Minnesota em chamas: protestos pela morte de George Floyd estão virando revolta

A morte de George Floyd, de 46 anos, em Minnesota nesta segunda-feira, em consequência da abordagem cruel feita por um policial norte-americano, provocou indignação e revolta de pessoas no mundo inteiro.

Em decorrência desse triste episódio policial, está rolando nos EUA, a sede dessa injustiça, protestos violentos dos cidadãos contra a violência policial e o ato de racismo que levou à morte esse homem.

“Não consigo respirar”: vídeo de policial branco sufocando homem negro: repulsa e indignação. Basta racismo

Pessoas famosas, artistas e atletas, além de outras personalidades expressaram apoio à causa desses protestos.

Confronto entre policiais e manifestantes

A polícia tentou conter a ocupação das ruas pelos manifestantes e isso gerou ainda mais revolta, confusão e até saques em lojas, incêndios propositais dos revoltosos em construções e veículos.

Após os confrontos entre policiais e manifestantes se sucederam mais protestos violentos em Minneapolis, tendo como consequência uma delegacia incendiada.

A situação está tão perigosa que no perfil de Minneapolis, no Twitter, foi lançado um comunicado alertando sobre o risco de explosões causadas pela violação dos tubos de gás e avisando:  “Se você estiver perto do prédio, para sua segurança, afaste-se! ”

Reportagem sobre a Manifestação

Veja a reportagem do canal Band Jornalismo mostrando cenas dessas manifestações e contando mais sobre o crime cometido contra George Floyd.

Reação do Presidente Trump frente aos protestos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu aos manifestantes chamando-os de “bandidos”, dizendo que “estão desonrando a memória de George Floyd”.

Trump também disse que enviará a Guarda Nacional – a principal força reservista militar dos EUA, para Minnesota, caso “o prefeito de esquerda radical, Jacob Frey, não comece a agir e coloque a cidade sob controle”.

“Não posso parar e ver isso acontecer em uma grande cidade americana, Minneapolis. Uma total falta de liderança”- disse Trump, criticando a administração do prefeito da cidade em relação aos protestos.

Durante uma entrevista coletiva, o prefeito de Minneapolis respondeu às duras críticas de Trump, dizendo:

“Fraco é alguém que aponta o dedo para outra pessoa em tempos de crise. Donald Trump não sabe nada sobre a força de Minneapolis. Nós somos fortes. É um período difícil? Sim. Mas tenha certeza de que conseguiremos “

Que mundo pós-pandemia queremos?

Fala-se tanto em um mundo pós-pandemia melhor, porém um mundo melhor necessita de mais empatia.

Com todo esse cenário caótico, frente a um ato desumano ainda em meio à realidade de uma pandemia, fica a pergunta: quando o racismo e o preconceito irão acabar e dar lugar ao respeito ao próximo?

Talvez te interesse ler também:

“Um negro vale uma bala”: revelam em mensagens, alunos de escola privada no Rio de Janeiro

A epidemia da desigualdade: 6,7% dos brasileiros vivem com menos de 1,9 dólar por dia

Recorde de mortes por Covid-19. Hospitais lotados, médicos “escolhem” quem salvar

Fonte foto: Il post

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

“Gorda na Lei”: um projeto para combater a gordofobia

Gorda na lei é um projeto criado por uma advogada, Mariana Vieira de Oliveira, e …