©Paul Craft/Shuttersctock

Simpatia, empatia, antipatia e apatia: o pathos das relações – diferenças e significados

Simpatia, empatia, antipatia e apatia são os pathos das relações. Pathos é uma palavra grega (πάθος) que significa sentimento, emoção, sofrimento, paixão, afeto.

Neste conteúdo abordaremos cada um destes afetos, e como eles atuam nas relações humanas.

Será que você é simpático ou antipático? Será que você é empático? E a apatia, o que é? Conheça as diferenças e os significados de cada uma destas expressões.

Simpatia

Como ensina o professor Leandro Karnal, ser simpático significa estar junto (ser sim-pático) ao sentimento do outro. A pessoa simpática tem uma maneira cordial, leve, bem humorada e positiva de tratar as pessoas. Isto não quer dizer que necessariamente ela seja empática, ou que não tenha suas antipatias.

Antipatia

Ser antipático é ser contrário à identidade ou ao sentimento do outro. Em geral, pessoas antipáticas são pouco comunicativas, têm dificuldade de autoexpressão e não se sentem bem em interagir socialmente. Existem também aqueles que são antipáticos por sua postura egocêntrica e arrogante. Isto não significa que antipáticos não tenham suas simpatias particulares e seus afetos, e que não possam ser comunicativos.

Apatia

A apatia é a negação do pathos, do sentimento do outro. Do greco a-pathos, literalmente significa “sem emoção”. Pessoas apáticas demonstram frieza e indiferença no trato com os outros. Têm dificuldade de expressar suas emoções e sentir afeto. Existem várias causas para a apatia que podem estar relacionadas a problemas fisiológicos e/ou psicológicos.

Empatia

Ser empático significa ser inclinado ao sentimento do outro. A empatia é a forma de se relacionar mais requisitada e necessária em nossos tempos, pois através dela podemos estabelecer relações mais humanas e saudáveis e resolver muitos dos problemas contemporâneos que estamos vivenciando e que são marcados por preconceitos, desagregação, conflitos, guerras.e competitividade.

Pessoas empáticas são sensíveis à dor alheia. Não significa que sintam na pele a dor do outro, mas compreendem o sofrimento alheio porque se inclinam a estes.

Vale observar que empatia em excesso pode intensificar a sensibilidade da pessoa e acabar por provocar problemas emocionais. Por isso, é necessário um equilíbrio entre emoção e razão e agir com inteligência emocional, a fim de ter empatia com sabedoria.

Vejam a aula do professor Karnal e se delicie com sua descrição sobre o pathos das relações humanas.

As diferenças entre Simpatia e Empatia

Veja neste vídeo um exemplo de como empatia e simpatia podem atuar em níveis diferentes em relação ao sofrimento alheio:

Como visto, as relações humanas têm suas nuances e o ideal é que lidemos com essas várias realidades desenvolvendo a compreensão para melhor nos relacionar conosco mesmo e com os outros. Dessa forma, é possível saber exercitar a empatia, afinal como disse o romancista alemão Friedrich Novalis:

“Cada ser humano é uma pequena sociedade.”

Cultivemos o respeito a fim de vivermos com mais equilíbrio e sensatez diante da diversidade humana!

Talvez te interesse ler também:

Aprenda a elevar sua autoestima com o filósofo Michel de Montaigne  

Causas emocionais de doenças nos olhos e problemas de visão: os olhos não veem quando a alma adoece

Compulsão alimentar ou fome emocional? Reveja a sua relação com a comida

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Limpeza energética, espiritual: para que serve e como fazer

Já sentiu peso nos ombros, cansaço, desânimo e falta de energia? Esse estado pode ser …