Pepino: uso curativo, propriedades, benefícios

pepino-japones

O pepino é o fruto do pepineiro (Cucumis sativus), planta de origem indiana, de regiões tropicais e temperadas, que se cultiva, desde a antiguidade, na Ásia, África e Europa.

Existem cinco tipos de pepino: japonês, holandês, caipira, aodai (comum) e industrializado (conserva) e um sem número de variedades já cultivadas mas, quanto à sua capacidade de cura, não há informações que as distingam. Para além de ser um alimento muito bom, o pepino também tem propriedades curativas que é bom você conhecer.

Propriedades curativas do pepino

O pepino é um diurético natural que ajuda na dissolução de cálculos renais e na redução da hipertensão arterial. Também, por ser rico em potássio, aumenta a flexibilidade dos músculos e a elasticidade das células da pele. Por isso, é também muito usado como loção de tratamento para peles irritadas ou cansadas.

Mas, o pepino também é ótimo para o sistema digestivo já que, em sua composição entra 95 % de água, sendo rico em fibras digestivas. Possui baixo teor de calorias e contem algumas vitaminas interessantes como a vitamina A, B e C e os folatos (sais do ácido fólico, a vitamina B9, fundamental para algumas funções orgânicas como a procriação já que atua na reconstituição das células, DNA e RNA). Mas, para saber mais sobre os folatos, leia aqui.

O pepino também é um excelente tônico para figado, rins e vesícula biliar e, dá força aos cabelos e unhas, por seu elevado conteúdo em silíceo, enxofre e flúor. Também é muito utilizado como coadjuvante em tratamentos dos dentes e gengivas e para amenizar as dores de garganta.

Segundo a literatura fitoterápica o pepino tem as seguintes indicações:

Você pode usar pepino, de diversas formas, comido crú em saladas, em conservas, centrifugado, batido ou cozido em água, para amenizar problemas como: angina, artrite, cabelos, caspa, cobreiro, dor de garganta, dor de queimadura, menopausa, fígado, pele, picada de inseto, pressão arterial, problemas renais e cardiovasculares, gota, rins, reumatismo, rouquidão, ruga, unhas, vesícula.

Contraindicações: Algumas pessoas sensíveis à cucurbitacina podem apresentar quadro alérgico. Também pode ocorrer má digestibilidade do pepino crú, para algumas pessoas mais sensíveis.

Algumas formas de se usar o pepino:

 

Loção refrescante da pele seca, queimaduras de sol e rachaduras na pele

Ferva 2 colheres de sopa de casca bem picadas em 1 xícara de chá de água, até amolecer formando um pirão. Coe e esprema o resíduo. Junte o suco de 1 limão e 1 colher de sopa de glicerina. Misture bem e use, à noite, como máscara para dormir, aplicando sobre a pele. Ao acordar, lave bem, pois essa loção é fotossensível.

Creme antirrugas e sardas

A 1 xícara de café de suco da polpa do pepino junte 1 colher de chá de óleo de cozinha ou azeite, 1 colher de sopa de farinha de trigo e 1 colher de sopa de amido de milho. Misture bem até conseguir uma consistência macia, acrescentando um pouco mais de farinha de trigo ou amido, se necessário. Use, à noite, antes de dormir, como creme, massageando levemente, 1 vez por semana.

Suco de pepino fresco

Faça o suco de pepino centrifugado (é o melhor pois você aproveitará também as fibras) ou batido e espremido, para casos de inflamações, necessidade de reposição de potássio, gota, artrites, ou como diurético. Mas, também é muito bom o uso do suco de pepino, puro, para você lavar o rosto, ou áreas do corpo que estejam precisando de tratamento cosmético. Experimente.

Leia também:

seta10 RECEITAS DE ÁGUA AROMATIZADA

setaTZATZIKI: RECEITA ORIGINAL E 5 VARIANTES

setaMANCHAS NO ROSTO: 10 REMÉDIOS NATURAIS

fonte: Plantas que curam