Professora de yoga morre aos 101 anos deixando um valioso legado

Ela praticou yoga e dançou até o último momento. Foi assim que Tao Porchon-Lynch viveu a vida, até a sua despedida final aos 101 anos, na última sexta-feira.

Tao Porchon-Lynch era a professora de yoga mais antiga do mundo. Viveu toda a vida dedicada à prática, como mostra a sua página no Facebook.

Porchon-Lynch nasceu na Índia, onde também foi modelo e atriz, tendo estrelado o famoso remake de “O Ladrão de Bagdá”, de 1940.

Ela praticou yoga por cerca de 70 anos e começou a dançar competitivamente aos 87 anos. Faz parte da sua biografia, ainda, ter marchado duas vezes ao lado de Mahatma Gandhi.

Ela seguiu dançando em competições mesmo após de passar por três cirurgias de quadril. E para aqueles que se perguntam como ela conseguiu permanecer tão ativa depois de tudo isso, a professora simplesmente dizia: “Porque eu estou no comando”.

Na semana de seu falecimento, ela praticou yoga e viveu com alegria e serenidade. Uma vida esplêndida dedicada às suas paixões e às muitas pessoas que compartilharam de sua jornada.

“O sopro da vida está bem dentro de nós. Sinta a dança da vida dentro de você e saiba que nada é impossível “, deixa Tao como legado.

Talvez te interesse ler também:

Ballet adulto → Quem dança os males espanta! Nunca é tarde para começar

Yoga Restaurativo: contra o estresse e a agitação da vida moderna

Tartaruga: animal símbolo da longevidade. Lendas e Significados

About Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.
Previous Bebês nascem altruístas, dispostos a dividir comida. Uma sociedade mais justa é possível, revela estudo
Next Os novos chineses: “exportadores de coronavírus”, italianos sofrem preconceito

Check Also

ioga

15 Regras que Todo Praticante de Yoga Deveria Seguir

Yoga faz bem e é adapta a todos. Não se trata apenas de treinamento físico, …