Biscoito de polvilho azedo – antiga receita mineira que paulista adora

Biscoito de polvilho azedo – antiga receita mineira que paulista adora

Biscoito de polvilho é aquele que a gente come sem parar, no carro quando vai viajar, no lanche da tarde, ou a qualquer hora. O biscoito de polvilho, de origem mineira, é bastante antigo. Segundo Luís da Câmara Cascudo, este já era servido nas fazendas mineiras, como quitute junto com bolinhos de chuva e outras coisas boas. Veja aqui a receita, é super fácil de se fazer.

O polvilho

O polvilho é a fécula da mandioca. No processo artesanal, feito nas casas de farinha, o polvilho é o amido que sai da mandioca ralada e hidratada. Coloca-se a mandioca ralada, misturada com água, em um saco fino e deixa-se escorrer. Essa água que sai, rica em amido, é o polvilho, farinha fininha que decanta facilmente na água. Qualquer impureza sobe no decantador e pode ser retirada, fica só o polvilho no fundo depois que a água sai toda. O polvilho doce é aquele que só se deixa secar, e pronto.

Já o polvilho azedo é fermentado enquanto úmido e fica com aquele sabor mais acentuado, azedo, pois. Tem quem use só um deles, tem quem use dos dois juntos. E é essa maravilha que a gente usa em várias receitas, desde pão de queijo a biscoito passando por broas, tapiocas e beijus. Herança indígena que nós, gostosamente e até o dia de hoje, aproveitamos.

A receita do biscoito de polvilho

A receita clássica do biscoito de polvilho só usa óleo, polvilho azedo, leite, água e sal. Não vai fermento porque o polvilho expande no forno, “crescendo”. Na verdade ele fica é cheio de vento e, durante o processo de assar, quando a temperatura chega aos 75º C, se forma a crosta dura. Assim o biscoito fica aerado, sem nenhum produto químico para estragar.

Hoje tem quem incorpore à receita tradicional mineira outros ingredientes como ovo, açúcar, chia, curry, alho, orégano, tomilho, manjericão, pimenta calabresa seca e queijo. Também variam em suas formas: de argola, redondo, de palito. Criatividade é que não falta mas, o fundamental é que o polvilho seja azedo, senão o biscoito não fica crocante e, claro, da melhor qualidade – o mais fininho e melhor fermentado dará um biscoito muito mais gostoso.

Hoje te trago aqui essa receita que, de todas as que vi, gostei mais. Faça uma fornada. Você vai gostar.

Ingredientes

* 250 gramas de polvilho azedo

* 100 ml de azeite extra virgem (use o óleo que preferir, eu uso azeite tanto no pão de queijo como no polvilho pois o sabor fresco fica delicioso)

* 125 ml de leite

* 125 ml de água fria

* 1 colher de sopa rasa de sal (foi muito)

* 1 ovo

Como fazer biscoito de polvilho

Aqueça o forno a 220C e forre pelo menos duas formas bem grandes com papel manteiga. Eu uso duas formas grandes e vou administrando a massa entre elas aos poucos. Como coloco uma forma de cada vez no forno, a medida que uma forma entra no forno eu faço mais biscoitos na outra forma.

Quando os biscoitos saem do forno numa forma eu coloco a outra para assar. E enquanto uma forma assa eu transfiro os biscoitos da forma forma que acabou de sair do forno, deixo esfriar levemente, troco o papel se necessário e faço mais biscoitos enquanto a outra forma está no forno assando.

Num pote grande ou na bacia da batedeira coloque o polvilho e o sal. Numa panelinha esquente o leite com o azeite, mas não deixe ferver. Adicione a mistura de leite e óleo ao polvilho e com uma colher de pau mexa bem para incorporar. Misture o ovo com a água e bata bem para incorporar totalmente. Vá adicionando a água aos poucos. A massa feita com polvilho azedo fica perfeita feita com as mãos usando apenas uma colher de pau. O polvilho azedo é levemente granulado e funciona diferente e é mais fácil do que a massa feita com polvilho doce.

Quando a massa estiver homogênea e macia coloque num saco de confeiteiro e forme biscoitos no formato que desejar nas formas forradas deixando um bom espaço, cerca de 2 cm entre eles, pois os biscoitos vão crescer.

Leve para assar por 15 minutos ou até que estejam levemente dourados. Atenção pois queimam rápido.

Rende uns 6 tabuleiros

Talvez te interesse ler também:

ARARUTA: CONHEÇA A PLANTA QUE PODE TRAZER VÁRIOS BENEFÍCIOS PARA SAÚDE, CORPO E AINDA SER UMA OPÇÃO NA COZINHA

COMO FAZER TAPIOCA?

BROWNIE DE TAPIOCA

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *