O número absurdo de crianças que bebem refrigerante antes dos 2 anos de idade

Lembram-se do tempo em que as crianças tomavam leite materno até muito mais tempo que os mínimos seis meses e ainda por cima comiam a boa e velha papinha de neném, entre outros alimentos mais apropriados para os primeiros anos de vida? Pois bem, as coisas, infelizmente, mudaram. Segundo pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde, mais de 30% das crianças consomem refrigerante antes dos dois anos de idade.

Essa mudança nos hábitos alimentares das crianças é uma grande preocupação do ministério, que vê ano após ano, o número de pessoas acima do peso aumentar no Brasil. Já são mais de 50% dos brasileiros acima do peso, com pressão arterial elevada e outros males provocados pela má alimentação.

É desnecessário dizer que, quanto mais cedo a alimentação sair dos trilhos, mais rapidamente as pessoas chegarão ao estado de obesidade e problemas arteriais e, no caso do Brasil, o consumo de produtos com alto teor de açúcar e gordura começa muito cedo. O estudo também mostrou que mais de 60,8% das crianças com menos de dois anos comem biscoitos, bolachas e bolos, além dos 32,3% que consumem refrigerantes e sucos artificiais já nesta tenra idade.

Os dados são do terceiro volume da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), feita em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a finalidade de trazer à tona medidas inéditas dos brasileiros, entre elas o peso, a pressão arterial e circunferência da cintura. E, claro, os fatores que causam essas medidas, como alimentação na infância, tão desregrada que contribui enormemente com o excesso de peso na idade adulta.

“O excesso de peso é um problema grave, porque é um fator de risco para doenças do coração e outros problemas crônicos. É fundamental trabalharmos o incentivo a prática de exercícios e alimentação saudável desde cedo com as nossas crianças para reverter esse quadro. As crianças, muitas vezes, ajudam na conscientização e mudança de hábito dos pais”, afirma o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Felizmente, uma coisa não mudou na vida das crianças brasileiras. As nossas crianças continuam sendo amamentadas mesmo depois dos seis meses de idade, independentemente da entrada de alimentos industrializados na vida dos bebês.

A Pesquisa Nacional de Saúde foi realizada em 64 mil domicílios em 1.600 municípios do Brasil inteiro entre os meses de agosto de 2013 e fevereiro de 2014. Trata-se do mais completo relatório de saúde do país, trazendo dados sobre informações do domicílio, pessoas com deficiência, crianças com dois anos, violência, acidentes, saúde de pessoas acima dos 60 anos, estilo de vida, saúde da mulher, pré-natal, e outros.

Curiosidades:

1. Até mesmo o melhor biscoito, super indicado para as crianças bem pequenas, geralmente são feitos com farinhas refinadas que não contêm nutrientes e são reforçadas com vitaminas absurdas sintéticas, sem contar os açúcares e as gorduradas nada saudáveis.

2. Refrigerantes gelados paralizam as papilas gustativas, enquanto o líquido desce dando a impressão de matar a sede. A grande quantidade de açúcar presente nestas bebidas fazem com que a sede aumente e por isso a pessoa quer beber cada vez mais refrigerante. Tente beber refrigerante em temperatura ambiente e descubra a verdadeira natureza desta bebida enganadora e, por favor, não a ofereça nunca mais referigerante aos pquenos.

Leia também:

NOVIDADE SOBRE OS REFRIGERANTES: ELES REDUZEM A EXPECTATIVA DE VIDA

Fonte foto: freeimages