Pedra na vesícula – Tratamentos naturais que podem ajudar

Muitas pessoas não dão nada para ela… Nem sabem da sua existência, ou acham que ela não serve para nada, mas a nossa vesícula é um órgão muito importante para o bom funcionamento da nossa saúde e cuidar bem dela, pode evitar muitos problemas desagradáveis.

Um desses problemas é a pedra na vesícula, que quando surge provoca dores no lado direito do abdômen, abaixo das costelas, acompanhadas por vômitos, febres e falta de apetite, dentre os principais sintomas. Mas antes que uma pedrinha sequer apareça, podemos cuidar bem da nossa vesícula, tratando de nos alimentar de forma saudável, evitando alimentos gordurosos e muito condimentados.

Além disso, podemos também fazer o uso de alguns elementos naturais que poderão evitar e até tratar alguns casos de pedra na vesícula. Vamos saber quais são eles? Antes de tudo vamos aprender o que é a vesícula para entender como surge a pedra na vesícula, quais os sintomas, causas e daremos dicas de tratamentos naturais que poderão ajudar com esse problema.

O que é pedra na vesícula?

Primeiro é importante saber que a vesícula é um órgão que fica entre o fígado e o pâncreas e tem o formato de uma pêra. Ela armazena a bile, líquido que é produzido pelo fígado para ser utilizado na digestão. A bile é um líquido amarelo-esverdeado rico em colesterol, pigmentos e bicarbonato e serve para ajudar na digestão de gorduras, principalmente.

Quando ingerimos algum alimento, nosso corpo emite sinais para a vesícula liberar esse líquido, então ela se comprime e libera aos poucos a bile produzida pelo fígado. Devido ao fato de ser utilizada apenas para a digestão, quando não ingerimos nenhum alimento a bile produzida fica acumulada na vesícula e, quando comemos novamente, a vesícula volta a trabalhar, liberando a bile pelo duodeno.

A capacidade de armazenamento da vesícula é de apenas 50ml e, se ficarmos muito tempo sem ingerir nenhum alimento ou beber água, a bile acumulada na vesícula fica mais espessa, pois a vesícula precisa perder água para conseguir armazenar a bile produzida.

Quando ocorre o desequilíbrio entre a quantidade de água e as substâncias presentes na bile, surgem as pedras na vesícula, também conhecidas como colelitíase ou cálculo biliar. Isso ocorre porque a quantidade de água que a vesícula elimina para conseguir armazenar a bile é excessiva e também porque a quantidade das substâncias da bile acumulada (colesterol e pigmentos) aumentam deixando-a saturada.

Existe também a lama biliar, que é o nome dado à bile espessa ao ponto de gelatina, porém esta não causa sintomas e normalmente é eliminada pela vesícula. Essa lama biliar é muito comum em mulheres grávidas e é considerada um fator de risco para o aparecimento dos cálculos biliares, devido ao acúmulo de colesterol.

Sintomas das pedras na vesícula

Para facilitar o diagnóstico de pedra na vesícula, fique atento aos seguintes sintomas:

  • Dor forte no lado direito da barriga até 1 hora após comer
  • Febre acima de 38ºC
  • Cor amarela nos olhos e na pele
  • Diarréia constante
  • Enjôos e vômitos, principalmente após as refeições
  • Perda de apetite

Os sintomas só serão sentidos quando a pedra for maior do que o orifício por onde a bile é liberada, pois ela irá obstruir a passagem do líquido. Muitas pessoas possuem pequenas pedras e nem sentem porque elas conseguem ser liberadas junto à bile. Por outro lado, quando a passagem por onde passa a bile está obstruída e a vesícula é contraída, a pessoa terá cólicas biliares intensas.

Essas cólicas aparecem principalmente quando ingerimos alimentos muito gordurosos, em que a vesícula é mais exigida e contrai-se com mais frequência para dar conta da digestão. Depois que o alimento é digerido e passa pelo duodeno, a vesícula relaxa e a dor passa.

Quando a pedra não sai da vesícula e fica obstruindo a passagem da bile, ocorrem inflamações e infecções, dando origem para outro problema chamado colecistite, o qual também pode ser causado por bactérias do intestino que infectam a bile acumulada na vesícula obstruída. Nesses casos, a cólica biliar se torna mais intensa e não passa após a digestão, assim como ocorre nos casos das pedras (colelitíase).

Além dessas duas situações, pode ocorrer também das pedrinhas ficarem presas nas vias biliares, que é por onde passa a bile do fígado para a vesícula, nas quais nem a bile recém produzida pelo fígado consegue passar para a vesícula. Nesses casos, chamados de coledocolitíase, a bile volta para o fígado e é absorvida pelo sangue, ocasionando outro problema bastante conhecido: a icterícia.

Esta faz com que a pele e os olhos fiquem amarelados devido ao acúmulo de bile no sangue e na pele. Esta situação também ocorre nos casos de hepatite e cirrose. Outra situação se dá pela infecção grave das vias biliares ocasionada pela bile acumulada contaminada por bactérias do intestino, a qual é definida como colangite e pode levar à sepse ou choque séptico.

Por último, outra situação que pode ocorrer com a obstrução por cálculo biliar é a pancreatite, pois a pedra irá impactar na saída do ducto do pâncreas, impedindo a secreção das enzimas pancreáticas que também influenciam na digestão.

As causas das pedras na vesícula

As pedras na vesícula podem ser causadas pelo conjunto dos seguintes fatores:

  • Dieta rica em gorduras e carboidratos simples (pão branco e massas)
  • Dieta pobre em fibras (alimentos integrais, frutas e verduras)
  • Diabetes
  • Colesterol alto
  • Falta de atividade física
  • Hipertensão arterial
  • Fumo
  • Uso prolongado de anticoncepcionais (devido às diferenças hormonais, as mulheres têm mais chance de ter pedra na vesícula do que os homens)
  • Histórico familiar

Portanto, caso apresente alguns dos sintomas listados anteriormente, procure um clínico geral que fará o diagnóstico inicial e o encaminhará para um gastroenterologista. Nesse meio tempo, se você é adepto desses hábitos descritos acima, procure ajustar imediatamente o seu estilo de vida, pois dessa maneira os sintomas poderão ser amenizados e, quem sabe, as pedrinhas poderão ser expelidas naturalmente.

Tratamentos naturais e alimentação aconselhada

E por falar em naturalmente, tudo o que mais queremos e pregamos por aqui é uma alimentação saudável e tratamentos mais naturais possíveis, não é mesmo?! E com a nossa vesícula não poderia ser diferente, afinal ela é muito importante para metabolizar as gorduras que ingerimos e ajudar na digestão. Por isso, quanto mais gorduras em nosso organismo, mais sobrecarregada nossa vesícula ficará.

Então, como primeira medida para aliviar essa pressão na vesícula e ajudá-la a trabalhar melhor, recomenda-se tomar 100ml de água de meia em meia hora, até que se consiga ingerir 2 litros de água por dia. Isso vai fazer com que a vesícula relaxe, diminuindo a inflamação e, por consequência, amenizando a dor.

Além da água que é essencial não só para a vesícula, mas para o corpo todo, alguns remédios caseiros são apresentados como opções naturais eficazes no tratamento contra pedra na vesícula. São eles:

  • Óleo de rícinoEncontrado em lojas de produtos naturais, o óleo de rícino ajuda a dissipar os gases em excesso. Para isso recomenda-se beber 25ml deste óleo depois do jantar.
  • Chá de dente-de-leãoEste chá atua sobre o fígado e combate problemas digestivos. A recomendação é de tomar o chá de 3 a 5 vezes ao dia, o qual é preparado com 10g das folhas secas em uma xícara de água fervente. Tampe, deixe repousar por 10 minutos e beba a seguir ainda morno.
  • Açafrão-da-ÍndiaMuito falado por nós aqui no site, também é conhecido como açafrão-da-terra ou cúrcuma, é famoso por ser anti-inflamatório, o que vai ajudar a combater a dor e a inflamação da vesícula, bem como a desintoxicar o fígado. Para este efeito, aconselha-se a consumir diariamente 40 mg de cúrcuma em forma de cápsulas.
  • Tinturas para pedra na vesícula – As tinturas ou elixir, são extraídas de plantas medicinais, como por exemplo a de Absinto, Belladona, Valeriana e Camomila, pois elas possuem propriedades carminativas, calmantes, anti-espasmódicas e amargas. Recomenda-se tomar de 30 a 40 gotas de uma dessas tinturas em meio copo d’água após as refeições.

Outras opções de chás são muito eficientes, pois são feitos a partir da infusão das folhas de plantas medicinais. Para que se obtenha o efeito desejado, recomenda-se beber duas xícaras ao dia. Dentre as opções de chás, temos:

  • Folha de abacateiro
  • Boldo ou boldo-do-Chile
  • Verbena
  • Agulhas de pinheiro (desmancha pedras)
  • Bardana

No caso do chá de bardana, o preparo é um pouco diferente: Ferva por 5 minutos uma xícara de água com uma colher de sopa da raiz de bardana. Desligue o fogo e deixe descansar por 10 minutos. Esta opção de chá também pode ser consumida duas vezes ao dia.

Esse chá merece destaque pelo fato da bardana possuir propriedades diuréticas, antissépticas, laxativas, antidiabética, depurativa, diaforética e estomáquica. Por isso é bastante utilizada na medicina alternativa nos tratamentos de cálculos biliares, cirrose, hepatites e fígado.

Importante dizer que dentre as opções de chás sugeridas para ajudar no tratamento de pedra na vesícula, é importante optar por apenas uma, para que não tenha efeitos colaterais ou outros sintomas não relacionados.

Além dessas dicas, recomenda-se evitar ingerir alimentos gordurosos, frituras, embutidos e alimentos muito condimentados. Prefira alimentos leves, verduras e legumes crus, muitas frutas e bastante água.

Vale lembrar que essas informações e dicas não substituem a consulta com o médico especialista. Portanto, fique atento a qualquer um dos sintomas e procure imediatamente o seu médico!

Muitas pessoas, principalmente os mais velhos, costumam segurar a dor por muito tempo ou “camuflar” com remédios para o fígado e o estômago como por exemplo, Eparema, ENO e afins. Isso ocorre ou por não saberem do que se trata realmente ou por se fazerem de “durões” e, quando o problema é descoberto, o tratamento pode ser mais complicado.

Se você é uma dessas pessoas que não ligam para dores, é melhor mudar esse conceito… Já se você não é essa pessoa, mas conhece alguém que tenha esse tipo de comportamento, procure alertá-lo de alguma forma. Você estará fazendo bem tanto para ele ou ela, quanto para você também. Cuide-se!

Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook