Cobras-liga: a espécie de cobras amigas que preferem sair juntas e viver em grupo

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Normalmente, as cobras são animais solitários que se reúnem apenas para acasalar e hibernar. No entanto, existe uma espécie de cobras que são “amigas” umas das outras e preferem manter o contato social. Trata-se das cobras-liga Thampnophis sirtalis sirtalis, uma espécie de cobra não peçonhenta da América do Norte.

De acordo com um estudo publicado na revista Science, pesquisadores descobriram que as cobras-liga preferem sair juntas e possuem “amigos”, com os quais passam a maior parte do tempo.

O estudo em questão foi realizado pelo psicólogo Noam Miller e pelo estudante Morgan Skinner, da Universidade Wilfrid Laurier, com o objetivo de estudar as diferentes formas de interação entre os animais.

Para isso, os pesquisadores utilizaram 40 cobras-liga da espécie Thamnophis sitalis, colocando-as em conjuntos de 10, marcando-as com um ponto colorido na cabeça. As cobras eram monitoradas por câmeras e, uma vez por semana, Skinner as retirava do recinto e limpava o local para remover odores.

Depois as cobras eram colocadas em posições diferentes para que eles pudessem observar se os mesmos grupos seriam formados. Como havia uma abertura na frente das caixas onde estavam os grupos, as cobras saiam e voltavam para os grupos iniciais.

Com isso os pesquisadores puderam concluir que as cobras-liga possuem o mesmo comportamento dos mamíferos, ou seja, gostam de formar “panelinhas”. Quando estão em grupo, elas tendem a agir do mesmo modo que o restante do grupo.

Outro teste foi feito, deixando algumas cobras sozinhas em recintos separados. O intuito era analisar a ousadia de cada uma das cobras, quando estavam longe do grupo. Os pesquisadores observaram que algumas eram bem ousadas e exploravam o recinto, outras ficavam tímidas e recuadas.

O mais curioso é que quando elas estavam em grupo, tinham o mesmo comportamento das outras, independente da personalidade de cada uma. Além disso, o estudo mostrou que elas passam 94% do tempo nos abrigos e quanto mais cobras no recinto, melhor. Isso porque o calor e umidade que elas acumulavam quando estavam juntas, favoreciam essa condição.

Outro ponto positivo da união entre as cobras é o fato de estarem mais protegidas, tanto por afastar predadores, quanto por receberem informações umas das outras sobre se é seguro sair do abrigo ou não.

A finalidade desse estudo favorece às instituições de conservação de répteis, que muitas vezes falham ao tentar transferir apenas um espécime para determinado local. Com a conclusão desse estudo, talvez eles possam pensar em transferir grupos inteiros ou mesmo preparar o novo ambiente com odores familiares, para que haja sucesso na operação.

A natureza é maravilhosa!

Talvez te interesse ler também:

Cobra Arco-Íris mais de meio século sumida, em um condado da Flórida, reaparece na Natureza

Comendo cobra-coral: o gambá é imune ao veneno de muitos animais peçonhentos

As destemidas vovós mergulhadoras que vivem entre cobras venenosas

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook