Câncer de mama: os sintomas que todo mundo deveria conhecer

cancer-mama

Sabemos que o câncer de mama é uma das neoplasias malignas mais frequentes, mas também mais gerenciável e que muitas vezes tem cura. Mas também é verdade que, na maioria dos casos, somente se for ele for diagnosticado em tempo. Por isso é muito importante prestar atenção à alguns sinais de alarme e aos sintomas de um possível câncer de mama, os quais todos deveriam conhecer.

No câncer de mama, bem como para todos os outros tipos de câncer, a prevenção é muito importante, o que significa que devemos não apenas verificar periodicamente o nosso estado de saúde, mas também tentar levar um estilo de vida mais saudável, comendo e dormindo bem, fazendo exercícios físicos com regularidade, etc.

Deve-se dizer também que, mesmo seguindo um estilo de vida saudável, nem sempre é possível escapar de um de câncer, especialmente nos casos em que a disposição para a doença é genética. Mas isso não significa que não podemos nos proteger ou ainda menosprezar o diagnóstico precoce da doença, o que poderia salvar vidas.

Especialmente no caso do câncer de mama é vital identificar rapidamente alguns dos seus sintomas. Como fazer isso? Através do autoexame: sendo o primeiro "médico” de si mesmo.

Veja abaixo o que devemos fazer e quais são os sinais que devemos sempre estar atentos para poder prevenir o câncer de mama:

1. Como e onde examinar

Toda mulher deve examinar-se regularmente e o melhor momento para fazer isso é nos dias seguintes ao final do ciclo menstrual. Tudo que você tem a fazer é levantar o braço para cima e suavemente apalpar o peito nu com os dedos sendo pressionados para baixo em torno de toda a superfície da mama. Também é importante verificar as áreas em torno das axilas pois, como sabemos, é uma área crucial onde pode-se manifestar o câncer de mama.

2. Nem todo nódulo é câncer

Ao fazer o autoexame é essencial saber o que você está procurando. Devemos principalmente notar a presença de qualquer protuberância, bolinhas, nódulos. Mas se você sentir alguma coisa, isso não significa necessariamente que se trate de um câncer de mama, pois irregularidades diferentes podem ser percebidas como por exemplo, a presença de cistos benignos ou um seio naturalmente granuloso, por isso, conhecer o próprio corpo é fundamental. Normalmente, nódulos que se movem ao toque são os menos perigosos.

Deve-se sempre consultar um médico na dúvida, e fazer o autoexame mas sem entrar em paranoia, ou seja, tentando ser o mais racional possível.

3. Sintomas na pele da mama

Além de verificar a presença de nódulos, também é bom verificar visualmente a pele da mama para ver se existem variações. Os sintomas mais comuns que podem aparecer do lado de fora são uma pele ondulada, enrugada, engrossada, avermelhada, escamosa, um peito raso ou com uma reentrância.

4. Verifique os mamilos

Atenção aos mamilos. Também esta parte da mama pode estar ser sujeita à mudanças bruscas no caso da presença de tumores. Os sinais mais comuns são: dor, vermelhidão, espessamento, reentrâncias, secreções.

5. Faça exames regularmente

No caso de você ter notado quaisquer sintomas suspeitos procure atendimento médico para tirar dúvidas. Geralmente, um ultrassom ou uma mamografia deveria ser feito anualmente depois dos 40 anos mas, cada caso é um caso. Somente um especialista irá avaliar quais exames e com quanta frequência deve-se fazê-los.

No caso do câncer de mama, mas geralmente em todas as situações, é sempre bom apostar na prevenção: “saúde é o que interessa, o resto não tem pressa”

Leia mais sobre câncer de mama:

CÂNCER DE MAMA E IMPLANTES DE SILICONE NOS SEIOS

CONHEÇA LUCY, A GATA QUE DETECTOU CÂNCER DE MAMA EM SUA DONA

PREVENIR O CÂNCER DE MAMA COM BRÓCOLIS E BROTOS DE BRÓCOLIS

NOVA DESCOBERTA SOBRE O CÂNCER DE MAMA: UMA PROTEÍNA É A RESPONSÁVEL PELA METÁSTASE