Lolita, a orca que completa 50 anos de solidão e não há nada a festejar

Vivendo meio século em cativeiro, a orca Lolita é conhecida por ser a orca mais solitária do mundo! Por isso, completar 50 anos dessa forma não há muito o que comemorar, pois ela não possui o bem mais precioso da vida: a liberdade.

Já tínhamos noticiado sobre essa linda orca, que vive sozinha em um tanque,  girando o dia todo como um autômato. Por isso, com sinais de estresse e provavelmente neste período de bloqueio ela deve estar se ressentindo mais ainda.

Por todas essas razões, várias entidades de Proteção Animal, como People for the Ethical Treatment of Animals, The Animal Legal Defense Fund e Orca Network recorreram ao Tribunal Federal Norte-Americano para sua liberação, mas os juízes negaram esse apelo e Lolita até hoje segue em cativeiro para servir de atração turística.

Contudo, os defensores dos animais seguem sendo a voz deles e as organizações de direitos dos animais continuam lutando pela liberdade de Lolita. Além disso, há uma petição ativa feita pela PETA para ela ser retirada do Miami Seaquarium e ir viver livre em um Santuário à beira-mar.

Para apoiar essa campanha clique->AQUI

Neste vídeo, ativistas e protetores da causa animal fazem os protestos pela libertação da orca Lolita:

Como teve início o cativeiro de Lolita

O drama de Lolita teve início quando ela foi cruelmente capturada em 1970 em Penn Cove, na costa da ilha de Whidbey, de modo que ela foi violentamente retirada do mar e colocada em uma “poça d’água”, para ser objeto de selfies e espetáculos com adestramento.

Neste local onde ela passou a viver cativa, havia um outro companheiro, porém, após a morte dele, Lolita ficou sozinha e muitos lutaram para ajudá-la mas, sem sucesso.

Nem mesmo o fato dela ter sido capturada em uma área de proteção ambiental pertencente à tribo Lummi, que poderia ter ajudado ela a sair do cativeiro, deu resultado. De acordo com um tratado de 1855, os nativos dessa tribo têm o direito de proteger tudo o que surge em sua área, portanto também o mar e seus habitantes.

Os indígenas apelaram para essa esperança, mas o Tribunal ficou do lado do zoológico aquático alegando que os administradores a respeitam e garantem seu bem-estar animal.

Este outro vídeo mostra um representante do Miami Seaquarium falando de como Lolita é cuidada neste local.

Ser cuidada em cativeiro ou viver livre na natureza?

Entre estar sendo cuidado em cativeiro ou viver livre na natureza o que você preferiria?

Essa pergunta é para refletir que o único bem-estar dos animais é viver livremente, em seu habitat natural e de acordo com as leis naturais que o regem.

Como é possível achar que uma espécie de baleia poderia estar feliz em estar em uma “banheira” para ser fotografada e servir de “bobo da corte” para “humanoides” que veem animais como robôs?

Para piorar esse contexto, a orca Lolita foi arrancada de sua mãe quando ela tinha apenas três anos de idade e seu parceiro Hugo se suicidou em 1980 batendo repetidas vezes sua cabeça contra o vidro do aquário.

Apesar de tanta fatalidade, Lolita completa 50 anos sozinha, e de certo, se pudesse falar e pedir um presente de aniversário, ela pediria sua liberdade!

Boicote

Por tudo isso, é necessário parar de financiar esse tipo de atividade que explora animais como entretenimento.

Ainda bem que já existem aquários virtuais como: Ocean Odissey: o único aquário que a gente gosta (porque não tem peixe!)

Usemos a tecnologia e nossas escolhas a favor dos animais para que eles sejam preservados e livres!

Talvez te interesse ler também:

Com restaurantes fechados, ratos ficam agressivos em Nova York à procura de comida durante lockdown

Surpreendente: as abelhas mordem folhas de plantas para acelerarem a floração

Cobras-liga: a espécie de cobras amigas que preferem sair juntas e viver em grupo

Espalhe Amor
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.