Consumo consciente

Água virtual: um conceito que reforça importância do consumo consciente

agua virtual
  • por Gisella Meneguelli

A água, no Brasil, ainda é um recurso natural abundante. Talvez por isso nós sejamos pouco conscientes desse privilégio, o que provoca um grave problema: o desperdício. Em 1993, o cientista Tony Allan cunhou a expressão água virtual para expor a importância sobre um assunto que envolve várias áreas do saber (meio ambiente, engenharia de alimentos, engenharia de produção agrícola, comércio internacional e todas relacionadas com a água) e interfere diretamente na nossa vida.

Como a publicidade nos engana, deixando a comida perfeita e irresistível

publicidade alimentos
  • por Redação

Tem um ditado popular que é pura verdade: ”comemos primeiramente com os olhos”, e este ditado os publicitários da indústria de alimentos conhecem muito bem, usam uma série de truques engenhosos para anunciar um alimento perfeito, suculento, quente ou crocante, de qualquer modo irresistível! Sopas fumegantes, deliciosos bolos fofinhos, bebidas super-geladas que na verdade…não existem.

Ideia de que alimentos saudáveis são mais caros pode não ser real, dizem pesquisas

alimentos saudaveis
  • por Felipe Chaves

 

Quem costuma ir ao mercado frequentemente para manter a despensa cheia, sabe bem que os preços dos alimentos não são nada amigáveis. A situação parece piorar quando procuramos especificamente por alimentos saudáveis ou orgânicos. Mas, pesquisas publicadas recentemente no Journal of Consumer Research mostram que nossa percepção de que alimentos mais saudáveis tendem a ser mais caros pode ser irreal.

Lenços umedecidos: perigo para o ambiente e para a saúde

Lenços umedecidos
  • por Redação

Caíram no gosto do freguês: lenços umedecidos são práticos, têm um cheirinho agradável, servem para lavar as mãos, o rosto, as partes íntimas quando estamos fora de casa e nem custam tão caro. Dizem até que podem ser descartados na privada, que são hipoalergênicos e por aí vai. Mas será que são mesmo assim...tão bons? 

O supermercado de comida destinada ao lixo, onde se paga com voluntariado

o-armazém
  • por Redação

Todos os anos, mais de um bilhão de tonelada de alimentos acabam indo parar no lixo sem terem sido consumidos, enquanto cerca de 800 milhões de pessoas têm dificuldade ou sequer conseguem consumir pelo menos uma refeição decente por dia. Uma situação paradoxal e injusta que vem inspirando projetos e iniciativas que visam evitar o desperdício e atender às necessidades daqueles que mais precisam. Este é o exemplo que vem de um supermercado especial recentemente inaugurado na Inglaterra.

Não ao desperdício: consertar em vez de comprar é a proposta da Suécia

consertar
  • por Felipe Chaves

Não é de hoje que o consumo desenfreado de equipamentos, móveis e eletrodomésticos tem causado preocupação nas autoridades governamentais por todo mundo. O motivo para isso é simples: quanto mais se consome, mais se descarta, tão logo, maior o dano ao meio ambiente e à própria vida através da emissão de carbono.