Concreto reciclado e outras alternativas ao cimento, o grande emissor de CO2

Concreto reciclado e outras alternativas ao cimento, o grande emissor de CO2

Se o concreto fosse um país, seria o terceiro maior emissor de CO2 do mundo!

A indústria de concreto é responsável por mais de 8 % das emissões globais de dióxido de carbono. A equipe do Dr. Michael Wise, Diretor de Tecnologia da empresa de construção, Concrete4Change, diz ter a solução para modificar o cenário das emissões:

uma nova mistura de cimento que sequestra dióxido de carbono da atmosfera.

Uma nova tecnologia

Segundo Wise:

“Nossa tecnologia ajudará a indústria da construção a reciclar suas emissões de CO2, reduzir custos e aumentar a vida útil dos edifícios. Além de aumentar a durabilidade [do concreto] e mineralizar permanentemente o CO2 injetado”.

A nova fórmula ajuda a fortalecer o cimento, reduzindo os recursos necessários para produzir concreto de resistência equivalente.

O Dr. Wise diz que a tecnologia tem potencial para mitigar dois bilhões de toneladas de CO2, o equivalente a quatro por cento da média das emissões globais.

“É um concreto comum que pode ser usado em qualquer local, em qualquer lugar, por qualquer empresa. A única diferença é que é mais barato e mais durável”.

Impactos do concreto ao meio ambiente

Depois da água, o concreto é a substância mais usada no planeta Terra.

Um décimo do suprimento de água industrial do mundo é usado para misturar cimento, enquanto apenas carvão, petróleo e gás emitem maiores níveis de gases de efeito estufa.

Dados apontam que o concreto já supera a massa de carbono combinada de cada árvore, bosque e arbusto do planeta.

Nas cidades, o material aumenta o efeito de ilha de calor ao absorver o calor do sol e reter a fumaça de escapamentos. Na natureza, o concreto está causando danos permanentes à camada superior do solo (a camada fértil da terra) levando à erosão irreparável do solo.

E, enquanto o problema do concreto continua a crescer, os humanos continuam a construir. A cada dez segundos, a indústria de construção global produz mais de 19.000 banheiras de concreto. Em 2050, prevê-se que esse número chegue a quatro vezes os resultados de 1990.

Outras alternativas

Vários projetos diferentes têm o objetivo de combater a alta emissão de carbono da indústria de concreto. Um estudo de 2020 concluiu que o concreto reciclado pode ter um desempenho tão bom ou melhor do que o concreto convencional.

Com o aumento do uso global do concreto, os especialistas pretendem desenvolver alternativas para o uso dessa substância prejudicial. Fibras industriais recicladas têm sido experimentadas em processos de fabricação de cimento verde na Itália, enquanto o concreto auto-reparável é a grande novidade na Bélgica.

Soluções para diminuir o uso de concreto são essenciais para a sobrevivência no mundo. É necessário desenvolver projetos inovadores para as questões climáticas globais o mais rápido possível e botá-los em ação!

Talvez te interesse ler também:

Cimento, um dos maiores emissores de CO2, causador do aquecimento global

O tijolo mais resistente que concreto, feito de plástico reciclado por esta queniana 

Chega de cimento! Prédio de madeira é o novo modelo de construção

Brasil terá seu 1° prédio que usa energia do solo para climatizar ambientes 

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *