Instituto de Wuhan nega que coronavírus tenha se originado ou escapado de laboratório

Contestando a acusação dos EUA, Instituto de Wuhan nega que o vírus tenha se originado ou escapado do seu laboratório

Na semana passada, noticiamos que o governo norte-americano decidiu investigar a possibilidade de o novo coronavírus ter se originado em um laboratório de Wuhan, e não em um mercado de animais vivos, e depois ter sido liberado acidentalmente ao público.

O próprio Presidente Donald Trump comentou o assunto em coletiva à imprensa, confirmando a investigação.

Tão logo essa informação foi noticiada, o governo chinês afirmou que tudo não passa de mera especulação e que os EUA não têm nenhuma prova do que alegam.

Neste domingo, 19, o diretor do Instituto de Virologia de Wuhan, Yuan Zhiming, disse em entrevista a um canal da TV estatal chinesa que

“é impossível que o vírus tenha vindo de nós. Sabemos que tipo de pesquisa acontece no instituto e como gerenciam vírus e amostras”.

O diretor do Instituto afirmou também que nenhum funcionário foi contaminado com o novo coronavírus, o Sars-CoV-2.

Ele finalizou dizendo que o Laboratório de Wuhan é um instituto de pesquisa sobre virologia de segurança máxima, administrado pela Academia Chinesa de Ciências e encontra-se localizado no distrito de Jiangxia, em Wuhan e, que por esse motivo, ou seja, por estar localizado na cidade em que foram registrados os primeiros casos da Covid-19, “as pessoas não conseguem evitar associações”, condenando a divulgação de informações “deliberadas” e “baseadas em especulações e sem provas”, sem citar especificamente o nome do presidente Donald Trump ou dos EUA.

Durante a entrevista, Yuan Zhiming também afirmou que

“não há nenhuma evidência de que o vírus seja artificial ou tenha traços sintéticos”, rechaçando a tese lançada pelo governo norte-americano, dizendo ainda, que essa tese foi negada pelos especialistas.

De fato, um estudo publicado na revista científica Nature, demonstrou que o vírus é resultado de um processo de seleção natural.

Na sexta-feira, o governo francês divulgou nota afirmando que o laboratório chinês tem certificação internacional e que não há nenhuma prova de que o novo coronavírus tenha ligação com as pesquisas feitas no Instituto de Virologia de Wuhan. Vale lembrar que a França ajudou a China a criar o Instituto.

Um porta-voz do presidente francês, Emmanuel Macron, disse que

“Gostaríamos de deixar claro que não há até o momento nenhuma evidência que corrobore a informação que começou a circular na imprensa dos EUA que estabelece uma relação entre as origens da Covid-19 e o trabalho no laboratório de Wuhan, China”.

De acordo com cientistas chineses, tudo não passa de teorias de conspiração que estão sendo divulgadas pelo governo norte-americano sem qualquer comprovação e que, para eles, a Covid-19 foi transmitida a humanos num mercado de animais exóticos de Wuhan, que virou o epicentro da doença e que as pesquisas indicam que os morcegos foram os hospedeiros do novo coronavírus, sem descartar a possibilidade de que eles possam ter sido espalhados para outra espécie antes de contaminar um ser humano.

Talvez te interesse ler também:

Coronavírus Brasil: a tragédia que ninguém esperava, vai chegar em todos os lares

Salvar vidas ou combater a recessão? Coronavírus coloca em ação a ética da economia

O bicho tá pegando e não é hora de afrouxar a estratégia do isolamento social

Sobre Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Anterior Justiça impede missionários de fazerem contato com indígenas isolados
Próximo Escritor e colaborador cientista, indígena Aldevan Baniwa morre de Covid-19 em UTI de Manaus

Veja Também

Pare de usar calcinha e cueca e veja o que acontece com o seu corpo 

Essa é uma peça de vestuário que acompanha as pessoas em, praticamente, todos os momentos. …