©David Werbrouck/Unsplash

Psicopatia: o que é, tipos, como reconhecer um psicopata

Psicopatia: o que é, tipos, como reconhecer um psicopata

Infelizmente, a história humana é marcada por vários crimes causados por pessoas psicopatas. Crimes que de tão chocantes, viraram temas de filmes e livros. Quando esses crimes vêm à tona, as pessoas se perguntam: “como é possível?!”, e se interessam por saber o que se passa na cabeça de um psicopata.

Recentemente, um novo caso envolvendo psicopatia vem sendo amplamente noticiado. A história que aconteceu em Goiânia, é ainda mais instigante que as outras porque o crime seria um verdadeiro e empírico teste de psicopatia, feito pelos próprios envolvidos no crime.

Devido à complexidade que envolve esse transtorno psíquico, esse conteúdo traz muitas informações detalhadas sobre tudo que está relacionado à psicopatia.

O que define uma pessoa ser psicopata?

Pode-se definir uma pessoa psicopata como um indivíduo marcado por um padrão onde predomina a ausência de:

  • sentimento
  • envolvimento emocional
  • de responsabilidade
  • do senso moral
  • da consciência

O que é uma pessoa psicopata

Uma pessoa psicopata apresenta um distúrbio psíquico que afeta sua forma de se relacionar com outros seres.

Essa patologia psíquica, em geral, é causada por uma disfunção cerebral que desencadeia esta psicose.

Cerca de 1 a 4% da população pode apresentar características de psicopatia, sendo mais incidente em homens.

Em grau avançado, esse transtorno é de difícil tratamento, já em grau leve ou moderado, é possível um acompanhamento psiquiátrico com prescrição de medicamentos.

Características de um psicopata

As principais características de um psicopata são:

  • falta de integridade de caráter
  • insensibilidade
  • falsidade
  • acentuado narcisismo (vaidade)
  • ausência de arrependimento
  • desejo de dominar e controlar
  • não ter empatia
  • destituído de culpa e remorso
  • comportamento calculista e frio
  • excessivamente manipulador, controlador e dominador
  • incapacidade de criar vínculos sentimentais
  • em alto grau, apresenta sadismo, agressividade, violência e perversidade

Essas características podem se manifestar em menor ou maior grau, dependendo do nível de psicopatia apresentada pela pessoa.

Quando em grau avançado, os psicopatas apresentam padrões de comportamento cruéis, marcados por:

Criação mental para o mal

Antes de cometerem o crime, o psicopata cria em sua mente toda cena que planeja fazer, quando escolhe uma vítima para ser seu alvo.

Obsessão e Perseguição

Uma vez que o psicopata escolhe seu alvo (vítima) ligado às sua obsessões psíquicas (sadismo), ele parte para a execução de seu plano mental.

Do plano para a realidade

O psicopata passa a calcular cada passo, colocando em prática as etapas de seu plano mental para atacar sua vítima.

Ataque à vítima

O psicopata vai às vias de fato e torna realidade aquilo que estava em sua mente e faz isso procurando não deixar pistas.

Lembranças do crime

Dentre os comportamentos doentios do psicopata, existem o de colecionar lembranças  de suas vítimas como objetos, roupas e até partes do corpo.

Reincidência dos crimes

Se não for descoberto, o psicopata tende a reincidir nos crimes e perversidades, elaborar e aprimorar cada vez mais os seus planos e atos com requintes de crueldade. Nesse grau de psicopatia, o indivíduo já é um desalmado.

Quais são os tipos de psicopatia?

Como dito anteriormente, a psicopatia pode se manifestar em variados graus que pode-se diferenciar da seginte forma:

Leve

Quando a pessoa desenvolve um grau leve desse transtorno, apresenta por vezes hostilidade, comportamento obsessivo e manipulador, porém não chega aos extremos.

Moderado

Nesse caso, o transtorno pode ser marcado pela incidência de atitudes movidas pelo egocentrismo, narcisismo, tendência de dominar e articular situações para tirar vantagem e ludibriar.

Grave

Nesse grau, a psicopatia assume um quadro incurável, no qual o indivíduo perde totalmente a humanidade e sua alma.

Veja neste vídeo, a psiquiatra e autora do livro Mentes Perigosas, Ana Beatriz Barbosa Silva, em uma entrevista ao Programa Mentes em Pauta, explicando os vários graus de psicopatia:

Como reconhecer? Qual é o perfil de um psicopata?

Pelo que  já foi explicado sobre os graus de psicopatia, nem sempre um psicopata se torna um criminoso, porém, manifesta atitudes problemáticas que dificultam o seu desenvolvimento como ser humano e sua relação com os demais.

Pessoas com traços de psicopata, mesmo em menor grau, manifestam a habilidade de mentir, enganar e até serem agressivas com os outros.

No caso da psicopata grave, a pessoa não desenvolve a empatia, vive à parte da realidade, falta-lhe escrúpulos morais, tem sede de poder e dominação para satisfazer seu ego inflado e pervertido.

Existem testes para diagnosticar a psicopatia?

Na Classificação Internacional de Doenças, a psicopatia é classificada como Transtorno de Personalidade Dissocial.

A psicopatia é um transtorno muito controverso, o que dificulta o seu diagnóstico. Porém, alguns critérios têm sido utilizados pelos especialistas para identificar os traços psicopáticos, com base no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-DSM-IV-TR.

Em síntese, esses traços são marcados pelo padrão de

  • desrespeito e violação aos direitos dos outros, que é reforçado com a transgressão às normas sociais e legais, acompanhado de
  • irritação,
  • irresponsabilidade,
  • indisciplina e
  • agressividade para lidar com outros seres e com questões da existência.

Escala de Robert Hare – o que é

Em 1991, Robert Hare criou o método de avaliação para diagnosticar os graus de psicopatia de uma pessoa.

Para elaborar esse método, ele estabeleceu critérios relacionados com traços de psicopatia.

Esse método de avaliação pode ser utilizado como um teste para avaliar o grau de psicopatia de um indivíduo.

A escala de Robert Hare  é uma espécie de checklist (lista de verificação) para detectar a psicopatia.

Em 2000, a Escala Hare foi traduzida e validada no Brasil.

Questões da Escala Hare – teste para avaliar psicopatia

Esta lista é um teste clínico, constituído por 20 perguntas que, conforme suas respostas, recebe uma pontuação conforme escala abaixo.

  • não se aplica = 0 ponto
  • se aplica um pouco = 1 ponto
  • definitivamente se aplica = 2 pontos

Ao final, somam-se os pontos que poderá ter uma classificação de 0 a 40 pontos.

Se for responder, seja objetivo e honesto.

Após tudo respondido, some os pontos e veja o resultado e o significado da pontuação:

  1. Você tem “excesso de brilho” ou charme superficial (atraente)?
  2. Tem um excesso de “autoestima” (ego inflado)?
  3. Necessita de estimulação (excitação) constante, não gosta de monotonia e tem propensão ao tédio?
  4. Mente de forma patológica, e sente orgulho (satisfação) de enganar as pessoas?
  5. Está sempre manipulando?
  6. Apresenta total falta de remorso ou culpa?
  7. Possui “afeto superficial” ou “sentimentos superficiais”(sem sentimentos)?
  8. É insensível ou possui completa falta de empatia?
  9. Tem um “estilo de vida parasita”, está sempre tirando proveito dos outros?
  10. Apresenta grande dificuldade em controlar suas atitudes?
  11. Possui um histórico de comportamento sexual promíscuo?
  12. Tem um histórico de problemas comportamentais na infância?
  13. Não possui objetivos realistas de longo prazo?
  14. É excessivamente impulsivo?
  15. Tem um alto nível de irresponsabilidade?
  16. Não assume a responsabilidade por suas próprias ações, coloca sempre a culpa em outras pessoas?
  17. Já teve muitas relações “conjugais” de curto prazo?
  18. Tem um histórico de delinquência juvenil?
  19. Já experimentou uma “revogação de liberdade condicional”?
  20. Exibe “versatilidade criminal”?

Resultados

Se obteve 30 pontos ou mais, ou seja, respondeu “um pouco” ou “definitivamente” para a maioria dessas perguntas, então é preciso avaliar e averiguar o estado psíquico com um especialista, pois só um profissional habilitado poderá fazer o diagnóstico adequado e correto.

Se a classificação for menor de 30 pontos, está dentro da normalidade. Entretanto, pontuação muito próxima de 30, pode estar sinalizando algum desequilíbrio psíquico, que pode estar precisando de atenção especializada.

O que leva uma pessoa a se tornar psicopata?

Traços de psicopatia podem se manifestar desde a infância ou adolescência, através de comportamentos delinquentes, como por exemplo, judiar de animais, bater nos colegas de escola, depredar locais públicos e maltratar familiares.

A psicopatia pode ter causas biológicas, genéticas ou ambientais podendo influir, de forma conjunta, na evolução desse transtorno.

Sendo assim, os principais fatores associados à essa patologia, são:

  • disfunções cerebrais, especialmente no lobo frontal e sistema límbico -> causa investigada neste estudo
  • distúrbios biológicos
  • traumas neurológicos
  • predisposição genética
  • traumas sócio psicológicos na infância como abuso sexual, emocional, sexual, físico, violência, brigas dos pais, entre outros.

Quais são os pontos fracos de um psicopata

Os pontos mais suscetíveis de um psicopata são o orgulho, a vaidade e o desejo de poder, pois o psicopata possui o ego muito inflado e quando algo atinge esses aspectos nele, ele fica desestabilizado e pode reagir com impulsividade e agressividade.

Especialistas que precisam lidar com psicopatas, quando necessitam obter alguma informação deles, se valem da psicologia do elogio.

Quais são as diferenças entre sociopata e psicopata?

Há quem diga que psicopata e sociopata definem o mesmo problema, porém, para o especialista, Robert Hare, a diferença entre a psicopatia e a sociopatia consiste basicamente na origem do transtorno.

Partindo desse princípio, quando o transtorno se dá a partir do meio social desajustado, é denominado sociopatia. Em contrapartida, quando envolve a combinação de fatores biológicos, genéticos e socioambientais, caracteriza a psicopatia.

Além dessa questão da causa, existem outras diferenças entre psicopata e sociopata

Causa dessas doenças

  • Estudos sugerem que a psicopatia em geral é genética e hereditária.
  • Já a sociopatia é desenvolvida durante a vida da pessoa, principalmente através da influência do meio.

Relacionamentos nesses transtornos

  • Os psicopatas disfarçam bem suas intenções ególatras, sendo dissimulados, dando a impressão de serem boas pessoas, porém, são insensíveis e não conseguem sentir carinho e afeto pelo pessoas.
  • Em contrapartida, os sociopatas, embora sejam difíceis no convívio, conseguem desenvolver ainda vínculos afetivos e se sentir culpados quando são agressivos com pessoas que prezam.

Psicopata x Sociopata – Temperamento

  • Psicopata é mais calculista e premeditado
  • Sociopata mostra a sua impulsividade, de forma mais espontânea e instintiva.

Semelhanças entre sociopatia e psicopatia

O que ambas patologias mentais têm em comum é que desencadeiam muitos desajustes e sofrimento para quem conviver com indivíduos com um desses problemas.

Outro ponto semelhante é que tanto a sociopatia quanto a psicopatia, em altos graus, podem levar à violência e ao crime.

O psiquiatra Dr. Fernando Fernandes, neste vídeo do seu canal, explica sobre a diferença entre psicopatia e sociopatia entre outras informações:

Quando precisar, busque a ajuda de um profissional

Vale salientar que todas as informações contidas nesta matéria visam contribuir para esclarecer dúvidas e ajudar a ter um melhor entendimento sobre a psicopatia, a fim de auxiliar a perceber em em si ou em alguém de seu convívio, se há indícios desse problema e assim buscar a ajuda de um psicanalista ou psiquiatra.

É preciso enfrentar o problema buscando desenvolver a lucidez e maturidade, para poder superá-lo ou lidar da melhor forma possível.

Para saber mais sobre transtornos psicológicos, confira os conteúdos

Síndrome de Burnout – Quando o esgotamento profissional se torna doença

Síndrome de Borderline – O que é, Como Lidar, Causas, Sintomas e Tratamentos

Síndrome de Asperger – Sintomas para reconhecê-la

Síndrome de Peter Pan e Síndrome de Wendy: o que são, suas causas e consequências

Síndrome do pânico: os 10 melhores remédios naturais

Transtorno Bipolar pode ter tudo a ver com a Vitamina D

Claustrofobia – Significado, Como reconhecê-la e Como Tratar

Fanatismo religioso e outros fanatismos: significados, causas e exemplos

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *