Kenye West doa US$ 2 milhões para garantir que a filha de Floyd possa estudar

Vidas negras importam. Algumas notícias nos trazem um respiro de esperança em meio aos fatos recentes que abalaram o mundo: nos Estados Unidos, a morte de um homem negro sufocado por um policial branco e, no Brasil, a morte de um menino negro causado pela negligência de uma mulher branca.

A pauta racial está na boca do povo porque é preciso iniciar para ontem, as mudanças de hoje, para que amanhã não tenhamos mais que nos deparar com a falta de moral e de ética que parecem ser o novo normal dentro de uma sociedade que preza pelo individualismo acima de tudo e de todos.

A pauta racial precisa ser encarada. Temos uma crise civilizatória para resolver

Para mostrar não apenas indignação, mas também empatia com tudo o que está acontecendo, Kanye West organizou uma campanha para arrecadar fundos para garantir os estudos da filha de George Floyd, cuja morte incendiou os Estados Unidos em manifestações contra o racismo, e também para ajudar outras familias vitimas de violência a pagarem despesas processuais.

O rapper informou ter doado US$ 2 milhões para instituições de caridade associadas aos nomes de Ahmaud Arbery e Breonna Taylor, além de criar um fundo que possa garantir à Flian Gianna, filha de Floyd, uma menina de seis anos de idade, em seus estudos até a universidade.

O artista também anunciou que apoiará com ajuda financeira o empreendedorismo afro-americano em Chicago, sua cidade natal.

Kim Kardashian, sua esposa, também se ofereceu a pagar as despesas médicas de um dos manifestantes feridos durante as manifestações que incendiaram os EUA.

E não é só nos States que as vidas negras importam. No Brasil, Luisa Mell também se disponibilizou a pagar as despesas processuais para que justiça seja feita ao menino Miguel, de 5 anos de idade, em mais um episodio de racismo que chocou o Brasil.

View this post on Instagram

Meu coração está despedaçado com esta tragédia. Miguel, de apenas 5 aninhos, foi trabalhar com sua mãe, a empregada doméstica Mirtes Renata. Certamente, pq ela foi obrigada a voltar a trabalhar, mas como as escolas e creches estão fechadas n tinha com quem deixar a criança! Pois bem, a patroa mandou sua funcionária ir passear com os cães e ficou de tomar conta da criança. Mas irritada com o choro de uma criancinha assustada ela o colocou no elevador sozinho!!!!! Ele cada vez mais assustado, em busca de sua mãe, parou em um andar sem proteção e ao avistar sua mãe na rua… foi chamá-la e caiu do 9 andar deste condomínio luxuoso em Pernambuco! Imaginem o desespero desta criança! Imaginem a dor de uma mãe!!!! A patroa pagou a fiança de 20 mil reais e está respondendo em liberdade! E para meu espanto a polícia e imprensa n estão divulgando o nome dela. Parece que é esposa de politico do Estado. Uma vergonha! E se fosse o contrário?!? Queremos justiça para Miguel. Por favor, quem conhecer a mãe, entre em contato comigo. Quero ajudar a pagar um advogado para o caso. Me ajudem a não deixar esta mulher ficar impune pq é rica e influente. E aproveito para perguntar para nossos governantes: As mães estão tendo que voltar a trabalhar, MAS AS ESCOLAS e CRECHES estão fechadas sei lá até qd! Vão deixar as crianças com quem?!?? Eu com todos meus privilégios, estou encontrando extrema dificuldade de trabalhar e cuidar do meu filho. Mas como disse, tenho todos os recursos. Agora e quem n tem?!?? Não é um problema só das mães! É de toda sociedade! Com quem ficarão os filhos das trabalhadoras, sem escolas?!!?? #justiçaparamiguel

A post shared by Luisa mell (@luisamell) on

Que estas notícias nos tragam um pouco de esperança na humanidade, para que possamos crer que, um mundo melhor, ainda, é possível.

Talvez te interesse ler também:

Pretos no ENEM: ajude um estudante negro que não pode pagar a taxa de inscrição para o exame

Mundo pós-pandemia: empresários no Reino Unido pedem por economia verde

O comovente abraço entre um policial e uma manifestante durante os protestos (VÍDEO)

Fonte foto: Hufftingtonpost

Sobre Daia Florios

Daia Florios
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É fundadora e redatora-chefe em GreenMe Brasil.

Veja Também

Ingrid Bergman

Violência contra a mulher não é somente física

A Organização das Nações Unidas declarou o dia de hoje, 25 de novembro, como o …