez, pois pode gerar um combustível sustentável e, ao mesmo tempo, conquistar a redução de resíduos plásticos no planeta.

Isso pode ser conseguido com o combustível à base de plástico.

Um problema a ser resolvido

O descarte de plástico é bastante significativo, contribuindo para uma cadeia de poluição ambiental e de grandes danos cujas consequências se estendem, de forma cumulativa, por décadas ou mesmo um século.

Dessa maneira, há sempre a necessidade de soluções para a eliminação, limpeza e reciclagem do lixo, principalmente do plástico.

Uma das mais interessantes descobertas nesse sentido, foi feita por cientistas da Centurion University of Technology and Management Odisha, Índia. Eles conseguiram converter resíduos de polietileno em combustível líquido, e esperam um dia substituir totalmente a gasolina pelo lixo plástico retirado da natureza.

Como é o processo de fabricar combustível à base de plástico

A base é a reciclagem de sacolas plásticas e tampas de garrafas. Tais materiais são enviados a usinas geradoras que processam os resíduos por meio de aquecimento e quebra dos compostos químicos existentes em suas estruturas.

Desse processo, resulta um composto químico com a geração de moléculas próximas às existentes nos combustíveis gerados pelas industriais petrolíferas.

Isso ocorre com o emprego de um reator e um condensador para a fração do plástico, sendo produzidos para cada quilo de plástico, 700 gramas de combustível.

E esse processo também já está sendo realizado no Brasil. Porém, em pequena escala, devido às restrições das usinas de reciclagem adequadas.

Talvez te interesse ler também:

 

Lixo eletrônico no mundo pesa mais que Muralha da China

Lixo Zero: batata frita servida na embalagem feita da própria casca

Lixão têxtil a céu aberto no Chile é a nova paisagem do deserto do Atacama

Natal sustentável: como reduzir o impacto das festas

Plástico pandêmico: 26 mil toneladas de lixo da Covid poluindo os oceanos do mundo

Ecopontos: 10 cidades brasileiras terão espaços para descarte de lixo eletrônico

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *