Vacina bilionária: Pfizer, BioNTech e Moderna faturam 65 mil dólares por minuto

Vacina bilionária: Pfizer, BioNTech e Moderna faturam 65 mil dólares por minuto

Com a nova determinação de aplicação de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19, uma discussão torna-se cada vez mais necessária: o quanto as farmacêuticas detentoras da tecnologia de criação desses imunizantes estão lucrando.

Em um sistema capitalista, é evidente que isso aconteceria, mas o grande problema é que há um privilégio de fechar contratos com países mais ricos, em detrimento dos mais pobres.

A coalização internacional People’s Vaccine Alliance (PVA), que defende um maior acesso às vacinas e que conta com mais de 20 membros, fez um levantamento com base em balanços financeiros das empresas fabricantes e chegou à conclusão de que somente a Pfizer, BioNTech e Moderna estão faturando juntas 65 mil dólares por minuto.

Em 2021, a estimativa é de um lucro de 34 bilhões de dólares, no total.

Esse imenso lucro contrasta com o baixo acesso das populações mais pobres aos imunizantes.

De acordo com a organização, cerca de 2% apenas da população nos países de baixa renda está vacinada contra Covid. Isso porque as farmacêuticas preferem priorizar contratos mais lucrativos feitos com países ricos.

O estudo da People’s Vaccine Alliance mostra que a Pfizer e a BioNTech enviaram menos de 1% das doses de vacina contra a Covid-19 para os países mais pobres. No caso da Moderna esse índice é de 0,2%.

Um dos grandes problemas é que essas farmacêuticas se recusam a transferir a tecnologia de produção de imunizantes para os países mais pobres. E essa é uma das grandes reivindicações da aliança internacional: a suspensão imediata das propriedades intelectuais das vacinas contra a Covid, proposta apoiada por mais de 100 países.

Lockdown para os não vacinados

Quando corre a notícia de que a Áustria vai fazer lockdown para os não vacinados, muita gente, mas o povo brasileiro principalmente, corre aplaudir nas redes sociais e dizer “deveria ser assim em todo lugar”.

Será que o povo brasileiro sabe que se eles quiserem ir para Europa eles terão que tomar as vacinas bilionárias? Porque a maioria dos países europeus não aceita CoronaVac.

Para pensar: estamos nos preparando para a terceira dose porque Israel, na frente, diz que o reforço valeu, pelo menos assim indicam os estudos. Lockdown não funcionou, 1ª e 2ª dose não funcionaram, não funcionaram pelo menos como deveriam funcionar, porque na Europa os casos só fazem aumentar. A culpa é dos 10 ou 20% não vacinados ou vamos ter que esperar para que a bilionésima dose funcione?

Por enquanto, o que se lê por aí é que, para conter a quarta onda europeia da Covid, os governos europeus vão apostar em: 3ª dose da vacina, testes, uso de máscara obrigatória também em lugar aberto (Portugal), green pass e lockdown para os não vacinados.

Por enquanto crianças na Europa com menos de 12 anos estão livres da vacina, mas se o modelo israelense for seguido, daqui a pouco, a partir dos 5 anos de idade, todos serão vacinados.

O que se vislumbra é que em breve teremos todos pelo menos 3 vezes vacinados, incluindo crianças e no-vaxxers, todos de máscara, em lockdown e devidamente testados.

E vai funcionar?

Quem viver verá! Façam suas apostas (nas casas casas farmacêuticas, é claro!)

Talvez te interesse ler também:

Quem são os green billionaires e onde eles atuam

Vacinação Covid-19 e lixo hospitalar: onde isso tudo vai parar?

Plástico pandêmico: 26 mil toneladas de lixo da Covid poluindo os oceanos do mundo

Covid-19 não é PANDEMIA, é SINDEMIA. É hora de reconhecer isso

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *