Em Israel, já é possível viver sem máscara

Em Israel, já é possível viver sem máscara

Por que em Israel as pessoas já podem respirar sem máscara?

A palavra que define a situação atual do país do Oriente Médio é planejamento. Desde dezembro de 2020, a vacina da Pfizer Inc./BioNTech SA começou a ser aplicada nos cidadãos e residentes do país com mais de 16 anos.

Hoje, 54% da população israelense (9,3 milhões de pessoas) já receberam as doses da vacina da Pfizer, a única aplicada no país, que viveu o pico da terceira onda em janeiro. De lá para cá, houve uma redução de 98% dos testes positivos de Covid-19 em pacientes. Dados do Ministério da Saúde local, contabilizam apenas 82 casos da doença, como informou o jornal El Pais.

Ainda houve uma queda de 85% no número de mortes diárias e uma redução de 72% dos casos graves de Covid-19 desde janeiro. O diretor-geral do Ministério da Saúde de Israel, Hezi Levi, garantiu que toda a população elegível será vacinada até o final de maio, segundo a CNN.

Com esse índice e com mais da metade da população vacinada, o governo decidiu extinguir a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos abertos desde domingo.

As autoridades sanitárias ainda trabalham para garantir que a população siga cumprindo com as normas de distanciamento social e uso de máscara em lugares fechados. Todos andam com suas máscaras nos bolsos para usá-la quando necessário.

As pessoas também levam consigo o certificado de vacinação, documento que as habilita a entrar em hotéis, instalações esportivas, espaços culturais, bares, restaurantes e festas. Países como Grécia e Chipre aceitam que os israelenses munidos desse passe verde entrem no país sem que tenham de fazer quarentena ou o teste PCR.

Paradoxo no Chile

Entretanto, no Chile, país onde a vacinação também segue adiantada, e onde também houve planejamento, a situação é bem diferente da de Israel.

Por que será?

O governo chileno decretou, no último sábado, a extensão da quarentena, fazendo com que 85% da população fique confinada em casa –  cerca de 16 milhões dos 18,7 milhões de habitantes do país.

Segundo O Globo, a decisão do governo foi atribuída aos “45 casos da variante brasileira” e “64 casos da variante britânica”, que explodiram os casos de Covid-19 no Chile, mesmo com uma campanha de vacinação eficiente.

Agora é esperar para ver se Israel seguirá sem máscara, se a vacina vencerá as variantes e se há luz no fim desse túnel. Por ora, ainda é tudo especulação.

Talvez te interesse ler também:

Origem do coronavírus: relatório da OMS aponta 4 teorias, 3 dúvidas e 1 certeza

Dia da Terra 2021: 3 dias para salvar a Terra da pandemia da ignorância ambiental

Pandemia da fome: 59,4% dos lares brasileiros vivem situação de insegurança alimentar

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *