©Good Looking Studio

Os maravilhosos murais que consomem poluição atmosférica e purificam o ar

Existem murais que purificam o ar e estão tornando uma alternativa para diminuir a poluição das grandes cidades. Feitos com uma tinta que capta poluentes do ar, esse tipo de arte espalhada pelo mundo afora consegue fazer o trabalho de até 3.000 árvores.

São Paulo foi uma das escolhidas para receber esse trabalho e o mais recente até o momento está em Varsóvia, na Polônia.

De acordo com informações do site Good News Network, os murais purificadores de ar são uma iniciativa chamada Converse City-Forests. Esse trabalho consiste em apresentar projetos de arte pública que também limpam o ar, assim como o mural gigante feito com pigmentos especiais que, ativados pelo Sol, limpam a poluição.

Como funcionam os murais

Os murais são pintados com uma tinta fotocatalítica com dióxido de titânio, que atrai poluentes do ar antes de convertê-los em nitratos inofensivos, por meio de um processo químico que envolve a luz solar.

Esse processo dizem ser equivalente ao trabalho de 720 árvores e, todos os murais espalhados pelos países fazem o trabalho de até 3.000 árvores.

O mural mais recente é o da Varsóvia, na Polônia, que encontra-se em um prédio de frente para o metrô. Os artistas poloneses Maciek Polak e Dawid Ryski fizeram uma coleção de flores coloridas e sorridentes com a seguinte frase: “Criar Juntos para o Amanhã”. Segundo eles, essa é uma mensagem positiva para ajudar as pessoas a retomarem suas vidas pós Covid-19.

O projeto City-Forests é composto por 13 grupos que irão produzir esses murais.

Dentre as cidades envolvidas estão Belgrado, Lima, Sydney, Jacarta, Manila, Santiago, Joanesburgo, Melbourne, Bogotá, Cidade do Panamá e até a nossa São Paulo. Varsóvia foi a segunda cidade a terminar um mural, a primeira foi Bangcoc, na Tailândia.

A Converse não é a única a utilizar esse tipo de tinta para limpar o ar. O Studio Roosegaarde, da Holanda, fez vários outdoors em Monterrey, no México, utilizando essa tinta fotocatalítica. Com ela, cada outdoor consegue limpar a mesma quantidade de ar do que 30 árvores em 6 horas e podem funcionar por até cinco anos.

O maior purificador de ar do mundo foi construído em Pequim, pelo holandês Daan Roosegaarde que é especialista em projetos de design sem poluição. Esse purificador tem capacidade para filtrar 30.000 metros cúbicos de ar por hora, transformando os poluentes em diamantes literais que são vendidos para custear o projeto.

Pequim era uma cidade de ciclistas e o artista holandês, que é um ciclista de coração, disse que pretende fazer da bicicleta um ícone cultural da China como próximo passo para as cidades sem poluição.

Da China, a Bike que Limpa o ar Pedalando

Essa é uma brilhante ideia, já que não se pode mais derrubar os prédios das grandes cidades para devolver o lugar às árvores. Esperamos que, além de São Paulo, mais murais possam ser espalhados pelo mundo!

Talvez te interesse ler também:

É preciso ter fé: Kobra retrata união das nações diante da pandemia do coronavírus

Em Paris, o romântico “Muro do eu te amo”, em todas as línguas do mundo, une casais (e povos)

Genial essa intervenção urbana nos bueiros da cidade

Sobre Eliane A Oliveira

Eliane A Oliveira
Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.

Veja Também

Um monstro na cozinha está devorando florestas. Quem será?

Uma animação tem sensibilizado as pessoas sobre os impactos destrutivos do consumo da carne em relação …