©VegNews

O mundo está mudando! Grandes marcas aderem ao Veganismo

O mundo está mudando! Grandes marcas aderem ao Veganismo

As pessoas vêm acordando para o fato de que abater animais para ostentar moda ou satisfazer caprichos do paladar é algo fútil e desnecessário!

Casacos de pele, jaquetas, calçados de couro animal e pratos feitos de cadáver se tornaram algo que não se encaixa mais em um mundo em constante evolução, que oferece cada vez mais alternativas saudáveis, criativas e sustentáveis, que nos dão condições de satisfazer nossas necessidades respeitando a existência das outras espécies.

Essa realidade é tão viável e concreta que cada vez mais pessoas influentes, grandes marcas, importantes instituições, celebridades e chefs de cozinha vêm aderindo ao Movimento Vegano, deixando de utilizar matéria-prima de origem animal.

Neste conteúdo, vamos apresentar diversas empresas e pessoas, que estão produzindo produtos veganos e dando sua contribuição a esse movimento em prol de uma vida mais compassiva, harmoniosa e equilibrada à toda vida nesse planeta.

Gucci: tênis feito de couro cruelty-free

A Gucci, uma marca da alta moda, considerada de luxo, acaba de lançar seu primeiro tênis vegano, feito de “couro” sem matéria-prima animal.

A marca passou dois anos investindo no desenvolvimento desse tipo de material, que recebeu o nome de Demetra, nome Inspirado na deusa grega da colheita, Deméter.

Demetra é feito de matérias-primas livres de animais que vêm principalmente de fontes sustentáveis, renováveis e de base biológica.

A Gucci planeja incorporar o novo material em produtos como bolsas, sapatos, roupas e acessórios.

Chega de ostentar crueldade. Conheça o lado macabro de grandes marcas que exploram e maltratam crocodilos e serpentes para fazer artigos de ultra mega luxo:

Outras marcas que usam alternativas ao couro animal

A empresa controladora da Gucci, Kering, também gerencia o desenvolvimento de outras marcas famosas da modas, como Saint Laurent, Bottega Veneta, Balenciaga, Alexander McQueen e outras mais.

Essas marcas fazem parte, juntamente com a Gucci, de uma aliança de influentes empresas do mundo da moda que trabalham com a startup Bolt Threads, fabricante de couro vegano derivado de micélo, uma espécie de cogumelo.

A Kering está trabalhando para promover o uso desse tipo de couro vegetal, ao qual deu o nome de Mylo, junto a marcas como Adidas, Stella McCartney e Lululemon.

Além dessa alternativa existem outros couros veganos na atualidade, como:

  • cacto (Desserto)
  • abacaxi (Piñatex)
  • maçã (casca)

Benefícios do couro vegano

O emprego do couro vegano oferece muito mais vantagens e benefícios do que o de origem animal.

Por exemplo:

  • a redução das emissões de gases de efeito estufa
  • diminuição do uso de água
  • preservação do solo
  • menos desmatamento
  • minimização dos problemas ambientais
  • é feito sem crueldade contra os animais

Veganismo no mundo da culinária

Outra área que está recebendo o impacto positivo do Movimento Vegano é a culinária. Chefs estrelados, redes de restaurantes e lanchonetes famosas estão cada vez mais incorporando em seus cardápios alimentos livres de crueldade, poupando os animais de virarem cadáveres para saciarem o paladar humano.

Como exemplos desse fenômeno, temos:

Não se deixe enganar

É claro que tem gente nesse filão, apenas de olho nessa mudança, atento apenas a não perder sequer um cliente.

É preciso ter em mente que em muitos casos trata-se apenas de greenwashing, ou seja, empresas zero engajadas com o meio ambiente ou com a causa animal, apenas tentando abocanhar a fatia vegana do mercado consumidor.

De qualquer forma, quando marcas como a Gucci e restaurantes estrelados aderem total ou parcialmente ao veganismo, isso significa que o movimento está ganhando espaço e que está ficando cada vez mais fora de moda comer carne, usar casaco de pele animal e ostentar luxo proveniente de crueldade.

Pense nisso!

Talvez te interesse ler também:

Pele vegetal feita de cacto e algodão: adeus ao couro animal

Chega de crueldade desnecessária: Israel é o 1° a proibir comércio de peles

Tênis vegano, ecológico: em vez de chulé cheirinho de café porque feito de borra

Os sneakers Reebok 100% vegetais e compostaveis de milho e algodão orgânico

São Paulo vegetariana: um guia dos restaurantes cruelty free na maior cidade do país

E você o que acha da ideia de fazer parte do Movimento Vegano?

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *