A dieta da saúde planetária que reduzirá emissões, alimentará 10 bilhões de pessoas e salvará 11 milhões de vidas por ano

Você já ouviu falar na dieta da saúde planetária? Trata-se de uma dieta voltada para o maior consumo de frutas, legumes e vegetais e menor consumo de carne, peixe, frango e cereais refinados. Além de melhorar a saúde das pessoas, evitando problemas de saúde como diabetes e doenças cardíacas, essa dieta também pode ajudar a salvar o nosso planeta. Saiba como.

Quem pensa que essa dieta é mais uma moda inventada por pessoas comuns ou ativistas, está muito enganado. A dieta da saúde planetária foi desenvolvida por cientistas com o objetivo de alimentar mais de 10 bilhões de habitantes, sem causar danos aos planeta.

De acordo com uma matéria publicada no site da BBC News Brasil, a população mundial está em torno de 7,7 bilhões de habitantes atualmente. A previsão é a de que esse número chegue a 10 bilhões até 2050 e continue a subir.

Junto ao crescimento populacional, vem o aumento de doenças como diabetes, problemas cardíacos e alguns tipos de câncer, as quais estão relacionadas a hábitos de vida e alimentares. De acordo com os pesquisadores, 11 milhões de pessoas morrem por ano em consequência dos maus hábitos alimentares.

Além disso, o modo como nos alimentamos hoje, principalmente nos países desenvolvidos, causou impactos irreversíveis não só à nossa saúde, mas também à saúde do planeta. De acordo com as estatísticas, a pecuária é responsável por 14,5% a 18% das emissões de gases de efeito estufa em todo o mundo.

A mesma notícia destacou que a agricultura e a produção de alimentos consomem até 70% das fontes de água doce, além de contribuir com a poluição do ar e da terra, ao liberar substâncias como metano, óxido nitroso e amônia na atmosfera.

Todas essas evidências fizeram com que os pesquisadores se preocupassem em desenvolver uma dieta capaz de atender a demanda mundial sem danificar o ecossistema.

A dieta da saúde planetária, como funciona?

O primeiro passo é entender que não se trata de uma dieta da moda ou focada em emagrecimento, por exemplo, mas sim uma dieta que tem por objetivo cuidar da saúde da população e diminuir os impactos da agricultura e pecuária no meio ambiente.

Para isso, as RECOMENDAÇÕES são as seguintes:

  • Diminuir o consumo de carne vermelha;
  • Intercalar o consumo de carne vermelha com frango e peixe, se possível diminuir a quantidade desses itens no mês;
  • Aumentar o consumo de leguminosas como feijão, grão-de-bico e lentilha, para suprir a quantidade de proteínas necessárias;
  • Aumentar o consumo de frutas, legumes e vegetais, os quais devem corresponder à metade da porção em cada refeição;
  • Diminuir o consumo de alimentos que contenham amido, como por exemplo a batata e a mandioca;
  • Incluir o consumo de nozes e castanhas entre as principais refeições.

Claro que tudo isso deve ser acompanhado por um nutricionista, pois cada indivíduo tem uma necessidade e precisa passar por uma avaliação para saber se a dieta da saúde planetária conseguirá atendê-lo.

A vantagem dessa dieta é que não há restrição de nenhum alimento e é possível fazer diversas combinações para não enjoar do sabor.

O Núcleo de Extensão da USP sobre alimentação sustentável (Sustentarea), publicou uma matéria falando sobre a dieta da saúde planetária, colocando inclusive uma sugestão de cardápio:

  • 200g de frutas/dia (2-3 unidades);
  • 130g de feijões (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico cozidos)/dia (1 concha);
  • 25g de castanhas/dia (8-12 unidades);
  • 400-600g cereais integrais (arroz integral, milho, pão integral)/dia (4-6 porções);
  • 250ml de leite ou derivados (1 copo);
  • 50g carne vermelha (porco e boi)/semana (1/2 bife);
  • 200g de frango/semana (1 filé);
  • 200g de peixe/semana (1 posta);
  • 2 ovos/semana.

No próprio site eles alertam para o fato de que essas quantidades são aproximadas e que esse cardápio não substitui um acompanhamento nutricional individualizado.

A saúde do planeta tem que estar na moda!

Pelo visto essa dieta está dando o que falar, pois até a ONU Meio Ambiente publicou em suas redes sociais uma foto divulgando informações sobre a dieta da saúde planetária com as hashtags #AçãoClimática #ODS #AlimentaçãoSaudável ressaltando o que falamos anteriormente.

E você? Se interessou pela dieta da saúde planetária? Acreditamos que ela pode ser a solução para um planeta mais saudável e a prova de que nem tudo está perdido. Informe-se com o seu nutricionista!

Talvez te interesse ler também:

ALIMENTOS QUE FAZEM MAL À SAÚDE SÃO OS MESMOS QUE AGRIDEM O MEIO AMBIENTE

MUDANÇA DE HÁBITO: 30 MILHÕES DE BRASILEIROS SE DECLARAM VEGETARIANOS

BRASIL, UM DOS PAÍSES MAIS PREOCUPANTES COM RELAÇÃO AO USO DE ANTIBIÓTICOS EM ALIMENTOS DE ORIGEM ANIMAL

Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook