Cúrcuma, boa também para tratar sintomas da menopausa. Saiba mais!

Existem várias formas de tratar os sintomas decorrentes dos desequilíbrios hormonais causados pela menopausa. Hoje vamos falar sobre a cúrcuma, que serve também para tratar tais desequilíbrios.

{index}

O que é menopausa

A menopausa é a fase da vida da mulher marcada pelo fim do ciclo reprodutivo, no qual ocorria a menstruação.

O período da menopausa acontece em torno da meia-idade da mulher, podendo variar entre 45 até cerca de 55 anos. Com o fim do ciclo menstrual, o organismo feminino passa a lidar com várias alterações, principalmente hormonais, e isto pode desencadear reações fisiológicas e corporais, como a onda de calores e outros sintomas, devido à redução da atividade dos ovários.

Nesta fase, os óvulos não são mais produzidos e liberados pelos ovários, além de ocorrer a redução dos hormônios sexuais cessando com isso o período fértil e, por decorrência, o fluxo menstrual.

Sintomas da menopausa

Os sintomas que ocorrem após o fim do período reprodutivo da mulher são: ondas de calor, palpitações, coceira, encolhimento das áreas genitais (atrofia vaginal), fadiga, entre outros.

O psicológico da mulher também é afetado com essa mudança, podendo ocorrer: depressão, desânimo, ansiedade, irritabilidade, alterações de humor, enfraquecimento da memória e falta de concentração.

Além de tudo isso, na menopausa as mulheres estão mais sujeitas à certas doenças como: osteoporose, problemas cardíacos, glaucoma e tumores, entre outros problemas de saúde.

Existem várias formas de tratamentos convencionais, quando surgem desequilíbrios decorrentes dessas alterações hormonais, tais como a terapia de reposição hormonal (TRH) e medicamentos prescritos para reduzir os sintomas relacionados à menopausa.

Existe também uma forma natural de driblar os sintomas da menopausa e a ciência já comprovou sua eficácia: trata-se da cúrcuma (açafrão), uma especiaria muito utilizada como tempero e que possui várias propriedades medicinais confirmadas pela medicina.

Conheça os benefícios da cúrcuma para quem sofre com os sintomas da menopausa.

Cúrcuma para melhorar os sintomas da menopausa

A cúrcuma possui propriedades antioxidante, anti-inflamatória, antimicrobiana, anti-câncer e várias outras. A curcumina é o seu princípio ativo, o qual confere as propriedades curativas desta especiaria.

Veja o que os estudos confirmam sobre as propriedades terapêuticas e medicinais da cúrcuma, e como esta especiaria pode beneficiar quem sofre com as alterações da menopausa.

Atua como fitoestrógeno

Os fitoestrógenos minimizam ou regulam a atividade do estrogênio no organismo.

Os suplementos à base de fitoestrógenos são uma alternativa à terapia de reposição hormonal e a cúrcuma é um fitoestrógeno natural comprovado pela ciência.

A falta de estrogênio durante a menopausa pode desencadear vários problemas de saúde, como: secura vaginal, doença cardiovascular, distúrbios do sono, dor nas articulações, oscilações de humor, redução da densidade óssea, etc.

A cúrcuma pode ser útil para elevar e equilibrar os níveis de estrogênio, porque atua como fitoestrogênio contribuindo para repôr os níveis desse hormônio no corpo, reduzindo os sintomas da menopausa.

Age como analgésico e anti-inflamatório

Esta especiaria tem poder analgésico confirmado pela ciência.

Estudos científicos compararam a atividade do óleo de cúrcuma com a da aspirina e concluiu que a cúrcuma é até mais eficaz.

A curcumina é eficiente na melhora da dor e fadiga pós-operatória, demonstrando sua atividade anti-inflamatória e analgésica.

A ação anti-inflamatória da cúrcuma é similar ao analgésico diclofenaco sódico, porém, com a vantagem de não causar as reações adversas desse medicamento.

Com estas propriedades, a cúrcuma pode ajudar a tratar dores nas articulações, dores musculares e enxaqueca, problemas estes ocasionados pela menopausa.

Reduz as ondas de calor

Após a última menstruação, 75% das mulheres sofrem de fogachos, que são marcados por sensação frequente de calor intenso, acompanhado de sudorese e taquicardia. Isto ocorre devido aos baixos níveis de estrogênio.

Um estudo experimental realizado em mulheres averiguou e confirmou a relação dos distúrbios bioquímicos da menopausa com a redução da atividade antioxidante no organismo.

A cúrcuma tem atividade antioxidante tão poderosa quanto a das vitaminas C e E, por isso, é recomendada para ser incorporada na dieta das mulheres na menopausa. Os efeitos antioxidante e estrogênico da cúrcuma previnem e eliminam as ondas de calor menopausa.

Cúrcuma como antidepressivo

O estado depressivo é muito comum durante a menopausa, embora não se tenha evidenciado que baixos níveis de estrogênio e depressão estejam relacionados.

A depressão na menopausa pode estar associada ao histórico emocional e orgânico da mulher, e à sua reação psicológica aos sintomas dela, durante esta fase.

Em um ensaio clínico realizado no Government Medical College, em Gujarat, na Índia, ficou comprovado que a cúrcuma age como antidepressivo, comparando sua ação com a Fluoxetina ou o Prozac, tendo a vantagem de não causar os efeitos colaterais destes medicamentos.

Além disso, a cúrcuma aumenta os níveis de DHA ( um tipo de ácido graxo ômega 3), vital para o controle da ansiedade e essencial para o bom funcionamento do cérebro.

Combate infecções vaginais

O declínio nos níveis de estrogênio e a atrofia vaginal, que podem ocorrer na menopausa, deixam as mulheres propensas às infecções vaginais, caracterizadas por corrimento vaginal, coceira e dor na parte genital.

A cúrcuma é um agente antimicrobiano e um antibiótico natural, graças à curcumina e suas propriedades desinfetante e anti-infecciosa.

Para testar e comprovar as propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antifúngicas da cúrcuma, foi realizado um ensaio clínico com 32 pacientes na faixa etária de 24 a 62 anos, com problema de vaginite.

As pacientes foram tratadas durante 2 semanas com uma formulação tópica de ervas contendo como ingrediente principal o extrato de cúrcuma. Após o tratamento, elas tiveram alívio de todos os sintomas e os exames confirmaram a ausência de infecção.

Fortalece a imunidade

Com os distúrbios da menopausa, a imunidade da mulher pode ficar comprometida.

Isto foi evidenciado através de uma revisão de 30 estudos mostrando que a diminuição dos níveis de estrogênio reduz a imunidade, acentuando a vulnerabilidade à doenças autoimunes e aumentando a incidência de problemas de saúde como diabetes, aterosclerose e doenças cardiovasculares.

Os médicos costumam indicar a terapia de reposição hormonal (TRE – sigla científica), entretanto, a cúrcuma com fitoestrógeno natural pode ajudar na reparação da imunidade e ser uma alternativa mais saudável.

As típicas famílias indianas sabem dos benefícios da cúrcuma para o sistema imunológico, por isso utilizam o leite de cúrcuma para fortalecer imunidade e baixar a febre.

Isso se deve às propriedades imunomoduladoras da curcumina que reduzem as toxinas dos processos inflamatórios e fortalecem os anticorpos no organismo, combatendo infecções.

Ajuda a manter o peso

Outra propriedade da cúrcuma é a de eliminar gordura.

Com a menopausa o peso corporal é afetado, devido às alterações hormonais, podendo ocorrer acúmulo de tecido adiposo em determinadas partes do corpo, principalmente na área do abdômen.

A curcumina atua de várias maneiras para ajudar a manter a boa forma, tais como: atua na regulação do metabolismo da gordura, reduzindo as possibilidades de inflamações e distúrbios relacionados com a obesidade.

Contribui para a redução da incidência de tumores associados com os distúrbios da obesidade, como os de cólon, da mama, renal, hepático, vesícula, pâncreas, etc.

É boa para a saúde do coração

Na menopausa, as mulheres são mais propensas a sofrer ataque cardíaco, pois níveis reduzidos de estrogênio as predispõem à problemas cardíacos. Com o envelhecimento e a baixa hormonal, os vasos sanguíneos perdem sua elasticidade, obstruindo o fluxo de sangue e gerando uma série de problemas cardíacos, tendo como consequência o enfarte e derrame.

A curcumina tem um papel protetor, prevenindo doenças cardiovasculares, tendo efeitos benéficos sobre a saúde do coração.

Um estudo realizado por uma equipe médica japonesa provou que a curcumina pode melhorar o fluxo sanguíneo e o funcionamento dos vasos sanguíneos.

A ingestão de curcumina combinada com atividade física reduz as probabilidades de problemas cardíacos em mulheres na menopausa.

Em suma, a cúrcuma com suas propriedades antioxidantes, restauradoras, antitrombóticas e anti-inflamatórias reduzem o risco da incidência de aterosclerose, insuficiência cardíaca e arritmia (batimentos cardíacos irregulares), melhorando a saúde do coração e restaurando a função cardíaca.

Preserva a saúde óssea

O estrogênio é fundamental para a formação óssea. A falta desse hormônio afeta a saúde óssea, causando desequilíbrios como ossos fracos e suscetíveis à fraturas.

A deficiência de estrogênio e a queda dos hormônios femininos também levam à diminuição da imunidade e ao surgimento de inflamações articulatórias, desencadeando perda óssea e o aparecimento de artrite reumatoide.

O potencial terapêutico da cúrcuma sobre a artrite reumatoide tem sido amplamente comprovado, tanto na prática, como em pesquisas, e constatou-se que esta reduz a inflamação e age como antioxidante evitando o aparecimento ou a progressão dessa doença.

Reduz o risco de câncer de mama

O peso corporal e os níveis de hormônios femininos são fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer de mama durante a menopausa.

Outro fator que pode aumentar o risco de câncer de mama em mulheres na menopausa é a reposição hormonal, utilizada como tratamento convencional das pertubações desta fase.

Fitoestrogênios ou estrogênio provenientes de plantas, como a cúrcuma, têm efeito protetor para ajudar a evitar e combater o câncer de mama.

A própria ciência encontrou várias evidências que comprovam as propriedades anticancerígena e antitumoral da cúrcuma, isso devido à curcumina contida neste vegetal, a qual inibe a proliferação de células cancerígenas.

A curcumina administrada como adjuvante (em combinação) de quimioterápicos reforça no tratamento e regressão do câncer de mama.

Como consumir a cúrcuma para aliviar os sintomas da menopausa

A cúrcuma, por todos os seus benefícios comprovados, pode fazer parte da dieta de mulheres com problemas na menopausa.

A dosagem recomendada é de 1 colher de chá de cúrcuma em pó diariamente.

Existem várias alternativas de consumir cúrcuma no dia dia. Confira quais são neste conteúdo:

Há também suplementos contendo cúrcuma que estão disponíveis em casas de produtos naturais e farmácias fitoterápicas, tanto físicas, como virtuais. Mas são recomendadas apenas mediante prescrição médica porque mais concentradas.

Receita do Leite Dourado

immagine

O leite dourado é muito consumido na Índia e a principal propriedade dele é fortalecer a imunidade do corpo, segue uma receita dessa poderosa e saudável bebida, a base de cúrcuma:

Ingredientes

2 copos de leite vegetal

1 colher de chá de cúrcuma em pó

1 colher de chá de gengibre em pó

1/2 colher de chá de canela em pó

1 pitada de pimenta em pó (para ajudar na digestibilidade da cúrcuma)

xarope de coco ou melado de cana (ou outro adoçante vegetal)

Preparação

Misture os ingredientes secos em uma panela e em seguida adicione o leite vegetal.

Aqueça a bebida tendo cuidado de não esquentar demais e deixar queimar.

Quando iniciar a fervura, desligue fogo e tampe, deixando descansar por cerca de 10 minutos, antes de consumir.

Beba e sirva quente.

Precauções

Efeitos adversos não foram relatados sobre o consumo de cúrcuma em dieta regular, no entanto, consulte o médico antes de consumir a cúrcuma em pó ou na forma de suplementos, para averiguar a necessidade, interações medicamentosas e possíveis contraindicações, devido a outros problemas de saúde que possa ter.

O consumo da cúrcuma deve ser evitado ou ser feito com cautela nos seguintes casos:

Gravidez e Amamentação

Diabetes (se consumir medicamento para diluir o sangue)

Distúrbios da vesícula biliar

Obstruções dos canais biliares

Antes de cirurgias

Vivendo a menopausa de forma mais saudável

A menopausa é um ciclo natural de toda mulher e pode ser vivida de forma saudável

Várias mulheres recorrem à terapias de reposição hormonal para evitar ou reduzir os sintomas da menopausa, porém, é uma faca de dois gumes, pois, as torna suscetíveis ao desenvolvimento do câncer.

Uma alternativa saudável para reduzir o desconforto durante a menopausa pode ser a cúrcuma. Consulte um médico para obter outras alternativas naturais.

A cúrcuma com suas propriedades curativas pode ajudar a mulher a lidar melhor com os sintomas da menopausa, uma fase que corresponde, em média, a um terço de sua vida. Por isso, buscar formas e alternativas saudáveis de viver esse período, é primordial para saúde e vitalidade feminina nesta fase.

Talvez te interesse ler também:

MENOPAUSA: DICAS PARA ACEITAR SERENAMENTE ESTA FASE DA SUA VIDA

MENOPAUSA PRECOCE E INFERTILIDADE: POR QUE CADA VEZ MAIS JOVENS COM DIFICULDADE DE ENGRAVIDAR?

ALCAÇUZ, RAIZ DOCE QUE CURA DE ANSIEDADE A PROBLEMAS DE MENOPAUSA

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook