Desolador! Brasil bate recorde de desmatamento da Amazônia

Desolador! Brasil bate recorde de desmatamento da Amazônia

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais-INPE revelam recorde de desmatamento na Amazônia.

Esse infeliz recorde do desmatamento da Amazônia brasileira se deu com aumento da devastação da floresta em 29,5% entre agosto de 2018 e julho de 2019, totalizando uma área de 9.762 km 2.

Esse foi o maior recorde destrutivo alcançado em dez anos!

O período de análise e referência se estende aos sete primeiros meses do governo de Jair Bolsonaro.

O INPE anualmente compara os dados coletados com os de outros satélites de um sistema chamado Prodes e a conclusão é que a área desmatada é a maior desde 2008.

No recorde atual, o estado amazônico mais desmatado nesses últimos 12 meses é o Pará.

O Greenpeace atribui como um dos fatores que contribuíram para o recorde a diminuição de meios de prevenção e combate ao desmatamento que incidiram com Bolsonaro no governo.

O diretor-executivo do World Wide Fund for Nature – o WWF no Brasil, Mauricio Voivodic, fez o seguinte alerta sobre o desmatamento da Amazônia:

Cerca de 20% da Amazônia já foi destruída, e a floresta se aproxima do ponto de não retorno, em que a Amazônia se transformará em uma savana.”

Esta triste notícia foi transmitida em vários meios de comunicação e neste vídeo é noticiada pelo Jornal da Gazeta, confira as informações e os dados dessa destruição.

Que os poderes governamentais e instituições ambientais se unam em prol da preservação da Amazônia antes que seja tarde demais!

Talvez te interesse ler também:

CACAU, DESMATAMENTO E EXPLORAÇÃO. O LADO AMARGO DO CHOCOLATE QUE POUCA GENTE CONHECE

DESMATAMENTO E INCÊNDIOS NA AMAZÔNIA: DA NESTLÈ AO CARREFOUR, AQUI ESTÃO AS MULTINACIONAIS COM A CONSCIÊNCIA SUJA

34 ANOS DE DESMATAMENTO = 3,6 VEZES ÁREA DE SP OU 2,5 ALEMANHAS DE FLORESTA PERDIDA

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *