Comendo cobra-coral: o gambá é imune ao veneno de muitos animais peçonhentos

Há quem o ache fofinho, depois de popularizado pela animação Pepe Le Gambá; há quem dele tenha nojinho, comparando-o a um rato. Independentemente do grau de simpatia ou de antipatia, o importante é saber que o gambá tem uma função muito importante na natureza.

É ademais muito curioso o fato de o gambá ser imune ao veneno de muitos animais peçonhentos. Pequeno e forte, vamos saber tudo sobre esse marsupial e assistir ao vídeo do Rei das Serpentes, no qual um gambá come uma cobra-coral, provavelmente verdadeira!

Características

O gambá é um marsupial da família dos didelfídeos. Isso quer dizer que as fêmeas possuem uma bolsa na barriga, onde os filhotes permanecem, por um curto período de gestação, até completarem o seu desenvolvimento.

É um animal onívoro e seu principal predador é o gato-do-mato (Leopardus spp.).

Ele mede de 40 a 50 cm de comprimento, sem contar a cauda, que pode chegar a mais 40 cm. Seu corpo é parecido com o de um rato, por isso a comparação entre os dois animais.

Dentre suas habilidades, é capaz de enrolar-se a um suporte, como um ramo de árvore, por exemplo.

Odor como mecanismo de defesa

Os gambás ganharam má fama por causa do seu cheiro. Mas é preciso entender que ele só exala um odor fétido quando se sente ameaçado. De acordo com o Fauna News, um outro mecanismo de defesa do gambá é fingir-se de morto até que o predador vá embora.

Outras curiosidades

O gambá tem muitos nomes populares de acordo com cada região do Brasil: sariguê, mucura, timbu, tacaca, saurê…

Esse animal não costuma viver em bando. Quando se reproduzem, constroem ninhos com folhas e galhos secos em buracos de árvores.

Os gambás são notívagos, logo, quando começa a escurecer, eles saem de suas tocas para caçar.

Alimentam-se de raízes, frutos, insetos, escorpiões, aranhas, moluscos, crustáceos, anfíbios, serpentes, lagartos, pequenos mamíferos e aves. Como se nutrem, também, de animais peçonhentos, os gambás são imunes aos seus venenos. Eles conseguem atacar uma serpente pela cabeça, de onde iniciam a ingestão da presa.

Função ecológica

O papel ecológico fundamental dos gambás é o fato de serem controladores de populações de pequenos roedores, escorpiões e serpentes, bem como dispersores de sementes, já que as espalham pela mata através de suas fezes.

Comendo cobra-coral

Vamos entender como um gamba ataca uma cobra-coral no meio da noite! O Rei das Serpentes explica o comportamento do animal no vídeo abaixo.

Depois de alimentar-se da coral, o gambá parece ainda não estar satisfeito. Mas o pequeno animal acaba buscando um abrigo seguro subindo em uma árvore. Às 5h da manhã, o gambá começa a descer dela à procura de um local escuro, uma toca, para esconder-se durante o dia.

Todo animal tem uma função na natureza. Nas cidades, a diminuição da população de gambás tem provocado o aumento de escorpiões e insetos. Isso é um sinal de desequilíbrio ambiental. Por isso, é fundamental preservar os gambás e o seu papel na biodiversidade.

Talvez te interesse ler também: 

Mariposa-luna: a mais bonita das mariposas, alvo da cobiça dos homens

O sofrimento animal, e humano, contado por um matador de abatedouro

Como e porque atrair morcegos para o seu jardim

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

5000 pets encontrados mortos em empresa de transporte. Um comércio que muita gente sustenta

Coelhos, porquinhos-da-índia, cães e gatos. Pets que estavam sendo transportados de um lugar a outro, …