China começa a proibir o consumo de carne de cachorro após a epidemia de coronavírus

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Após a disseminação dos contágios de coronavirus, Shenzhen, uma metrópole no sudeste da China, está discutindo uma lei para proibir o consumo de carne de cachorro, a fim de melhorar a segurança alimentar.

O projeto de lei surge após a proibição de comercialização e consumo de carne de animais silvestres, prática considerada responsável pela epidemia de coronavírus.

Embora seja claro, como confirmado pela OMS, que cães e gatos não podem transmitir o novo coronavírus aos seres humanos, o crescente número de infecções ajudou a chamar a atenção para esse tipo de comércio. Além de causar imensa crueldade aos animais de estimação, o consumo de carne de cachorro também representa um risco para a saúde humana devido a outras doenças transmissíveis, como a raiva, por exemplo.

A nova legislação amplia a proibição do consumo de carnes de cobra, sapo e tartaruga, reduzindo o número de espécies adequadas ao consumo humano para nove.

A lista inclui porcos, vacas, ovelhas, burros, coelhos, galinhas, pombos, patos e gansos, além de peixes e animais aquáticos. Uma espécie de “lista branca” que, segundo as autoridades, deve ajudar as pessoas a saber o que é possível comer e o que não é, em comparação com as muitas espécies animais presentes na natureza.

A nova legislação foi descrita como um “requisito de civilização universal para uma sociedade moderna“.

Na China, o consumo de carne de animais silvestres é generalizado, assim como o consumo de carne de gatos e cães. Durante o conhecido Yulin Dog Meat Festival, milhares de cães são mortos, esfolados e cozidos todos os anos.

Ativistas dos direitos dos animais pedem há anos ao governo chinês para que proíba o consumo de carne de cachorro e, se a proposta for aprovada, Shenzen se tornaria a primeira cidade do país a aplicar uma proibição semelhante.

Sendo uma metrópole de quase 13 milhões de habitantes, a possível aprovação poderia levar outras cidades a fazerem o mesmo.

Talvez te interesse ler também:

O apetite chinês por carne fresca e o coronavírus alimentam a nossa hipocrisia

Como um imposto sobre a carne vermelha poderia salvar vidas e a saúde pública

Por que a carne de frango é a mais nojenta de todas?

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook