Estresse: acabe com ele antes que ele acabe com você!

  • atualizado: 
Estresse

Enquanto escrevia aqui sobre ansiedade, lembrei de um outro assunto muito semelhante e que está ligado aos problemas da vida moderna: o estresse! Essa é outra característica biológica do nosso corpo que ocorre em resposta às situações do dia a dia e, assim como a depressão e a ansiedade, se não for reparada, pode levar à sérias consequências.

Embora tenhamos consciência disso, continuamos seguindo nossas vidas, empurrando os problemas com a barriga, formando uma verdadeira bola de neve. Isso faz com que o estresse só aumente e seus sintomas tornam-se cada vez mais evidentes: irritação, impaciência, desânimo, cansaço, dores no corpo, palpitações, respiração acelerada… Tudo bem parecido com os sintomas da ansiedade.

Leia mais: ANSIEDADE: TODAS AS CAUSAS, TODOS OS SINTOMAS E TRATAMENTOS

O grande problema nisso tudo é que esses sentimentos baixam nossa resistência imunológica, fazendo com que fiquemos mais suscetíveis a diversas doenças, assim como aconteceu comigo há um tempo atrás (conto tudo sobre esse fato aqui), quando sofri com uma dor esquisita no pescoço diagnosticada como princípio de caxumba e também com uma gripe forte que durou meses: a tal da gripe Influenza (H1N1).

Para dar um jeito no estresse existem vários tratamentos mas, às vezes, uma simples mudança no estilo de vida pode fazer fez com que o estresse e alguns outros fatores simplesmente desapareçam. Porém, a maioria de nós não se dá conta do mal que fazemos a nós mesmos ignorando os sinais e os sintomas que dão a estafa, o estresse extremo e a ansiedade, e nos colocamos em risco de vida, podendo até falecer por infarto ou por outras doenças.

Morrer por estresse

Pelo fato da gente empurrar o estresse com a barriga, sempre deixando pra lá a nossa real necessidade de relaxar, resolvemos lembrar dos males que o estresse causa em nossa vida e como ele pode afetar o funcionamento do nosso corpo como um todo.

Para que fique mais fácil o entendimento e visualização, resumimos os efeitos do estresse no corpo humano que ocorrem como uma reação em cadeia, semelhante a um efeito dominó.

O estresse ao mesmo tempo que salva vidas - porque é uma resposta fisiológica nossa a um perigo eminente quando devemos estar alertas por nos sentirmos ameaçados ou sob pressão - é ao mesmo tempo uma bomba-relógio porque nenhum organismo suportaria viver por muito tempo como se estivesse sob pressão.

Veja como o nosso corpo reage a uma situação física ou mental de estresse:

  • Sistema muscular - O estresse provoca o reflexo dos músculos que ficam tensos como uma forma de se protegerem de lesões ou dores.
  • Sistema respiratório - A respiração fica mais forte, o que pode ser prejudicial para quem tem asma ou outras doenças pulmonares. Isso porque nessas condições fica mais difícil receber o oxigênio necessário para respirar.
  • Sistema cardiovascular - O estresse também provoca uma resposta nas atividades do coração e dos vasos sanguíneos, órgãos que trabalham juntos para levar oxigênio e alimento para o corpo.
  • Quando o estresse é agudo (momentâneo), devido à alguma situação repentina (frenagem brusca, por exemplo), ocorre um aumento da frequência cardíaca devido à ação dos hormônios do estresse (adrenalina, noradrenalina e cortisol), que fazem também com que a pressão sanguínea seja elevada, agindo como um alerta de fuga ou luta. Passado esse alerta, o corpo volta ao estado normal.
  • Quando o estresse é crônico (prolongado), esse estado torna-se constante, levando à problemas maiores como hipertensão, ataque cardíaco ou AVC (acidente vascular cerebral).
  • Endócrino - O hipotálamo sinaliza o sistema nervoso autônomo e a glândula pituitária para a produção dos hormônios do estresse.
  • Glândulas suprarrenais - Devido aos sinais do hipotálamo, o córtex adrenal produzirá cortisol e a medula adrenal produzirá adrenalina para dar energia ao corpo para "fugir do perigo".
  • Fígado - Com a produção de adrenalina e cortisol, o fígado também produz mais glicose, que seria para dar a energia para a "fuga" se fosse o caso. Como essa energia não é gasta como deveria, ela é reabsorvida pelo sangue. Algo que é extremamente prejudicial para quem sofre com diabetes tipo 2.
  • Gastrointestinal - O estresse também altera as funções do esôfago, estômago e intestino:
  • No esôfago, pode ocorrer azia ou refluxo ácido pela probabilidade da pessoa comer mais ou menos do que o normal;
  • O estômago pode reagir com incômodos, náuseas ou dores, podendo causar vômitos, úlceras e gastrites;
  • O intestino não consegue absorver corretamente os nutrientes devido à digestão ser afetada. Em muitos casos é possível ter diarréia ou prisão de ventre.
  • Sistema nervoso - Dividido em central e periférico, este por sua vez é representado pelo sistema nervoso autônomo, composto pelo sistema nervoso simpático e parassimpático. O sistema nervoso simpático é o que vai emitir o alerta sinalizando as glândulas adrenais para produzirem adrenalina e cortisol, aumentando os batimentos cardíacos e a respiração, dilatando os vasos sanguíneos, alterando o sistema digestivo e os níveis de glicose. Já o sistema nervoso parassimpático é o que promove o relaxamento.
  • Sistema reprodutor masculino - Influenciado pelo sistema nervoso, o estresse aumenta a produção do cortisol. Este hormônio é importante para regular a pressão sanguínea e para diversas partes do corpo, inclusive para o sistema reprodutor masculino. Porém, quando em excesso, o cortisol afeta o funcionamento bioquímico do sistema reprodutor masculino.
  • Sistema reprodutor feminino - Por ser mais complexo, o estresse pode afetar o sistema reprodutor feminino de várias maneiras:
  • Menstruação: Ciclos menstruais irregulares ou ausentes, períodos mais dolorosos e alterações na duração dos ciclos.
  • Tensão pré-menstrual: Os sintomas da TPM ficam mais intensificados, incluindo cólicas, retenção de líquidos, inchaço, irritabilidade e mau humor.
  • Menopausa: Pessoas mais estressadas sofrem mais com as oscilações dos níveis hormonais característicos da menopausa. Ondas de calor, ansiedade, alterações de humor, angústia e demais alterações físicas são intensificadas.
  • Desejo sexual: O estresse da vida moderna e o cansaço, reduzem o desejo sexual, principalmente se a mulher acumula diversas funções como trabalhar, cuidar de casa, mercado, filhos, etc. O acúmulo de funções, além de deixar as mulheres estressadas, também as deixam deprimidas e inseguras nos relacionamentos e consigo mesmas. Por conta disso tudo, muitas vezes são cobradas na relação sexual e se sentem frustradas por não terem força e vontade de corresponderem.

Acabe com o estresse antes que ele acabe com você!

Diante de todos esses problemas causados pelo estresse, vale o apelo: CUIDEM-SE! Homens e mulheres, se permitam momentos de relaxamento e tranquilidade. Aqui vão algumas dicas simples:

  • Massagens ajudam a aliviar as tensões musculares;
  • Terapias, yoga, pilates e até a dança ajudam na consciência mental e corporal, relaxam a mente e controlam as sensações;
  • O descanso noturno é fundamental para a recuperação das energias gastas durante o dia, por isso ter disciplina com o sono é fundamental;
  • Da mesma forma, tenha consciência da sua alimentação! Reflita sobre o alimento que está dando para o seu corpo e o efeito que ele pode causar internamente. Existem alimentos que ajudam no controle do estresse;
  • Faça o que te dá prazer! Trabalhar é preciso, mas viver 100% trabalhando não é saudável, a menos que o seu trabalho te dê muito prazer e que você não o sinta com nenhuma outra atividade… O que geralmente é bem improvável;
  • Faça o bem para o próximo e consequentemente você estará fazendo o bem para si mesmo... Experimente, você vai comprovar que é verdade!

Leia também: CHEIRINHO DE MATO ACALMA, EVITA ESTRESSE E AUMENTA A IMUNIDADE

Alarme antiestresse

Essas foram algumas dicas e informações sobre os perigosos efeitos do estresse no corpo e como podemos eliminá-lo para que ele não nos elimine antes! Esperamos que tenham gostado e que coloquem estas dicas em prática na preciosa vida de vocês, por mais difícil que seja dar um tempo na correria cotidiana.

Ligue o alarme antiestresse do seu corpo ouvindo os sinais que o corpo dá quando se sente "no limite".

Como vimos, o estresse é uma resposta orgânica, fisiológica, que nos lembra de estarmos em alerta pela vida. Às vezes pode acontecer deste alarme soar tarde demais.

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!