Rótulos de produtos alergênicos: informações claras passam a valer no próximo mês

embalagens

Você tem o costume de ler os rótulos das embalagens de tudo o que compra?

Então, fique ligado, porque a partir do próximo mês as empresas serão obrigadas a seguir as determinações que exigem ser informada de forma clara a presença de 17 ingredientes alergênicos, como soja, leite, glúten, entre outros, assim como os seus derivados.

A presença dessas substâncias que provocam alergia deve ser informada com letras maiúsculas, em negrito e com uma cor de contraste com o fundo, a fim de chamar a atenção do consumidor.

Os produtos fabricados até o dia 3 de julho, prazo final para as empresas se adequarem à nova regra, podem ser comercializados até o fim de seu prazo de validade.

A iniciativa nasceu em 2015 provocada por entidades e grupos de pais de crianças alérgicas, os quais encontram dificuldades para identificar a composição dos alimentos que seu filhos podem ou não ingerir. Estima-se que, no Brasil, cerca de 8% das crianças menores de 6 anos manifestam algum tipo de alergia.

Orientações para a leitura de rótulos

Atualmente, no mundo todo, há uma tendência no consumo de alimentos saudáveis, o que tornou obrigatória a especificação nutricional nos rótulos das embalagens. Ainda assim, muitas pessoas não se preocupam em lê-los ou, simplesmente, não sabem lê-los.

A nutricionista Fabiane Alheira deu uma entrevista ao programa Ligado em Saúde, do Canal Saúde, no qual comentou sobre uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) que mostra que 80% das pessoas acham importante a leitura dos rótulos de alimentos, mas apenas 40% delas adotam essa prática.

Um exemplo de um produto cuja leitura do rótulo é importante é a bebida de frutas. Muita gente acredita que a embalagem que diz ser o suco de frutas é saudável e natural. Entretanto, Fabiane alerta que as Instruções Normativas, publicadas em 2013, com o objetivo de levar à população informações claras e precisas sobre a porcentagem de suco esclarece os consumidores sobre o produto que compram. "Quando tinha um suquinho com esse apelo de todo natural, os mais desavisados pegavam da gôndola e colocavam no carrinho. Aí davam pro seu filho na escola, felizes da vida achando que estavam consumindo um produto natural de qualidade", afirma.

Pela classificação atual, as bebidas de frutas devem ser identificadas como refresco, se contêm de 5 a 20% de suco natural da fruta; como néctar, se contêm de 20 a 30% de suco da fruta; e suco integral, se feitas com 100% de suco da fruta.

Muitas vezes o apelo publicitário nos chama mais a atenção do que os valores nutricionais do produto que compramos. Por isso, antes de se deixar seduzir pela embalagem, leia o rótulo dos produtos que você pretende levar para a casa. Assim você fica sabendo exatamente o que vai consumir.

Confira, a seguir, a entrevista com a nutricionista Fabiane Alheira, na qual ela dá dicas importantes que vão ajudar você a ler melhor os rótulos das embalagens.

Leia também:

EMBALAGENS DE ALIMENTOS E BEBIDAS: QUAL É O MATERIAL MAIS SEGURO?

CONHEÇA ALGUNS ALIMENTOS QUE DIZEM SER SAUDÁVEIS MAS NÃO SÃO

Fonte: ebc