©Morgan Basham/Unsplash

O que fazer e o que não dizer a uma pessoa com crise de ansiedade

Na semana passada a cantora Patrícia Marx, que foi integrante do grupo trem da alegria, interrompeu uma live em que se apresentava cantando, e saiu literalmente correndo, deixando todos espantados.

Essa semana ela gravou um vídeo e publicou em suas redes sociais explicando o motivo da escapada repentina: crise de ansiedade que culminou em um ataque de pânico.

Eu tive uma crise de pânico, do meio para o final. Fiquei muito nervosa, estava muito estressada, muito ansiosa, fiquei nervosa e sai correndo. Quem tem crise de pânico, sabe o que acontece: paralisa tudo, a gente não consegue pensar, raciocinar”.

Mas e se isso acontecer com um amigo, companheiro, alguém do seu convívio ou próximo, você sabe o que fazer e melhor, o que não fazer com a pessoa? E se ela tiver sintomas físicos, você sabe como reagir?

Talvez, a primeira coisa que venha à mente é tentar acalmar a pessoa justamente pedindo calma, mostrando que nada de errado está acontecendo com ela, que a pessoa está exagerando, imaginando coisas, que os sintomas físicos não têm razão de estar acontecendo, etc, etc.

Mas será que essa é uma abordagem correta?

Primeiro, entenda o que uma pessoa com crise de ansiedade sente para então descobrir qual a melhor forma de ajudá-la.

O que é ansiedade?

A ansiedade é um distúrbio ligado a sentimentos de medo, angústia, incerteza, ânsia e controle do futuro. E quando esses sentimentos são persistentes, com longa duração e passam a interferir na saúde, na vida e na rotina das pessoas, é preciso investigar a causa e, se necessário, tratar os sintomas.

Já detalhamos aqui em outros artigos o que é ansiedade, como a comunidade médica a define e passa a considerá-la Transtorno Mental quando ela é persistente, duradoura e grave, capaz de afetar a vida e a saúde do indivíduo.

Saiba mais:

Ansiedade: todas as causas, todos os sintomas e tratamentos

Ansiedade: quando vira transtorno, é hora de procurar ajuda

Crise de ansiedade – sintomas

No caso de uma crise, que pode estar ou não ligada a um Transtorno de Ansiedade, os sintomas físicos mais comuns que podem ocorrer são:

  • Tensão e tremor muscular
  • Inquietação
  • Cefaleia, tonturas, dores, enjoos e vômitos
  • Dor no peito
  • Suor intenso
  • Palpitação
  • Falta de ar e/ou sensação de sufocamento
  • Sensação de desmaios
  • Sensação de estar fora de si.

Nesses casos, como agir?

O que fazer quando alguém tem crise de ansiedade

ansiedade

Acolhimento

Numa crise, onde frequentemente estão presentes o medo, é muito importante ter alguém em que se possa confiar.

Manter a calma e tentar acolher a pessoa, com mensagens de conforto do tipo

“Conta comigo”, “Estou do seu lado”, “ Não vou te deixar sozinha”, “Você vai melhorar”, podem trazer alívio e ajudar a pessoa a se tranquilizar.

Locais seguros e tranquilos

Numa crise de ansiedade o pior lugar que uma pessoa pode querer estar é em meio à multidão, barulho, movimento, briga ou estresse. Lembre-se, a pessoa precisa de tranquilidade, então, pergunte se ela deseja ir para um local mais quieto e se possível arejado.

Caso não seja possível, tente ajudar a pessoa a imaginar um local tranquilo, menos agitado. Isso pode ser uma alternativa que dá resultado.

Respiração

Ajude a pessoa a tentar se concentrar na respiração, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca, de uma forma bem lenta e profunda, na medida do possível, até ela ir se tranquilizando.

Mas atenção, cuidado para a pessoa não aumentar a velocidade da respiração durante a crise, usando o tórax ao invés do abdômen, e ampliar a sensação de sufocamento e falta de ar.

Relaxar a musculatura

Assim que conseguir controlar a respiração, é hora de tentar relaxar a musculatura. A tensão pode trazer dor e desconforto, e piorar a sensação subjetiva de medo.

Uma boa técnica é continuar com a respiração, agora concentrando em alguma parte do corpo, relaxar as mãos, pés, ombros, pescoço, cabeça,

Mude o foco

As crises de ansiedade podem ter uma causa determinada, como uma fobia ou uma situação estressante desencadeadora, ou até quem sabe, sem causa aparente.

De qualquer forma, no momento da crise, na qual a pessoa normalmente atribui aquela sensação a alguma causa, como medo de morrer, fobias, pânico, é importante tentar mudar o foco de atenção da pessoa, para não se transformar numa bola de neve.

Talvez, se ela conseguir voltar sua atenção para outra situação, ela se esqueça da causa desencadeante do medo ou do pânico.

Dependendo do estado em que ela se encontra, é possível propor que a pessoa olhe ou perceba outros fatos, objetos, descreva situações, e volte a atenção para outra coisa.

O objetivo é distrair a pessoa e tentar tirar o foco daquilo que está gerando a ansiedade porque conforme os sintomas vão surgindo, o medo pode aumentar justamente por causa das dores físicas, que muitas vezes são confundidas com sufocamento ou ataque cardíaco.

Por isso, é fundamental desviar o foco e a atenção dos sintomas, podendo tentar focar em uma atividade única que lhe exige atenção, como respirar ou cantar uma música, ou simplesmente tentar conversar com alguém, ou descrever uma situação.

Meditação guiada

O recurso da meditação guiada, onde a pessoa tenta imaginar situações relaxantes, como estar num local paradisíaco, totalmente relaxado e tranquilo pode ajudar num momento de crise, desde que a pessoa já tenha conseguido pelo menos controlar a respiração.

Agora que você já aprendeu algumas técnicas de abordagem para tentar ajudar uma pessoa com crise de ansiedade, aprenda também algumas coisas que não devem ser feitas, pois podem piorar o estado clínico da pessoa.

O que NÃO fazer quando alguém tem crise de ansiedade

ansiedade

Desacreditar a pessoa

Nunca desacredite, menospreze, minimize ou faça piadas com o ocorrido.

Falar que “é coisa da cabeça da pessoa”, “que a pessoa está exagerando”, “que a pessoa não tem motivo”, é uma das piores coisas que podem ser feitas num momento de crise.

Não peça para a pessoa se acalmar

Não peça calma! Não é uma questão de querer, então não adianta falar para pessoa se acalmar que isso não vai acontecer por si só e também é uma das piores coisas que podem ser ditas num momentos de crise.

Não diga coisas que a pessoa já sabe

Não adianta falar para a pessoa pensar positivo, para ela parar de pensar no problema, explicar a razão do pânico, ou pior, tentar amenizar o problema dela lembrando que tem gente pior,  gente com fome, gente morrendo ou em situação de guerra. A pessoa já sabe de tudo isso! Apenas pare!

Nada disso vai resolver e ainda pode agravar a situação.

Não diga frases motivacionais

“vai passar” ou “tudo vai dar certo”, pode ser um tipo de apoio que pode irritar ainda mais a pessoa em crise, evite frases feitas inspiradas em autoajuda e demonstre preocupação verdadeira.

Não brigue ou questione a pessoa

Lembre-se, seja acolhedor, jamais brigue, julgue ou questione a pessoa em crise, seja mais ouvinte.

Não ofereça bebidas alcóolicas nem qualquer outra droga

Num momento de crise, tensão ou medo excessivos, não ofereça drogas lícitas ou ilícitas que podem afetar ainda mais o estado físico e psicológico da pessoa.

Procure um profissional de saúde

E lembre-se, todas essas técnicas são boas opções para tentar ajudar uma pessoa em um momento de crise de ansiedade.

Entretanto, nada substitui a necessidade de procurar um profissional de saúde para melhor aconselhamento sobre a sua saúde física e psicológica.

Procure ajuda sempre que precisar até mesmo para prevenir crises.

Talvez te interesse ler também:

Solidão: as mais belas frases para amar ficar sozinho

Síndrome do Don Juan, sedutor mentiroso e compulsivo. Reconheça e fuja dele

Simpatia, empatia, antipatia e apatia: o pathos das relações – diferenças e significados

Sobre Daia Florios

Daia Florios
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É fundadora e redatora-chefe em GreenMe Brasil.

Veja Também

Romã: como fazer chá e suco dessa fruta medicinal maravilhosa

A romã (Punica granatum) é uma fruta conhecida milenarmente que além de sua gama de …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *