Se a Floresta Amazônica ainda está de pé, o mérito é dos povos indígenas

Se a Floresta Amazônica ainda está de pé, o mérito é dos povos indígenas

Se a Floresta Amazônica está de pé até hoje é devido aos povos indígenas que nela habitam.

Durante 5 mil anos, os povos indígenas vivem na Floresta Amazônica “sem causar perdas ou distúrbios detectáveis de espécies”, concluiu um estudo publicado na revista PNAS e divulgado pela BBC.

Essa conclusão veio de cientistas que trabalham no Peru pesquisando camadas de solo em busca de evidências fósseis microscópicas de impacto humano na região. Durante o período investigado, as florestas não foram “desmatadas, cultivadas ou de outra forma significativamente alteradas na Pré-História”.

A líder do estudo, a pesquisadora Dolores Piperno, do Smithsonian Tropical Research Institute em Balboa (Panamá), disse que as evidências podem influenciar o debate sobre conservação mostrando que é possível viver na Amazônia enquanto se preserva a sua biodiversidade.

Os indígenas também foram os responsáveis por moldar a paisagem amazônica. Estudos recentes demonstraram que as espécies de árvores dominantes, hoje, na floresta foram plantadas por habitantes pré-históricos.

A população de indígenas usou a floresta de forma sustentável sem causar qualquer perda ou distúrbio detectável de espécies durante milênios. Nas palavras de Piperno à BBC News,

“Os povos indígenas têm um conhecimento tremendo sobre sua floresta e seu meio ambiente e isso precisa ser incluído em nossos planos de conservação.”

Para saber mais da arqueologia botânica, método usado pelos investigadores para encontrar essa evidência, acesse AQUI a matéria completa da BBC.

Talvez te interesse ler também:

Amazônia em pé rende 7 trilhões de reais por ano mas o governo quer legalizar o comércio de madeira nativa

Aquecimento global e pobreza: crise climática será duas vezes pior que crise Covid

Educação ambiental em todas as escolas até 2025, orienta a Unesco

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *