Lagartixas de estimação? Não faça isso!

Lagartixas de estimação? Não faça isso!

Elas fazem parte da vida da maioria das pessoas. De vez em quando dão o ar de sua graça dentro de casa, aparecendo nos banheiros e paredes das residências. As lagartixas são dos bichinhos mais polêmicos, não por culpa dela, claro: há quem ame e há quem não suporte.

Há aqueles que têm verdadeira fobia, e esse medo exacerbado tem nome: herpetofobia.

No entanto, entre aqueles que amam, existe uma vertente em moda atualmente: a de tornar as lagartixas bichinhos de estimação.

Embora esteja cada vez mais comum, essa prática não deve ser incentivada, de modo algum.

Os vídeos na internet

Existem diversos vídeos na internet ensinando a pegar lagartixas, fazer viveiros e terrários e até criar “mansões” para esses simpáticos bichinhos.

Tais tutoriais incluem uma gama de materiais, como tela de mosquiteiro, rolo de papel, insetos vivos, pedras aquecidas e ensinam como capturar, alimentar, manusear e criar esses animais.

Muitos dos vídeos são de crianças ensinando a fazer todas essas coisas.

Porém, os pais devem ficar alerta e desencorajar essa ação. Os filhos devem aprender, desde cedo, a importância de respeitar a natureza e o espaço de cada bicho no seu habitat natural.

Não foram feitas para viver em cativeiro

Como muitos outros animais que vivem soltos na natureza, a lagartixa tem hábitos e necessidades que a impedem de ser um animal de estimação, como cachorro e gato.

Muitos vídeos mostram lagartixas vivendo em espaços extremamente pequenos, como caixas e embalagens vazias.

No entanto, basta um olhar mais atento para perceber que elas precisam ter espaço ao ar livre para viverem tranquilamente, explorando o ambiente.

Lagartixas não foram feitas para viver em cativeiro, e, assim como acontece com muitos outros animais, prender tais bichinhos reduz muito a qualidade e até a expectativa de vida.

O uso de pedras aquecidas, por exemplo, é um perigo, pois pode causar hipertermia (aumento acentuado da temperatura) na lagartixa.

A importância das lagartixas

Esses répteis tão comuns são especialmente importantes, pois têm a capacidade de eliminar bichos perigosos, como escorpiões, baratas, mosquitinho de banheiro e outros insetos, além de controlar pragas domésticas, como os vetores da dengue, da febre amarela e outras doenças.

De hábitos noturnos, elas gostam de ambientes úmidos e quentes e vivem, em média, oito anos.

Pequenas, medem entre 20 mm e 110 mm e enxergam super bem à noite, com uma visão 350 vezes mais sensível à luz que os olhos humanos.

A destreza com que fiquem paradinhas na parede deve-se às suas patas cheias de microcerdas, responsáveis por dar a aderência necessária para que elas não caiam.

Quando em perigo, as lagartixas podem soltar e comer a própria cauda, em um fenômeno conhecido como autotomia.

Embora sejam inofensivas para o ser humano e tenham até medo deles, as lagartixas precisam de liberdade.

Por isso, se você gosta tanto desses animaizinhos, o melhor ato de amor é apenas apreciar, mas deixá-la livre.

Se a vontade de a pegar para fazer um carinho for muito grande, inspire-se em quem cuida delas, sem prendê-las em uma gaiola, como o é o caso da lagartixa adestrada do José Arlindo, que você pode conhecer no vídeo abaixo.

E mesmo assim, o ideal é deixar o bicho viver sua vida de caça e caçador.

Lembre-se que na natureza existe um equilíbrio perfeito e que a interferência humana é capaz de promover muitos desajustes, que podem ser bem negativos e nocivos.

Pense nisso: lagartixas de estimação? Melhor não!

Talvez te interesse ler também:

Chega de crueldade: veja alternativas ao uso de animais em laboratórios

O que é vivissecção e por que essa prática deve ser abolida?

Os agrotóxicos estão matando estas heroicas criaturas do solo

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *