Desmatamento na Amazônia: recorde da década e o segundo maior do registro histórico

Desmatamento na Amazônia: recorde da década e o segundo maior do registro histórico

Um estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrou que, entre agosto de 2018 e julho de 2019, o desmatamento na Amazônia cresceu 30% em relação ao período anterior.

Isso significa que cerca de 10 mil km² foram devastados, conforme registram os dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes).

Segundo a Folha de S. Paulo, o desmatamento no bioma amazônico não apenas cresceu como é o recorde da década e o segundo maior do registro histórico, ficando atrás apenas do ano de 1995.

Em 2008, embora o Brasil tivesse um registro de desmatamento próximo a esse nível, estava havendo uma tendência de queda – cenário completamente distinto do atual, cuja tendência é de crescimento.

Não é coincidência que o aumento do desmatamento no país esteja ocorrendo durante o mandato presidencial de Jair Bolsonaro, um ferrenho crítico de órgãos fiscalizadores como o Ibama.  Em 2019, a Amazônia ficou em chamas com o aumento, também, das queimadas. Bolsonaro, naquele momento, chegou a, inclusive, questionar a credibilidade do Inpe no mapeamento dos incêndios.

O levantamento do Prodes 2019-2020 indica que o desmatamento para o atual período pode ser ainda superior ao do ano passado.

Talvez te interesse ler também:

Veneno na mesa em plena quarentena: agrotóxicos são liberados durante pandemia

MPF identifica cerca de 10 mil registros de proprietários privados em terras destinadas a povos indígenas

Greenpeace aponta 3 gigantes frigoríficos brasileiros ligados ao desmatamento da Amazônia

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *