Estressado? Basta conhecer o hormônio que acalma e rejuvenesce

puxando-os-cabelos

Estressado? E quem hoje em dia não está? A especialista em nutrição e estresse Charlotte Watts, autora do livro The De-Stress Effect: Rebalance Your Body’s Systems for Vibrant Health and Happiness acredita que a alimentação pode ser de grande ajuda para resolver esse mal que acomete 10 a cada 10 pessoas (estatística minha :)

Segundo a especialista, existe, além dos hormônios do estresse (os famosos cortisona e adrenalina) o DHEA, desidroepiandrosterona, um hormônio esteróide produzido a partir do colesterol pelas glândulas adrenais, que ocorre naturalmente no corpo e que tem efeitos calmante e anti-envelhecimento.

Tal hormônio está presente seja em homens que mulheres e diminui gradativamente com a idade, depois dos 30, quando tem o seu pico de produção.

Cada vez mais as pessoas estão conscientes sobre o aumento da adrenalina e do cortisol em seus corpos, assim como sobre os seus efeitos negativos. Então, conseguir relaxar depois de passar por um período de estresse é essencial para a nossa saúde, mas como conseguir isso?

Se meditar ou fazer ioga como um zen budista não é a tua cara, soltar palavrões e beber cerveja pode ser uma opção, como vimos na ioga da raiva.  Charlotte Watts revela que o estilo de vida tem a ver com a produção alta ou baixa deste hormônio do bem, mas também existem alimentos capazes de aumentar o seu nível.

O hormônio que se opõe ao principal hormônio do estresse, o cortisol, pode ajudar inclusive a fazer com que pareçamos mais jovens e dispostos. Níveis baixos de DHEA foram observados em mulheres com insuficiência adrenal e que tinham como sintomas esgotamento físico e cansaço, o que pode levar inclusive a um aumento de rugas. (As famosas rugas da preocupação não é uma brincadeira. Elas existem!)

O DHEA atua protegendo o corpo como um antidiabético, visto que o cortisol aumenta o nível de açúcar no sangue e a produção da insulina. O hormônio também nos protege contra as doenças imunes e autoimunes, aumentando nossa imunidade, e tem significativos efeitos contra a obesidade, às vezes relacionada com a nossa resposta ao estresse.

Como aumentar os níveis do DHEA:

Suplementos, como sempre lembramos, só devem ser tomados sob prescrição médica, ainda mais se for de hormônios. Já a alimentação, salvo restrições alérgicas etc, são sempre o melhor remédio: sem contraindicações e que nós adoramos!

Então quais alimentos comer para aumentar o nível de DHEA em nosso corpo?

 

Inclua mais gorduras saudáveis no teu prato

Pois é, como sabemos, o colesterol não é apenas ruim, ele é essencial para várias funções do corpo e como vimos acima, o colesterol é precursor do DHEA. Nozes, sementes, peixes, abacates, ovos orgânicos, manteiga, iogurte grego, coco e azeite de oliva, deveriam estar presentes em todas as refeições, bem como alimentos alcalinos e vegetais ricos em minerais.

Açúcar: menos é mais

Uma quantidade mínima de açúcar ajuda a moderar os efeitos indutores do estresse e a fazer com que o corpo utilize o melhor que o colesterol tem para nos oferecer.

Comer proteína no café da manhã

Para ter um bom dia de humor estável e sistema nervoso balanceado. As proteínas presentes nas gorduras boas acima descritas, são grandes fornecedoras de vitaminas do complexo B que ajudam no funcionamento das glândulas adrenais e no equilibrio do açúcar no sangue.

Leia também: 

seta

EFEITOS DO ESTRESSE NO CORPO HUMANO

seta

ESTRESSE É UM PESADELO QUE TEM CURA

Fontes: Mail Online e Healthista