©Majid Korang beheshti/Unsplash

Fanatismo religioso e outros fanatismos: significados, causas e exemplos

Fanatismo religioso e outros fanatismos: significados, causas e exemplos

Vivemos em tempos marcados por muita polarização, divisão, segregação e partidarismo, com gente fanática que briga feio seja por causa de política, futebol ou religião.

Neste conteúdo será abordado o fanatismo religioso, porque é devido a esse tipo de extremismo psicológico, que o mundo vem testemunhando o que está acontecendo atualmente no Afeganistão, mas que também ocorre no dia a dia através do preconceito, discriminação e até agressividade para com aqueles que não têm as mesmas crenças e religiões.

Entenda melhor o que é fanatismo religioso, como se manifesta e outras questões relacionados à esse mal que aflige a humanidade.

O que é fanatismo religioso?

O fanatismo religioso é a forma excessivamente centrada e obsessiva de seguir uma doutrina religiosa, não dando espaço para outras expressões de fé, nem margem para a tolerância.

Aquele que é afetado pelo fanatismo religioso entende que a única verdade está na religião que segue e na crença que professa, os demais  credos estão todos errados e desencaminhados da vida espiritual.

Do fanatismo religioso nasce o fundamentalismo religioso, através do qual há quem mate e morra pela religião.

Como é um fanático religioso?

O fanatismo religioso é robustecido e movido pelo orgulho que, por sua vez, faz o fanático sentir que por meio de sua religião, ele tem a verdade, a honra e a glória, e com isso se sente superior aos demais.

O orgulho e a vaidade de ser adepto de uma determinada religião, ou de ser um líder religioso, alimenta o ego espiritualizado e, daí, advém o fanatismo religioso ou a mitomania (considerar-se como um deus).

Características: como identificar um fanático religioso?

É possível identificar traços psicológicos e comportamento de fanatismo religioso através das atitudes de uma pessoa.

Algumas características que se sobressaem de um fanático religioso podem ser:

  • reatividade às pessoas contrárias à sua religião
  • necessidade de controle para que as pessoas se encaixem em suas crenças
  • falta de flexibilidade para aceitar outras formas de pensar e ver a vida
  • autoritarismo e imposição para que seus familiares e amigos frequentarem sua igreja
  • intolerância religiosa
  • arrogância frente a quem não compartilha da sua crença religiosa
  • tendência a se afastar e discriminar quem não compartilha da mesma religião
  • pontos de vistas radicais e absolutistas, não dando espaço para troca de ideias e visões

Como nasce o fanatismo religioso?

O fanatismo pode ser desencadeado por fatores emocionais, transtornos mentais e desequilíbrios psicológicos.

Pode ser também uma forma de suprir a falta de segurança, apoio e amor que não se teve na infância e, como compensação, a pessoa busca se afirmar na religião.

Outra possibilidade é da pessoa buscar através do fanatismo religioso uma âncora, por ter dificuldade de se firmar e realizar na vida.

Pessoas com baixa autoestima, carentes e sem autoconfiança têm a tendência a se embrenhar no fanatismo religioso como forma de autoafirmação. Buscam na religião o que não conseguem encontrar dentro de si mesmas.

O que o fanatismo religioso pode causar?

O fanatismo religioso já causou e vem causando muitos problemas de relacionamento, convívio social e sectarismo. Entretanto, de maneira mais grave pode provocar terrorismo, perseguição, violência e extermínio contra aqueles que não professam a mesma fé.

Exemplos históricos de fanatismo religioso

Existem vários exemplos históricos da intensidade que pode alcançar o fanatismo religioso, tais como:

  • Na Idade Média, a igreja Católica perseguia, julgava e condenava à morte na fogueira, aqueles que não seguissem os seu dogmas (a inquisição)
  • As Cruzadas, entre séculos XI e XII, também foram expressão de fanatismo religioso, que teve como consequência as guerras religiosas entre cristãos, judeus e mulçumanos pelo domínio de Jerusalém, considerada terra sagrada para estes três povos, e por isso tão  disputada por eles.
  • O fundamentalismo religioso tem sido efeito do fanatismo e causa do terrorismo e conflitos no Oriente Médio.

Esse fundamentalismo religioso vem sendo provocado pela distorção dos preceitos islâmicos, levados ao extremo por fanáticos que não aceitam outras ramificações do Islamismo e até matam quem consideram como inimigos do Islã.

Atualmente, vemos efeitos desse fundamentalismo com o que vem acontecendo no Afeganistão, em virtude da invasão Talibã.

Estes são alguns exemplos históricos, dos estragos e desavenças que o fanatismo religioso pode causar indo na contramão dos ensinamentos de amor, paz e fraternidade, dados pelos mestres que foram a inspiração para o surgimento das principais religiões.

Tipos de fanatismos

Além do fanatismo religioso, existem outros tipos de fanatismo que também podem trazer prejuízos físicos, morais, éticos e psicológicos nos seres humanos.

Fanatismo artístico

Esse tipo de fanatismo é muito comum e é expresso por pessoas que idolatram celebridades, a ponto de chegarem a viverem 24 por dia, em função de seus ídolos.

Fanatismo esportivo

Esse fanatismo já desencadeou muitas brigas e até mortes por causa de times de futebol principalmente.

Fanatismo político

No Brasil, temos o exemplo desse tipo de fanatismo através da Internet que virou palco de guerra entre quem é da esquerda e da direita, trocando ofensas e excluindo quem não concorda com determinado político ou partido. Mas o problema não é só brasileiro, o mundo inteiro vem percebendo essa dicotomia.

Fanatismo ético

Por mais que seja louvável defender uma ética visando um bem maior, há que se ter cuidado para não rotular, excluir e condenar os que não têm a mesma compreensão e visão, ou se sentir superior aos demais. Dessa forma, em vez de inspirar e ser exemplo, corre-se o risco de afastar as pessoas de um ideal por um mundo melhor.

Como se libertar do fanatismo religioso?

É de vital importância detectar a o início de um fanatismo religioso ou qualquer outro tipo de fanatismo. E nisso, o saber e o conhecimento podem ajudar. É essa a proposta deste conteúdo.

Contudo, não basta só ter conhecimento de como se expressa o fanatismo, é necessário uma forma inteligente de detectá-lo para não se deixar levar por sua influência. Para isso, é necessário a auto-observação.

Através da auto-observação é possível flagrar detalhes de fanatismo e assim reverter essa situação colocando o oposto, ou seja, quando vier a tentação de se achar superior aos demais e o dono da razão, contrapor a essa ideia o oposto, isto quer dizer, entender que não é uma crença ou religião que nos torna melhor que ninguém.

Enquanto o orgulho alimenta o fanatismo religioso, a verdadeira humildade o enfraquece.

Sempre que o fanatismo assombrar, é necessário por a luz da humildade nele.

Meditar e aumentar a lucidez também são formas para enxergar o que está por trás do fanatismo.

Um dos piores efeitos do fanatismo é levar o ser humano a agir de forma irracional e tola.

Quanto mais a pessoa se autoconhece e eleva a sua espiritualidade, menos se torna suscetível ao fanatismo, seja ele qual for.

E  por falar em autoconhecimento, confira os conteúdos:

Ganhe anos-luz de sabedoria conhecendo a dimensão do universo e a importância do ser humano

Estoicismo, a Filosofia do Viver em Paz. 10 Ensinamentos para a Vida

Pathwork, o Trabalho do Caminho que nos liberta das máscaras sociais

Talvez te interesse ler também:

Método Self-Healing: a cura que vem do movimento e consciência corporal

Gentileza, Bondade, Compaixão – Qualidades Inatas que Precisamos Treinar para não Esquecermos

A importância e o poder da PACIÊNCIA. Como ser paciente nas horas certas

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *