Vem aí um futuro de doenças transmitidas por animais!

Em época de coronavírus, cientistas buscam saber qual teria sido a origem dessa doença. Uma das hipóteses apontadas tem relação com o consumo da carne, devido ao fato desse surto ter começado em um mercado de carne fresca em Wuhan, capital de província de Hubei, na China.

Nesse mercado, animais como morcegos, cobras, civetas, burros, veados, crocodilos, entre outros, vinham sendo abatidos na hora e suas carnes vendidas como alimento para o consumo humano.

Por conta disso, as autoridades chinesas, para barrar a disseminação do coronavírus, proibiram o consumo e a venda ilegais das carnes desse animais, bem como a caça e o transporte com a finalidade de alimentação.

“Tem havido uma preocupação crescente entre as pessoas sobre o consumo de animais selvagens e os perigos ocultos que isso traz à segurança da saúde pública desde o novo surto da doença por coronavírus (Covid-19)”, disse Zhang Tiewei, porta-voz do mais alto órgão legislativo, a Comissão de Assuntos.

As dúvidas dos cientistas

Os cientistas continuam investigando como essa cadeia de contaminação ocorreu de animal para humano. Uma das hipóteses levantadas por pesquisadores da Universidade de Agronomia do Sul da China, é a de que a transmissão tenha se dado por meio do consumo da carne de pangolim, um mamífero em vias de extinção, comercializado de forma ilegal na China.

O pangolim pode ter se tornado o hospedeiro intermediário do vírus, ao se alimentar na natureza e ter tido contato com fezes de morcego (o transmissor) e, assim, acabou senso contaminado para depois contaminar o homem.

Tipos similares de transmissão de doenças de animais para humanos vêm ocorrendo com frequência nos últimos cinquenta anos. Confira neste vídeo do canal Minutos da Terra as explicações de como doenças causadas por vírus acabam sendo transmitidas por animais como por exemplo, o morcego.

Que fique bem claro que os morcegos fazem parte do equilíbrio da biodiversidade e que são grandes polinizadores na natureza. A causa principal da transmissão de doenças como o Covid-19, está atrelada ao comportamento humano em relação a esses animais e ao habitat deles. E não o inverso.

Doenças contagiosas x alimentação

E por falar em comportamento humano, neste outro vídeo do canal #NãoSejaIndiferente, Matheus Croco faz uma análise sobre a relação dos hábitos alimentares com a transmissão de doenças de animais para humanos.

Ele dá vários exemplos de outros surtos com causas relacionadas ao consumos da carne, e esclarece que não são somente os chineses que precisam rever seus hábitos alimentares.

É bom ressaltar que, além dos chineses, os brasileiros também consomem animais silvestres ou selvagens, haja vista que, no Brasil tem gente que come lagartos, tatus, tartarugas, macacos, cobras, formigas, rãs, jacarés, patos, entre outros, além de animais tidos como convencionais como frangos, perus, bois e porcos.

Epidemias x animais

As novas epidemias relacionadas com os animais têm se intensificado. Pesquisas confirmam que mais de 70% das novas doenças infecciosas são provenientes da vida selvagem e o que tem contribuído para a ocorrência dos surtos são a captura, o transporte, o comércio e o abate desses animais.

Como exemplos de alguns desses surtos temos:

  • o HIV/Aids, dos anos 80, que teve origem nos primatas
  • a Sars em 2003, também causada por um vírus do tipo corona, proveniente de morcegos, via civeta (pequeno mamífero asiático)
  • a gripe aviária, de 2004-2007, veio de aves
  • a gripe suína, em 2009,  oriunda dos porcos
  • o Ebola, em 2013,  também desencadeado por morcegos

Um futuro de pandemias

Além da interferência humana na vida animal através de seus hábitos alimentares predatórios, outros fatores contribuem para o aumento da transmissão de doenças de animais para humanos, tais como:

  • Mudanças climáticas: devido à poluição e ao aquecimento global, o que tem provocado a alteração nos habitats e hábitos alimentares dos animais.
  • A extinção de espécies: devido à ação humana, o que vem causando desequilíbrio na biodiversidade e na cadeia alimentar.
  • O aumento do desmatamento, da industrialização e da urbanização: levando vários animais a coabitarem com humanos e terem que se adaptar à condições adversas dos centros urbanos. Os animais acabam se alimentando de lixo, se contaminando e tornando transmissores de doenças.
  • Pobreza, desigualdade, falta de higiene, de saneamento básico, precárias condições de saúde, assistência médica deficiente, são fatores que promovem condições favoráveis para várias doenças se alastrarem.
  • A intensificação das viagens internacionais: que colaboram para a aumentar a transmissão das epidemias, contribuindo para que estas se tornem pandemias.

Hábitos precisam ser reavaliados

Em suma, os grandes surtos de doenças contagiosas de animais para humanos, estão associados aos abusos cometidos pelo ser humano em relação à natureza, ao meio ambiente e à vida animal.

O ser humano tem levado os animais a ficar sem seus habitats, alterando a forma de viver desses seres e prejudicando a saúde deles, o que contribui para se infectarem e se tornarem veículos de doenças.

Além disso, as doenças transmitidas por animais, podem vir a ser mais um problema no futuro, devido às mudanças climáticas e à globalização que contribuem para alterar a maneira de como os animais e os seres humanos interagem, agravando mais ainda essa situação.

Cada um de nós pode contribuir para reverter esse quadro, desenvolvendo a percepção de como os nossos hábitos e comportamentos desequilibram a vida em nosso planeta e, a partir daí, agir de forma mais consciente.

Talvez te interesse ler também:

Coronavírus principais dúvidas: como se pega, quais são os sintomas, qual a probabilidade de morrer, devo me preocupar?

Coronavírus: para a Alemanha já é pandemia. Por que a OMS ainda não declarou isso oficialmente?

“Coronavírus que se cuide”, pois a dengue é a verdadeira epidemia em curso no Brasil

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Ricardo Salles

Vitória na proteção de restingas e manguezais: Rosa Weber suspende revogações de Salles

Já contamos aqui que o ministro Ricardo Salles, em fatídica reunião do Conama – Conselho …