Cavalinha - Planta Boa para Recuperar os Minerais Perdidos

  • atualizado: 
Cavalinha

Cavalinha é uma planta medicinal de uso muito antigo - botanicamente esta planta é conhecida como Equisetum arvense e, em cada região tem um nome interessante: rabo-de-cavalo, cola-de-cavalo, milho-de-cobra, cauda-de-raposa, cana-de-jacaré, erva-canudo ou lixa-vegetal são alguns desses nomes populares.

A cavalinha é planta de brejo, que sempre dá e cresce em região onde a água fica acumulada, nos pântanos, na beira de lagos ou valas. Uns caniços verdes, durinhos, com gomos, que podem crescer até metro e meio de altura em algumas regiões, que bota folhas descabeladas a cada tanto. Lembra o bambu mas não é, também lembra as caninhas de pescar, que são taquarinhas de brejo aqui e ali.

Mas, a cavalinha tem benefícios, e muitos e, por isso, é erva consagrada nas medicinas populares e na fitoterapia.

No região sul e sudeste abunda nos campos uma outra cavalinha, a Equisetum giganteum, que também é usada medicinalmente mas, cujo excesso pode causar danos cardíacos. É importante não se confundir as espécies - o gênero Equisetum tem várias espécies semelhantes, umas mais tóxicas do que outras. A toxicidade da cavalinha é maior para os animais não ruminantes.

equisetum arvenseFonte foto

Usos da Cavalinha: na Saúde, como Chá, Infusão ou Tintura:

Cavalinha é erva rica em sais minerais e, por essa condição, ajuda na recuperação de fraturas e problemas ósseos assim como nos cortes na musculatura e cartilagem.

Cavalinha também é ótima como diurético, reduz a pressão arterial e o inchaço proveniente da retenção hídrica sem, porém, prejudicar a função renal pela perda exagerada de sais mineirais, que é o que acontece quando usamos diuréticos.

O uso da cavalinha também melhora o tempo de coagulação do sangue, o seu alto teor de sílica fortalece os tecidos conjuntivos e é bem indicada nos casos de artrite reumatoide, tuberculose e problemas brônquicos.

Na medicina alternativa a cavalinha também é recomendada como cataplasma para o tratamento de feridas pois ajuda no estancamento do sangue, na recuperação dos tecidos e estimula as defesas do organismo.

De cavalinha se faz ducha vaginal para tratamento de leucorréia, colírio contra conjuntivite, loção para tratar chulé, tônico para os cabelos e água de gargarejo para limpeza bucal em tratamentos de gengivite.

Outros Usos da Cavalinha: no Jardim e na Culinária

● Nas hortas, a infusão de cavalinha pode ser borrifada nas plantas de jardim e varanda para prevenir os fungos.

● Na cozinha, as plantas jovens de cavalinha podem ser consumidas como aspargos - para isso é preciso descascá-las e retirar a polpa interna que será fervida e temperada. As raízes podem ser comidas cruas, no começo da primavera, ou cozidas, durante todo o ano.

Contraindicações e Efeitos Colaterais da Cavalinha

Em quantidades excessivas, a cavalinha pode ser ligeiramente tóxica pois contém um alcalóide, a equisetina.

Caso seja ingerida durante um longo período de tempo, a cavalinha pode causar deficiência na vitamina B1 pois contêm uma enzima, a tiaminase, que destrói essa vitamina.

Esta planta é rica em selênio e, portanto, para consumo interno só deve ser colhida durante a primavera quando os níveis desse mineral no solo não são muito altos - é que o excesso de selênio é bastante prejudicial à saúde podendo causar problemas neurológicos.

Apesar da cavalinha ser muito usada como diurético e até no fortalecimento das funções renais, seu uso por tempo prolongado pode provocar irritabilidade deste órgão por excessiva excreção.

Curiosidades sobre a Cavalinha

Esta é uma planta muito antiga, que se reproduz por esporos (como as samambaias e fungos) e que não depende de nenhum método de polinização. É uma planta perene, rica em cristais de silício e que atingia os 12 metros de altura em tempos geológicos muito antigos, quando era uma planta dominante em áreas alagadas.

Cavalinha é uma das ervas medicinais que constam da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS) e permitida sua indicação e uso medicinal de acordo com as tradições da medicina popular.

Como Usar a Cavalinha

Nas medicinas populares a recomendação é de que se ferva, por até 10 minutos, um punhado de cavalinha seca para cada litro de água.

No comércio você encontra a cavalinha (Equisetum arvense) seca e cortada, em pacotes.

Caso vá usar a cavalinha fresca, duplique a quantidade de folha picada.

O chá resultante poderá ser tomado, quente ou frio, até 3 vezes ao dia conforme a necessidade, usado como banho para o corpo e vagina, lavagem dos olhos ou compressas.

O site Plantas que Curam indica também o uso do extrato em pó, em cápsulas ou para misturar a um líquido.

Leia mais sobre usos e benefícios de Ervas Medicinais:

seta

UNHA DE GATO - USOS, BENEFÍCIOS E PROPRIEDADES MEDICINAIS

setaARGILA BRANCA - PROPRIEDADES MEDICINAIS E FANTÁSTICOS USOS DERMATOLÓGICOS

setaINHAME: UM ALIMENTO MEDICINAL, CHEIO DE PROPRIEDADES E USOS