Meningite meningocócica – É possível prevenir? Como?

  • atualizado: 
menigococcus

Uma das doenças mais temidas pelos pais, a meningite, voltou recentemente ao noticiário, após a morte do neto do ex-presidente Lula, Arthur Lula da Silva. O menino tinha 7 anos e faleceu em poucas horas, após ter sido internado. O tipo da doença que vitimou Arthur é um dos mais graves: a meningite meningocócica, que tem uma evolução muito rápida e grande letalidade, principalmente em crianças. Vamos saber mais sobre essa doença para poder preveni-la e tratá-la.

Dados do Ministério da Saúde mostram, por exemplo, que em 2018, foram 1072 casos de meningite meningocócica registrados no Brasil e 218 mortes. No entanto, algumas medidas podem ajudar a prevenir essa doença. Saiba abaixo mais sobre o assunto.

1. O que é meningite?

A meningite é uma doença que provoca a inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula.

Geralmente é causada por bactérias, vírus ou parasitas, mas pode ser consequência de outros fatores, tais como lesões físicas, infecções, câncer e uso de alguns medicamentos. Pode atingir qualquer pessoa, mas as crianças menores de 5 anos são mais vulneráveis.

Quando ocasionada por micro-organismos ela é transmitida, principalmente, pelo contato com a saliva ou material fecal das pessoas doentes.

2. O que é meningite meningocócica?

A meningite meningocócica é uma das formas mais graves da doença. É transmitida pela bactéria Meningococo (Neisseria meningitidis) pelas vias respiratórias, do contato com a saliva de alguém contaminado.

É altamente contagiosa, evolui rápido e pode levar à morte, se não for tratada a tempo.

No entanto, grande parte das pessoas possui defesa contra muitos dos micro-organismos causadores da meningite, com exceção das crianças, que são mais suscetíveis à contaminação, principalmente os bebês.

3. Os sintomas da meningite meningocócica

Entre os principais sintomas da meningite meningocócica estão:

  • Febre
  • Náuseas e vômito
  • Dor de cabeça
  • Rigidez ou dor na nuca (dificuldade para encostar o queixo no peito)
  • Sonolência
  • Manchas pelo corpo
  • Em bebês – Rigidez ou moleza corporal, febre, inquietação, moleira dura ou aumentada, irritação e falta de apetite.

Posteriormente, podem surgir sintomas mais graves, como:

  • diarreia,
  • confusão mental e
  • coma.

Por isso, ao menor sinal de contágio, o mais importante é procurar atendimento médico com urgência.

Além da alta letalidade, a meningocócica pode deixar sequelas, como

  • cegueira,
  • surdez,
  • problemas motores,
  • de linguagem e
  • atraso mental.

4. Os tipos de meningite

A meningite pode apresentar várias formas de contágio. Entre os principais tipos, estão:

VIRAL – Causada por vírus, como o arbovírus (o mesmo que transmite a dengue, zika e febre amarela), do grupo herpes, do sarampo, caxumba, entre outros, é transmitida por contato fecal-oral, através da ingestão de alimentos ou água contaminada ou contato com fezes. A picada de alguns mosquitos, como os mencionados, também pode transmitir meningite. Geralmente, na forma viral, a doença é menos grave, tem sintomas mais brandos e mais fácil recuperação. É mais comum na primavera/verão.

BACTERIANA – Um dos tipos mais graves de meningite, é transmitida por bactérias, como o meningococo, pneumococo e outros. Entre as mais preocupantes estão a meningocócica e a pneumocócica, por causa da gravidade dos sintomas e possibilidade de levar a óbito em poucas horas. É transmitida pela saliva, por isso tem grande capacidade para causar surtos, por ser altamente contagiosa. A incidência dessa versão da doença é mais comum no outono/inverno.

FÚNGICA - É transmitida por fungos. Ocorre quando há inalação dos esporos, que são pequenos pedaços de fungos, que entram nos pulmões, causando a inflamação das meninges. A contaminação pode acontecer também em locais que tenham excrementos de bichos, como pombos, morcegos e pássaros. A meningite fúngica não é transmitida de pessoa para pessoa e tende a afetar pessoas com imunidade comprometida, como portadores de AIDS ou em tratamento contra o câncer. É um tipo difícil de diagnosticar, mas que possui sintomas similares aos da versão bacteriana e viral. Pode tornar-se crônica, demandando tratamento a vida toda.

5. Os tratamentos para meningite

O tratamento da meningite meningocócica é feito em ambiente hospitalar, por meio da administração de antibióticos nos casos bacterianos. Alguns casos podem exigir também uso de corticoides para prevenir sequelas. Já a viral necessita de repouso e uso de medicamentos para controle dos sintomas. A fúngica demanda uso de antifúngicos por um período de 4 a 12 semanas.

6. As complicações

A meningite meningocócica apresenta alta mortalidade, por isso é importante atendimento médico de urgência. Além da possibilidade de levar à morte em horas, a doença pode deixar sequelas graves, como perda auditiva, de visão, problemas de memória e coordenação motora, distúrbios psicológicos, como depressão e ansiedade, paralisia cerebral, epilepsia e dificuldade de aprendizagem em crianças.

Nos bebês, a meningite bacteriana pode levar a óbito, mesmo com tratamento, em cerca de 20 a 30% dos casos.

7. Como prevenir

A principal forma de prevenir a meningite é por meio da vacina.

Nos postos de saúde existem imunizações para alguns tipos de doença, outros apenas em estabelecimentos privados, como clínicas. O calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunização oferece vacinas para a meningocócica conjugada sorogrupo C, pneumocócica 10-valente (conjugada), BCG e pentavalente.

Nos estabelecimentos privados é possível encontrar imunização para os tipos ACWY e meningocócica do grupo B.

A vacina oferece proteção por um período de 1 a 4 anos.

Além da imunização, algumas medidas podem ajudar a evitar a contaminação, como:

  • Manter uma boa higiene, lavando as mãos sempre que necessário
  • Deixar sempre o ambiente ventilado;
  • Evitar aglomerações.

Talvez te interesse ler também:

10 DICAS PARA FORTALECER A IMUNIDADE DAS CRIANÇAS

CONHEÇA OS THEYBIES – CRIANÇAS CRIADAS SEM ESTEREÓTIPOS DE GÊNERO

O QUE FAZER SE A CRIANÇA COLOCAR COISAS NO OUVIDO OU NO NARIZ?

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!