Saiba como proceder em caso de envenenamento de cães e gatos

como proceder em caso de envenenamento de cães e gatos

Não é raro um animal doméstico, cão, gato, etc ingerir um produto que possa causar-lhes intoxicação. O ideal é sempre prevenir pois são inúmeros os produtos de uso doméstico que são tóxicos para seu pet. Entre os mais comuns estão: bebidas alcoólicas, amônia, água sanitária, chocolates, detergentes, fertilizante, lustra-móveis, medicamentos humanos, limpadores de forno, etc. Apesar de todos os cuidados que temos em casa, há ainda os perigos externos e os casos de envenenamento devido ao uso irresponsável de raticidas.

O chumbinho é um dos raticidas mais conhecidos e usados no Brasil, apesar de ilegal, a falta de esclarecimento à população e a falta de fiscalização faz com que seu uso seja feito em larga escala com vários propósitos, infelizmente também por pessoas que não gostam de cães e gatos e até em casos de suicídio o chumbinho é famoso. Outro veneno proibido, porém facilmente encontrado é o composto 1080 ou Monofluoracetato de sódio, não possui cheiro e nem sabor, é altamente solúvel em água e pode ser rapidamente absorvido pela pele. Em animais domésticos e no ser humano, o veneno age no sistema nervoso central, sistema respiratório e no coração. Em no máximo 30 minutos é absorvido pelo organismo e provoca convulsões, coma e morte.

De forma geral, os sintomas mais comuns nas intoxicações por venenos em cães e gatos são:

  • Quadros convulsivos;
  • Apatia: o animal não responde a estímulos e há mudança brusca do comportamento normal;
  • Salivação excessiva, misturada ou não com vômitos;
  • Podem ocorrer fortes tremores musculares ou fraqueza, o animal pode não conseguir ficar de pé;
  • Pode apresentar sangue na urina e ou diarreia.

Saber o que fazer pode fazer toda a diferença entre a vida e a morte de um animal. Envenenamentos são emergências e, nesses casos, o ideal é procurar imediatamente um médico veterinário, se possível leve junto o rótulo da substância ingerida.

Apesar de existir várias fontes, na internet, que apresentam receitas caseiras e antídotos para o envenenamento, é importante citar que na maior parte dos casos, não existe antídoto específico, e o tratamento é feito com base nos sinais clínicos que o animal está apresentando.

É muito comum acreditar que fazer o bichinho vomitar o que ingeriu o fará melhorar. Isso não é verdade e pode ser muito perigoso - o vômito só ajuda em determinadas situações, em outras, piora o quadro, por exemplo, em envenenamentos por substâncias cáusticas que são extremamente irritantes às vias aéreas, boca e esôfago e causam queimaduras químicas, se esse tipo de substância for ingerida e depois vomitada causará queimaduras químicas em todo esôfago e boca do animal – Portanto induzir o vômito por meio de substâncias como água oxigenada ou água morna com sal pode piorar o quadro de intoxicação quando não se sabe a causa do envenenamento.

O uso do leite também é vetado, pois além de não ser recomendado para cães e gatos, apresenta um pH neutro, bem mais alto que o do estômago, o que faz com que o leite atue como neutralizante apenas se o veneno tiver caráter ácido, caso contrário, se o veneno for de caráter básico, o leite pode potencializar a ação da substância tóxica fazendo com que ela seja absorvida mais rapidamente ainda.

Para retardar a ação da substância tóxica e ganhar tempo para levar o animal ao veterinário é recomendado o uso do carvão ativado em cápsulas – facilmente encontrado em farmácias - ele age como uma substância adsorvente, ao ser ingerido ele liga-se ao veneno no estômago e impede a sua absorção e ação. Deve-se dar o carvão logo até 30 minutos após o envenenamento, pois com o tempo a substância vai sendo absorvida para a corrente sanguínea e aí o carvão já não faz mais o efeito desejado.

Outra forma de retardar o efeito do veneno é o uso de uma colher de mel, que funcionará como protetor gástrico. Deve-se lembrar que tanto o mel quanto a cápsula de carvão devem ser ministrados com o animal totalmente consciente, para que não haja o risco de afogamento ou falsa via.

Caso ocorra um envenenamento doloso com o seu pet ou algum animal próximo, peça um laudo ao médico veterinário, registre um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, DENUNCIE, pois, além de ser crime de maus-tratos contra os animais, a comercialização clandestina de raticidas é crime com penalidades previstas em lei.

Lembre-se que envenenamentos são casos de emergência e o tempo é crucial nesses momentos, quanto mais cedo o animal for socorrido maiores serão as chances de sobrevivência.

Leia também:

setaPLANTAS TÓXICAS PERIGOSAS PARA NOSSOS PET’S

seta10 ALIMENTOS QUE NÃO DEVEMOS DAR AOS NOSSOS GATOS

setaKIT DE PRIMEIROS SOCORROS PARA ANIMAIS: O QUE NÃO PODE FALTAR NA CAIXINHA DO SEU PET?