flatulência
flatulência

Meteorismo: o que é, causas. Resolva com remédios naturais

Meteorismo é o acúmulo excessivo de gases nas alças intestinais, promovendo distensão, conforme definição da Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia,

Fisiologia dos gases

A produção de gases pelo corpo é absolutamente normal, dado o processo natural de fermentação dos alimentos pelo sistema digestivo. E mais normal ainda é soltar puns e arrotos, aliás, é recomendado e necessário! Ai daquele que tem dificuldade ou até mesmo tabu para eliminar esses gases.

O MSD, Manual de Doenças norte-americano, descreve que o intestino pode reter até 200 mL de gás e a quantidade de gases expulsos diariamente varia de 600 a 700 mL após uma dieta normal com 200 g de feijão cozido, por exemplo.

Isso representa, em média, de 13 a 21 flatulências ou arrotos diários.

Inicialmente, os gases são acumulados no estômago e devem ser eliminados pelo arroto. Se isso não acontece, eles são transportados até o intestino delgado onde são parcialmente absorvidos, e o restante se dirige ao intestino grosso, sendo eliminados através do pum.

Ocorre que, justamente o acúmulo e a retenção desses gases, traz desconforto e até dores abdominais, causando o meteorismo, que pode evoluir para situações mais complicadas, se não tratado.

Diferenças entre meteorismo, flatulência e aerofagia

Digamos que o meteorismo é a fase inicial da retenção de gases.

Se houver uma evolução do quadro, pode ocorrer flatulência com maior distensão do intestino, surgimento de dor e até dificuldade para evacuar, interferindo na qualidade das fezes.

Quando a flatulência torna-se excessiva, ou seja grande quantidade de produção de gases pelo corpo, além do normal, pode ser que esteja ocorrendo concomitância com aerofagia.

Aerofagia é a ingestão de ar em quantidade anormal pela via área, muito provavelmente por causa de

  • mastigação errada
  • ingestão de bebidas gaseificadas durante e após as refeições
  • cigarro
  • dificuldade na deglutição
  • hábito de comer de boca aberta ou falar enquanto mastiga
  • e tantos outros motivos que podem levar a pessoa a engolir ar junto com a comida.

Ainda, algumas pessoas inconscientemente deglutem ar de modo repetido enquanto comem ou fumam e, em especial, quando estão ansiosas. Sem perceberem, elas acabam engolindo, literalmente, o ar pelo tubo digestivo.

Outros problemas digestivos podem contribuir como a quantidade de flatulência, como gastrite, inflamação, refluxo, parasitoses, constipação, síndrome do intestino irritável, dentre outros.

Algumas formas de aliviar o desconforto

Flatulência

Arrotar

A primeira coisa é tentar eliminar os gases que são produzidos no estômago, com o início da fermentação dos alimentos, pela boca através de arrotos, evitando que eles cheguem ao intestino.

Acredita-se que com a postura em pé, o ar é rapidamente eructado. Já uma pessoa em posição supina, o ar é preso acima do líquido gástrico no estômago e tende a ser empurrado para o duodeno, aumentando a condição de flatulência.

Evitar aerofagia

Outra forma de tentar diminuir a quantidade de gases é evitar, ao máximo, a aerofagia, melhorando hábitos que possam contribuir para a ingestão de ar pelo sistema digestivo.

De olho na bula do remédio

Alguns medicamentos também podem estar relacionados à produção excessiva de gases, é bom ficar atento aos efeitos colaterais.

Alimentação saudável

Adote uma alimentação saudável, evite bebidas gaseificadas, produtos industrializados, embutidos, doces, com corantes, gordurosos e com alto teor de sódio, todos eles interferem no processo digestivo e com certeza contribuem para a produção maior de gases.

Evite certos alimentos

Ainda em relação à alimentação, evite certos tipos de alimentos que são mais fermentados e provocam a produção de mais gases, são eles:

  • leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha);
  • vegetais crucíferos (repolho, couve-flor, brócolis, alcachofra);
  • lactose, que é o açúcar do leite;
  • amido (batata, cereais, trigo);
  • sorbitol e frutose, que são carboidratos contidos naturalmente em diversos alimentos e muito usados como adoçantes em produtos industrializados;
  • fibras, que são carboidratos não digeríveis e também podem sofrer fermentação pelas bactérias intestinais.

A explicação para evitar esses alimentos é que alguns organismos não conseguem absorver corretamente alguns tipos de substâncias, ou até mesmo possuem uma certa intolerância a eles. Como por exemplo, depois da ingestão de certas frutas e vegetais que contêm carboidratos não digeríveis (p. ex., feijões cozidos), açúcares (p. ex., frutose) ou açúcares de álcool (sorbitol).

Algumas pessoas podem ter intolerância à lactose, doença celíaca, insuficiência pancreática e outras causas de má absorção de carboidratos, que também devem ser consideradas em casos de excesso de gases no intestino.

Tratamentos naturais

Como fitoterápicos e outros tratamentos naturais para aliviar o meteorismo, recomenda-se:

Chá de erva-cidreira e funcho

Pois estas ervas possuem propriedades antiespasmódicas que eliminam os gases e reduzem a dor.

Chá de manjerona

É estimulante, estomático e atua contra a flatulência. Utilize a parte área da planta.

Chá de cavalinha

A cavalinha também pode ajudar a tratar dores reumáticas e flatulência. Utilize a parte área da planta.

Massagens

Uma boa e relaxante massagem na região abdominal também pode fazer milagres, auxiliando na eliminação dos gases.

Compressas

Compressa de água quente na barriga alivia a dor e o desconforto.

Exercícios físicos

É altamente recomendável a movimentação do corpo. O estímulo das células e órgãos, faz com que haja uma melhora em todos os níveis hormonais e isso pode contribuir para auxiliar na digestão e eliminação de gases.

Procure ajuda

Para que o desconforto não passe ou evolua para quadros de dores crônicas, procure sempre a opinião de um profissional de saúde.

Talvez te interesse ler também:

O que acontece com o corpo se você tomar biotina todos os dias?

Mil-folhas: planta medicinal amiga das mulheres. Usos e benefícios

Árvore-do-Pão: planta do futuro, de fácil cultivo, dá fruta super nutritiva!

Sobre Juliane Isler

Juliane Isler
Juliane Isler, advogada, especialista em Gestão Ambiental, palestrante e atuante na Defesa dos Direitos da Mulher

Veja Também

Quais caminhos a legalização da maconha vem trilhando no Brasil

Dezenas de países no mundo, desde os mais desenvolvidos e com políticas públicas mais avançadas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *