Surpreendente: as abelhas furam folhas de plantas para acelerarem a floração

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

As mudanças climáticas e o aquecimento global estão colocando em risco as abelhas e seus habitats. Com isso, estes insetos estão lutando cada vez mais para colonizar novos territórios e se reproduzir em novas áreas.

Mesmo diante dessas circunstâncias, as abelhas com toda engenhosidade dão um jeito de obterem pólen. E, confirmando isso, temos um novo estudo que revela que estes insetos são verdadeiros jardineiros da natureza, favorecendo o florescimento de plantas com pouco pólen, ao “fazerem uma espécie de poda”, furando e picando as folhas das plantas com pequenas incisões para que as mesmas produzam flores mais rapidamente.

Essa descoberta surpreendeu os cientistas da equipe de pesquisa da Universidade ETH, liderada por Consuelo De Moraes e Mark Mescher.

Como esse processo funciona com exatidão ainda é algo desconhecido para os pesquisadores, entretanto, se bem compreendido, poderá ser uma alternativa a ser copiada pelos humanos a fim de ser usado em cultivo de plantas e em atividade agrícolas.

Esse fenômeno extraordinário produzido pelas abelhas foi descrito e publicado na revista Science pela  equipe de pesquisadores do ETH de Zurique e da Universidade Paris-Saclay.

Descoberta

Os cientistas descobriram basicamente que as abelhas da espécie Bombus terrestris, conhecida no Brasil como mamangava-de-cauda-amarela-clara, roem as folhas que têm pouco pólen para estimulá-las a florescer. Essa estratégia acelera o processo de floração das plantas por volta de 30 dias antes do habitual.

A importância das abelhas

As abelhas são valiosas polinizadoras silvestres e essenciais para muitas culturas de plantas. Contudo, infelizmente devido à ação do homem, vêm sofrendo uma redução drástica nos últimos anos.

Em decorrência dos prejuízos causados ao meio ambiente pelo ser humano, temos as mudanças climáticas com a inversão das estações do ano. Tal desequilíbrio no clima tem se tornando muito comum e isso ameaça interromper o equilíbrio sazonal entre as plantas e seus polinizadores, ou seja, a interação natural entre seres vivos, no caso, as abelhas, as estações do ano e a biodiversidade.

Segundo a publicação da ETH Zurich,

“esses tipos de anomalias sazonais estão se tornando cada vez mais frequentes devido às mudanças climáticas e a incerteza resultante, ameaça destruir o momento das relações mútuas entre as plantas e seus insetos polinizadores”.

Abelha jardineira

Com esse estudo os pesquisadores mostraram que a abelha age como jardineira das plantas e, para isso,  este inseto usa como ferramenta sua boca para picar as folhas das plantas sem flores. Como consequência, a planta é estimulada a reagir produzindo novas flores que florescem mais cedo do que as das plantas às quais as abelhas não deram esse “empurrãozinho”.

“Trabalhos anteriores mostraram que diferentes tipos de estresse podem fazer com que as plantas floresçam. Mas foi inesperado que os danos causados pelas mamangabas acelerassem a produção de flores”- disse Mark Mescher.

Esse comportamento das abelhas em relação às plantas já havia sido observado em outros estudos realizados por um dos primeiros autor dessa pesquisa, Foteini Pashalidou. Só faltava mais informações detalhadas para compreender melhor essa interação.

Ao conduzir estudos ao ar livre, os pesquisadores do ETH mostraram que a propensão da abelha em danificar as folhas tem uma forte correlação com a quantidade do pólen que ela pode obter, pois quanto menos pólen, mais prejuízos para este inseto.

©Hannier Pulido/ETH Zürich

Como exemplo dessa estratégia de aceleração provocada pela ação das abelhas, os pesquisadores tiveram a comprovação com duas espécies diferentes de plantas expostas a estes insetos:

  • tomateiros que floresceram até 30 dias antes do que aqueles que não foram picados pelas abelhas
  • pés de mostardas cuja floração fora antecipada de duas semanas.

Conforme explicado por Consuelo M. De Moraes,

” o estágio de desenvolvimento da planta quando picado por abelhas pode influenciar o grau de aceleração da floração”.

Tal conexão, será objeto de mais estudos pelos pesquisadores.

Informações promissoras

Conforme ressaltado pelos estudiosos, toda essa descoberta pode ampliar a visão e o conhecimento dos seres humanos em relação ao cultivo de plantas, o que poderá contribuir para melhorias na agricultura. Além disso, conhecer melhor a relação entre os abelhas e a floração pode evidenciar o poder de resiliência e adaptação dessas criaturas diante de um ambiente em constante mudança.

“Acho fascinante o quanto ainda não sabemos sobre os organismos que pensamos conhecer muito bem. Isso absolutamente aumenta nosso senso de admiração pela inteligência da natureza em todas as suas muitas formas”- concluiu Consuelo M. De Moraes.

Vídeo

Veja neste vídeo do ETH como as abelhas estimulam instintivamente as plantas florescerem e consequentemente produzirem pólen, que serve como alimento para estes insetos.

Talvez te interesse ler também:

Cobras-liga: a espécie de cobras amigas que preferem sair juntas e viver em grupo

Com restaurantes fechados, ratos ficam agressivos em Nova York à procura de comida durante lockdown

Elefantes são devolvidos à natureza devido ao fechamento de atrações turísticas na Tailândia

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook