A história da máscara: convença quem ainda duvida da sua eficácia

A história da máscara: convença quem ainda duvida da sua eficácia

Se antes as máscaras eram associadas aos profissionais de saúde, agora elas se tornaram indispensáveis como equipamento de proteção para qualquer pessoa.

Mas a história das máscaras é antiga e conhecê-la, talvez, convença quem ainda duvide de sua importância a reconhecer que ela é um item de proteção inquestionável.

A BBC fez uma reportagem para contar a história das máscaras e e o uso delas pela humanidade em momentos de crise há 500 anos.

Nós fizemos um resumo, leia AQUI a reportagem completa.

Peste negra

No século XIV, a Europa foi varrida pela peste negra, que matou cerca de 25 milhões de pessoas em quatro anos, entre 1347 e 1351. Foi com esse evento que a máscara médica foi criada.

Os especialistas da época acreditam que a doença se propagava pelo ar, por isso eles tiveram a ideia de que era necessário cobrir o rosto. Para se protegerem, eles usavam até buquês de flores.

Revolução Industrial

Com a Revolução Industrial do século XVIII, dá-se início ao aumento da poluição atmosférica com o advento das máquinas a vapor. Em Londres, berço da revolução, o ar se tornou irrespirável à medida em que as inúmeras fábricas que eram abertas jogavam no ar uma fumaça tóxica e as famílias usavam como fogo o carvão.

A combinação de fumaça e névoa, típica dessa época em Londres, ocorria devido ao tempo frio prender o ar estagnado sob uma camada de ar quente, agravando problemas respiratórios e cardiovasculares e causando irritação nos olhos.

Só mais tarde, já na década de 1930, é que as máscaras “antipoluição” passaram a tornar-se comuns no rosto das pessoas.

Gripe Espanhola

A pandemia do século XXI tem sido muito comparada com a Gripe Espanhola, que tornou-se uma pandemia no final da 1ª Guerra Mundial.

Foi assim denominada porque os primeiros registros de casos ocorreram na Espanha – como, hoje, alguns vêm se referindo pejorativamente ao Sars-Cov-2 como “vírus chinês”.

A Gripe Espanhola provocou a morte de 50 milhões de pessoas. Especula-se que os soldados, ao retornarem da guerra, ajudaram a disseminar o vírus.

As empresas de transporte, como tentativa de impedir a propagação do vírus, obrigavam seus funcionários a usarem coberturas faciais.

As pessoas, em geral, também foram orientadas a “usar uma máscara e salvar sua vida”, improvisando com gaze ou qualquer tipo de trapo.

Covid-19

Agora, está sendo novamente exigido da humanidade o uso de máscara, único instrumento eficaz para nos proteger do novo coronavírus. Com a vacinação sendo feita a passos lentos na maioria dos países do mundo, a máscara e o isolamento social são as únicas medidas ao nosso alcance para que nos protejamos.

A ciência e a história mostram o quanto a máscara tem sido indispensável em vários momentos de crise sanitária como forma de proteção. Negar isso é como abrir o peito para receber a morte.

Talvez te interesse ler também:

Ser contra o lockdown é diferente de ser contra a máscara

Veja por que você deve cortar as alcinhas da sua máscara

Máscaras de pano funcionam bem, mas só se lavadas corretamente

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *