Criminoso: Brasil pode virar o primeiro país “fora da lei do clima”

Criminoso: Brasil pode virar o primeiro país “fora da lei do clima”

Na semana passada, o candidato democrata à presidência, Joe Biden, fez pronunciamento em Wilmington, Delaware, afirmando que os Estados Unidos voltarão ao Acordo de Paris, tratado que rege medidas de redução de emissão de gases estufa para conter o aquecimento global.

“Hoje, a administração Trump deixou oficialmente o Acordo Climático de Paris. E em exatamente 77 dias, o governo Biden se reunirá a ele”,

afirmou Biden, enquanto os votos ainda estão sendo contados em uma disputa acirrada contra o atual presidente Donald Trump, embora as agencias públicas do governo já declarem Biden tecnicamente vencedor e a maioria dos líderes mundiais já tenham reconhecido a vitória antecipadamente.

Trump anunciou em 2017 que os EUA deixariam o acordo porque ele prejudica a economia americana.

Em 2015, o governo Obama havia se comprometido a reduzir a emissão de carbono em até 28%.

Dentre as medidas anunciadas por Biden, está um plano de US$ 1,7 trilhão para que os Estados Unidos alcancem uma marca de zero emissão de carbono até 2050.

Criminosos do clima

Essa semana, o site de notícias americano Vox informou que Biden planeja rotular os países que não abordarem as mudanças climáticas como “criminosos do clima”.

Segundo o jornal, Biden apresentou um ambicioso plano climático e sua administração planeja “nomear e envergonhar os fora-da-lei globais do clima” em um novo “Relatório de Mudança Global do Clima”, a fim de “responsabilizar os países pelo cumprimento ou não cumprimento dos compromissos de Paris e por outras medidas que promovam ou minem as soluções climáticas globais”.

E o Brasil pode estar no topo da lista

Durante os debates presidenciais americanos, Biden disse que quer reunir países para arrecadar dinheiro para doar ao Brasil para proteger a Amazônia, ressaltando que haveria graves consequências se o Brasil não parasse com suas políticas de desmatamento.

Aqui no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro, reagiu como de costume, de forma nada diplomática, para se dizer o mínimo, avisando Biden “quando acabar a saliva, tem que ter pólvora”.

Veja a fala do presidente neste vídeo publicado no Twitter:

A fala do presidente rapidamente virou meme, porque todos sabemos que nenhum país deve ameaçar o outro, ainda mais citando pólvora, quiçá quando esse país não tem poderio bélico nem financeiro para suportar uma guerra com os EUA, maior potência do mundo.

Nunca é demais lembrar que o Brasil vem batendo todos os recordes de desmatamento de floresta e queimadas desde 2019, início do governo Bolsonaro.

Nunca é demais lembrar também que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou em reunião ministerial que iria aproveitar a pandemia do coronavírus para passar a boiada e abrir as porteiras para permitir a exploração e degradação ambiental.

Se for confirmada a vitória do Biden, e tudo indica que será, haverá graves consequências se o Brasil não parar com suas políticas de desmatamento.

Talvez te interesse ler também:

Major: o primeiro cachorro resgatado a entrar na Casa Branca

Kamala Harris defende redução do consumo da carne e outras medidas para salvar o planeta

Vote bem: um guia para votar consciente nestas eleições

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *